Notícias https://www.saude.mg.gov.br Sun, 27 Sep 2020 19:01:56 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br Governo garante continuidade do projeto Medicamento em Casa https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13630-medicamento-em-casa-ultrapassa-metas-na-primeira-etapa-de-entregas https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13630-medicamento-em-casa-ultrapassa-metas-na-primeira-etapa-de-entregas

Quase 80 mil quilômetros rodados, praticamente duas voltas em torno da Terra. A distância é a percorrida até agora por motoristas da 99, empresa de mobilidade urbana que doou o serviço de entrega de medicamentos para pacientes acolhidos pelo programa Medicamento em Casa. A ação do Governo do Estado é uma das estratégias de combate à pandemia da covid-19. O projeto da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), que também contou com o apoio da Defesa Civil de MG, permanece e, a partir de setembro, com recursos do Estado. A decisão parte do princípio de que há importância da continuidade da entrega de medicamentos do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (CEAF) para usuários das Farmácias de Minas nas casas de pessoas do grupo de risco para a covid-19.

Crédito: Flávio A. R. Samuel

Durante a primeira fase do Medicamento em casa, aproximadamente 7 mil portadores de 41 doenças foram contemplados. As equipes das regionais de Saúde de Juiz de Fora, Pouso Alegre, Coronel Fabriciano, Belo Horizonte, Divinópolis, Teófilo Otoni e Uberlândia embalaram mais de 30 mil itens de 55 tipos de medicamentos e acompanharam as entregas desde as Farmácias até as casas dos beneficiados.

O serviço de assistência farmacêutica é uma das muitas estratégias desenvolvidas pelo Governo de Minas Gerais para combater a pandemia do novo coronavírus. “O Medicamento em Casa foi formatado para promover a regularidade do tratamento dos pacientes do grupo de risco para a covid-19 e reduzir os riscos de exposição à doença na fase da pandemia em que havia o aumento do número de casos de contaminação”, explica o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral.

Para o coordenador Adjunto da Defesa Civil de Minas Gerais, Tenente-Coronel Flávio Godinho, o projeto é uma concretização da humanização por parte do poder público. “Neste momento de extremos desafios, vislumbrou-se com o projeto uma forma mais preocupada e até mais carinhosa de atender os pacientes dos grupos de risco. Outra vertente que merece nossa atenção é a austeridade que os recursos doados tiveram desde o primeiro dia. O trabalho em conjunto culminou com uma altíssima taxa de entregas e de execução do projeto. A recompensa foi diariamente estampada em cada olhar de agradecimento e alento de quem realmente precisa e foi atendido. ”

O Medicamento em Casa, resultado da união de forças entre instituições públicas e o setor privado, demonstra a capacidade de inovação do Governo de Minas Gerais na prestação de serviços para os cidadãos mineiros. “Estruturado a partir de metodologias importantes de gerenciamento de projetos, ele foi planejado a partir da avaliação e reconhecimento das realidades regionais, embasados nas diretrizes técnicas e assistenciais que a pandemia nos submete e efetivado de acordo com os recursos disponibilizados pela empresa parceira”, reforça o subsecretário de Gestão Regional, Darlan Venâncio Thomaz Pereira.

Livia Pozzi, diretora de B2B da 99, fala sobre a missão da empresa ao optar por contribuir com o Estado neste momento desafiador de pandemia. “Quando nos propusemos ajudar a levar medicamentos para quem mais precisa, sabíamos que o resultado só poderia ser muito gratificante. Os dados mostram isso, mas principalmente as histórias das pessoas beneficiadas, o carinho e a gratidão delas nos deixam ainda mais confiantes de que seguimos pelo caminho certo”, relata.

Para o Coronel Osvaldo Marques de Souza, chefe do Gabinete Militar e coordenador Estadual de Defesa Civil (CEDEC), “o Projeto Medicamento em Casa possibilita atendimento humanitário frente à complexa situação daqueles que, durante a pandemia do Ccovid-19, necessitam de medicações específicas e essenciais para sua qualidade de vida”.

Pesquisa de Satisfação

O resultado da primeira etapa do projeto pode ser verificado por meio de pesquisa realizada com as pessoas atendidas pelo Medicamento em casa.

A pesquisa de satisfação realizada com os beneficiados pelo projeto coletou as respostas entre os dias 20 de julho e 19 de agosto. O método utilizado, NPS – Net Promoter Score, apontou que 89,11% das pessoas entrevistadas recomendariam o Medicamento em Casa para alguém próximo. De acordo com o NPS, tal resultado está na zona de excelência.

91% disse nunca ter participado de outro programa de entrega de medicamento em domicílio do Governo do Estado de Minas Gerais nem de outros entes federativos. 74,26% respondeu que usa o transporte coletivo para se locomover para retirar os medicamentos na Farmácia de Minas.

]]>
Banco de notícias Wed, 23 Sep 2020 15:30:04 +0000
"Por trás das máscaras”: Hospital Eduardo de Menezes mostra os rostos de quem atua na linha de frente do combate ao novo coronavírus https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13629-por-tras-das-mascaras-hospital-eduardo-de-menezes-mostra-os-rostos-de-quem-atua-na-linha-de-frente-do-combate-ao-novo-coronavirus https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13629-por-tras-das-mascaras-hospital-eduardo-de-menezes-mostra-os-rostos-de-quem-atua-na-linha-de-frente-do-combate-ao-novo-coronavirus

A equipe do Hospital Eduardo de Menezes vem enfrentando diariamente, como referência de atendimento, a pandemia da covid-19. Os protocolos de segurança sanitária são cumpridos rigorosamente, incluindo aí o uso de máscaras de proteção aerossol, fundamental contra os riscos de contaminação do novo coronavírus.

Arquivo do HEM | Fhemig

Como forma de humanizar o atendimento e, ao mesmo tempo, homenagear o esforço de sua equipe, o hospital lançou um projeto que mostra o rosto de quem está ali, todos os dias, cuidando dos pacientes mesmo sem ser reconhecido. O “Por trás das máscaras” é um painel de fotos dos profissionais, em poses cotidianas, informais, mas que permitem às pessoas se reconhecerem sem o equipamento de proteção. Todas as fotos, cedidas pelos próprios profissionais, são identificadas e constam o nome dos setores onde eles trabalham.

A ideia foi conduzida pela psicóloga Andreia Resende dos Reis e pela assistente social Lorene Cristine dos Santos, mas mobilizou toda a unidade durante os dias que antecederam a abertura da “exposição”. “Além de darmos a oportunidade das pessoas conhecerem quem está as atendendo, nós também conhecemos um pouco mais nossos colegas. Foi uma interação importante para toda a equipe. E uma homenagem afetuosa e merecida”, completa Andreia.

O painel fica exposto até o dia 24 de setembro, quando as fotos serão devolvidas aos seus devidos donos.

]]>
Banco de notícias Wed, 23 Sep 2020 09:51:21 +0000
Com 200 edições, Boletim Coronavírus é referência de informação para os mineiros https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13627-com-200-edicoes-boletim-coronavirus-e-referencia-de-informacao-para-os-mineiros https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13627-com-200-edicoes-boletim-coronavirus-e-referencia-de-informacao-para-os-mineiros

O enfrentamento à pandemia da covid-19 envolve mais do que a gestão da rede pública de saúde: demanda, também, entregar à população informação qualificada sobre a situação epidemiológica nos 853 municípios de Minas Gerais. Desde o dia 2 de março, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, (SES-MG), emite, diariamente, o Informe Epidemiológico Coronavírus – Boletim Coronavírus –, que chegou à 200ª edição.

Publicação de caráter técnico-científico e de livre acesso pelo www.saude.mg.gov.br/coronavirus, os dados reunidos no Boletim orientam ações de vigilância em saúde e monitoram o cenário epidemiológico em Minas Gerais. Nele, estão contidas, entre outras informações, o total de casos confirmados de covid-19, óbitos, número de recuperados e em acompanhamento registrados no estado, taxa de letalidade do vírus, municípios com casos e óbitos, dados de hospitalização por síndrome respiratória aguda grave (SRAG) e dados laboratoriais sobre a rede pública estadual.

“O Boletim desempenha importante papel na comunicação com a população, além de ser instrumento para a tomada de decisão por parte de gestores estaduais e municipais”, explica o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, que também divulga as informações do Boletim durante as coletivas de imprensa, que vão ao ar às 12h30, pela Rede Minas, de segunda a sexta-feira, na rádio Inconfidência AM, e ainda pelas mídias sociais do Governo de Minas Gerais e pelo Instagram da SES-MG.

De acordo com a Superintendente da Vigilância Epidemiológica da SES-MG Janaína Passos, as pessoas esperam pelas informações do Boletim, que circula de segunda a segunda, incluindo feriados; “e recebemos muitos questionamentos quando há algum atraso na publicação (geralmente, às 10h já está disponível). É uma ferramenta que conecta informações verídicas e a população”, ressalta Janaína.

A confecção do Boletim é um trabalho ininterrupto de captação, análise e sistematização de dados realizado por 17 profissionais de uma equipe multidisciplinar integrada por administrador público, assistente social, biólogo, demógrafo, ecólogo, economista, enfermeiro, farmacêutico, fonoaudiólogo, médico veterinário, psicólogo. “Desde sua primeira publicação, o Boletim Coronavírus passou por processos de aprimoramento, tanto na forma de captação dos dados quanto na divulgação com intuito de fornecer à população, mídia e gestores, informação ágil, transparente e atualizada”, explica a especialista em Políticas e Gestão da Saúde, Eva Lídia Medeiros, coordenadora da Sala de Situação, onde trabalham os profissionais responsáveis pelo informe.

Segundo Eva, um dos maiores desafios é estimular, constantemente, cada um dos 853 municípios a alimentarem os sistemas oficiais de informação utilizados pela SES-MG: “Estamos 100% alinhados com as informações que os municípios atualizam no SIVEP-GRIPE”, explica ela, referindo-se ao sistema utilizado pela Vigilância Epidemiológica estadual e municipal para inserção das fichas de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), classificação na qual se encontra a covid-19.

Para a bióloga Aline Pereira, uma das coordenadoras dos profissionais responsáveis pelo Boletim e integrante do grupo multidisciplinar, o papel do informe, hoje, vai além do objetivo inicial de ser uma ferramenta para o direcionamento das ações de vigilância em saúde e tomada de decisão por parte de gestores de saúde: “Percebemos que o Boletim Epidemiológico se tornou uma das principais peças de informação sobre a pandemia para a população. Conferiu identidade ao processo de comunicação.”

 

22-09-boletim 200

]]>
Banco de notícias Tue, 22 Sep 2020 19:41:15 +0000
Covid-19: Minas Gerais se mantém como estado com a menor taxa de mortalidade por 100 mil habitantes no Brasil https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13625-covid-19-minas-gerais-se-mantem-como-estado-com-a-menor-taxa-de-mortalidade-por-100-mil-habitantes-no-brasil https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13625-covid-19-minas-gerais-se-mantem-como-estado-com-a-menor-taxa-de-mortalidade-por-100-mil-habitantes-no-brasil

Em coletiva virtual desta terça-feira (22/9), o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, apresentou gráfico com o comparativo da mortalidade por 100 mil habitantes em todos os estados da Federação. De acordo com a análise, Minas está hoje com 31.8 óbitos para cada 100 mil habitantes, mantendo-se como o estado com a menor taxa de mortalidade do país.

“Nós obtivemos o primeiro lugar no dia 31 de julho e, desde então, o estado se mantém com a menor mortalidade proporcional. Para nós, essa posição é resultado das ações desenvolvidas pela SES, pelas secretarias municipais de saúde e também pelos outros gestores. Destacamos que a disponibilização de leitos está relacionada a essa taxa e, em Minas Gerais, começamos o enfrentamento à covid com 2.072 leitos UTI. Hoje já passamos de 3900”, pontuou Carlos Eduardo Amaral.

Ainda segundo o secretário, o máximo de ocupação registrada até o momento foi de 2.766 leitos, número abaixo da capacidade da rede. “Importante destacar também que não tivemos nenhum momento de desassistência no estado”, reforçou.

Atualizações

Minas Gerais registra até o momento 6.764 óbitos por covid-19. Carlos Eduardo Amaral explicou que atualmente, há um total alinhamento entre os dados divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde e a atualização feita pelos municípios.

Crédito: Fábio Marchetto

“Fizemos um ajuste quanto à consolidação dos dados, quando passamos a utilizar o Sistema de Informação de Vigilância da Gripe (SIVEP-Gripe). Diariamente fazemos o download dos dados inseridos na plataforma nacional e contamos com essa atualização feita pelos municípios”, afirmou Carlos Eduardo Amaral.

Já o secretário de Estado de Saúde Adjunto, Marcelo Cabral, reforçou a importância de alinhamento entre as esferas estadual e municipal.

“É importante que haja essa atuação conjunta para que as informações relacionadas ao enfrentamento da epidemia sejam apresentadas com ainda mais transparência”, destacou.

Boletim epidemiológico de número 200

Nesta terça feira (22/9), a SES-MG fez a publicação do boletim epidemiológico da covid de número 200, e Carlos Eduardo Amaral falou sobre o papel desempenhando pelo informe ante o cenário da epidemia em Minas.

“Esse boletim, atualizado e divulgado diariamente, disponibiliza à sociedade diversos dados epidemiológicos sobre a situação da covid no estado, além de mostrar como estamos conduzindo a epidemia e qual é a nossa visão sobre o assunto. Esse documento envolve toda uma equipe que conta com mais de 55 profissionais de diferentes áreas da SES e faz parte do nosso compromisso com a máxima transparência na divulgação dos dados”.

]]>
Banco de notícias Tue, 22 Sep 2020 16:05:20 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 27/9/2020 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13651-informe-epidemiologico-coronavirus-27-9-2020 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13651-informe-epidemiologico-coronavirus-27-9-2020

Até o momento foram 288.619 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 28.295 casos e são 253.096 casos recuperados***. Estão confirmados 7.228 óbitos.

Com o objetivo de apresentar a distribuição dos novos óbitos pela data em que ocorreram, foi realizada a inserção de novo gráfico no Boletim Epidemiológico, que informa o “Percentual de óbitos registrados nas últimas 24 horas, por data de ocorrência”.

Observa-se que, de modo geral, esse número retrata os novos registros notificados à SES/MG nas últimas 24h, mas que ocorreram em períodos anteriores. Desse modo, o aumento no número de óbitos registrados nas últimas 24h pode não representar um aumento na transmissão da COVID-19, mas a qualificação do sistema de informação, com encerramento de óbitos ocorridos anteriormente e que estavam em investigação.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.
Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 27/9/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Confira o Informe na íntegra clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Sun, 27 Sep 2020 08:54:00 +0000
Vacinação antirrábica alcança mais 60% de animais em municípios da Regional de Saúde de Montes Claros https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13650-vacinacao-antirrabica-alcanca-mais-60-de-animais-em-municipios-da-regional-de-saude-de-montes-claros https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13650-vacinacao-antirrabica-alcanca-mais-60-de-animais-em-municipios-da-regional-de-saude-de-montes-claros

Seis municípios que integram a área de atuação da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Montes Claros já alcançaram a meta de vacinar 100% de cães e gatos dentro da Campanha Nacional de Vacinação Antirrábica, iniciada em agosto. Com a imunização de 18,7 mil animais, os municípios de Santo Antônio do Retiro, Riacho dos Machados, Novorizonte, Espinosa, Gameleiras e Monte Azul já superaram a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde e, com isso, nessas localidades a possibilidade de circulação do vírus causador da raiva está reduzido.

Até o momento, dos 54 municípios que integram a área de atuação da SRS de Montes Claros, 46 localidades já iniciaram a vacinação antirrábica. De acordo com dados repassados nesta semana pelos municípios, o índice de cobertura vacinal de cães e gatos já chegou a 60,88%, totalizando mais de 141 mil animais imunizados. A estimativa é de que mais de 232 mil animais devem ser vacinados.

As localidades que têm previsão de vacinar maior número de cães e gatos são: Montes Claros (55 mil 911); Janaúba (12 mil 808); Bocaiúva (11 mil 363); Francisco Sá (10 mil 202); Rio Pardo de Minas (9.476); Porteirinha (7 mil 967); Jaíba (7 mil 119); Taiobeiras (6 mil 807); Espinosa (6 mil 623); Salinas (6 mil 225) e Coração de Jesus (6 mil 088).

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Superintendência Regional de Saúde, Agna Soares da Silva Menezes, explica que a partir do momento em que as secretarias municipais de saúde buscam as vacinas na SRS, o prazo para a realização da Campanha é de 45 dias.

Créditos: Pedro Costa

“É de fundamental importância que os municípios agilizem a Campanha a fim de promover a cobertura vacinal nos cães e gatos e, dessa forma, evitar que transmitam o vírus da raiva a pessoas. Os nossos registros mostram que o último caso de raiva canina, em Minas Gerais, foi em 2012. E, anterior a esse caso, em 2006, sinalizando que os procedimentos adotados estão sendo eficientes para a prevenção do vírus rábico nos animais domésticos”, ressalta a coordenadora.

Para o êxito da campanha todos os municípios receberam orientações técnicas, inclusive em relação às providências que devem ser tomadas para que seja alcançada a meta de vacinação de 100% dos animais existentes em cada localidade.

Devido à pandemia da Covid-19 os municípios devem adotar várias medidas de segurança, entre elas o uso de luvas e máscaras por parte dos profissionais envolvidos com a vacinação; higienização constante das mãos com água e sabão; manutenção do distanciamento social; evitar aglomerações e contato físico com o proprietário dos animais e outras pessoas.

Dependendo da situação de cada município, a Secretaria de Estado da Saúde – (SES-MG) também recomenda que a vacinação seja realizada de casa em casa, evitando aglomerações e assegurando que todos os animais sejam vacinados dentro do prazo previsto.

“O contexto epidemiológico exige atenção e aprimoramento nas atividades de vigilância, tanto no ciclo urbano como silvestre. A campanha anual de vacinação antirrábica é uma atividade extremamente importante e necessária no processo preventivo”, observa o médico veterinário Milton Formiga, referência técnica da vigilância epidemiológica da SRS.

Transmissão

A raiva é uma doença infecciosa viral aguda que acomete mamíferos, inclusive o homem. É transmitida por morcegos, gambás, guaxinins e outros animais selvagens. É uma doença quase sempre fatal, para a qual a melhor medida de prevenção é a vacinação pré ou pós exposição ao vírus.

A raiva é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados, principalmente por meio da mordedura. Também pode ser transmitida pela arranhadura ou lambedura desses animais.

No ciclo urbano a raiva é passível de eliminação pela vacinação de cães e gatos, além da existência de medidas eficientes de prevenção, como a imunização humana; a disponibilização de soro antirrábico humano e bloqueios de foco.
O período de incubação é variável entre as espécies, mas pode levar de poucos dias a um ano, com uma média de 45 dias no ser humano, podendo ser mais curto em crianças.

Sintomas

Após o período de incubação, surgem os sinais e sintomas clínicos inespecíficos da raiva (fase prodrômica), que duram em média de dois a dez dias. O paciente apresenta mal-estar geral; pequeno aumento de temperatura; anorexia; cefaleia; náuseas; dor de garganta; entorpecimento; irritabilidade; inquietude e sensação de angústia.

Pode ocorrer inchaço, aumento da sensibilidade ao tato ou à dor, frio, calor, formigamento, agulhadas, adormecimento ou pressão no trajeto de nervos periféricos, próximos ao local da mordedura e alterações de comportamento.
A infecção da raiva progride, surgindo manifestações mais graves e complicadas, como: ansiedade e hiperexcitabilidade crescentes; febre; delírios; espasmos musculares involuntários, generalizados ou convulsões. Espasmos dos músculos da laringe, faringe e língua ocorrem quando o paciente vê ou tenta ingerir líquido, apresentando sialorreia intensa (“hidrofobia”).

Os espasmos musculares evoluem para um quadro de paralisia, levando à alterações cardiorrespiratórias, retenção urinária e obstipação intestinal. Observa-se, ainda, a presença de disfagia (dificuldade de engolir); aerofobia (medo de ficar ao ar livre); hiperacusia (irritabilidade a sons) e fotofobia (sensibilidade à luz).

O paciente se mantém consciente, com período de alucinações, até a instalação de quadro comatoso e a evolução para óbito. O período de evolução do quadro clínico, depois de instalados os sinais e sintomas até o óbito é, em geral, de dois a sete dias.

Tratamento

A confirmação laboratorial em vida, ou seja, o diagnóstico dos casos de raiva humana pode ser realizado pelo método de imunofluorescência direta, em impressão de córnea, raspado de mucosa lingual ou por biópsia de pele da região cervical.
A sensibilidade dessas provas é limitada e, quando negativas, não se pode excluir a possibilidade de infecção. A realização da autópsia é de extrema importância para a confirmação diagnóstica.

Quando a profilaxia antirrábica não ocorre e a doença se instala, pode-se utilizar um protocolo de tratamento da raiva humana, baseado na indução de coma profundo, uso de antivirais e outros medicamentos específicos. Entretanto, é importante salientar que nem todos os pacientes de raiva, mesmo submetidos ao protocolo, sobrevivem.

]]>
Banco de notícias Sat, 26 Sep 2020 08:58:22 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 26/9/2020 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13649-informe-epidemiologico-coronavirus-26-9-2020 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13649-informe-epidemiologico-coronavirus-26-9-2020

Até o momento foram 286.350 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 27.950 casos e são 251.219 casos recuperados***. Estão confirmados 7.181 óbitos.

Com o objetivo de apresentar a distribuição dos novos óbitos pela data em que ocorreram, foi realizada a inserção de novo gráfico no Boletim Epidemiológico, que informa o “Percentual de óbitos registrados nas últimas 24 horas, por data de ocorrência”.

Observa-se que, de modo geral, esse número retrata os novos registros notificados à SES/MG nas últimas 24h, mas que ocorreram em períodos anteriores. Desse modo, o aumento no número de óbitos registrados nas últimas 24h pode não representar um aumento na transmissão da COVID-19, mas a qualificação do sistema de informação, com encerramento de óbitos ocorridos anteriormente e que estavam em investigação.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 26/9/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Confira o Informe na íntegra clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Sat, 26 Sep 2020 08:49:05 +0000
Reorganização dos serviços de hemodiálise e consultas eletivas essenciais são abordadas com os municípios da SRS Alfenas https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13648-reorganizacao-dos-servicos-de-hemodialise-e-consultas-eletivas-essenciais-sao-abordadas-com-os-municipios-da-srs-alfenas https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13648-reorganizacao-dos-servicos-de-hemodialise-e-consultas-eletivas-essenciais-sao-abordadas-com-os-municipios-da-srs-alfenas

A Regional de Saúde de Alfenas realizou, nessa quarta-feira (23), uma videoconferência com representantes de alguns municípios de sua área de abrangência. Na oportunidade, a secretária municipal de saúde e a direção da Santa Casa de Alfenas apresentaram propostas de reorganização dos serviços de hemodiálise e das consultas eletivas, indispensáveis para os municípios da microrregião Alfenas/Machado e Guaxupé.

Desde o início da Pandemia, o fluxo de atendimentos hospitalares foi adaptado e as instituições foram segmentadas por meio do Plano de Contingência. Em função do estado de calamidade pública, decorrente da pandemia do novo coronavírus, os procedimentos eletivos foram suspensos. A Santa Casa de Alfenas e a Santa Casa de Guaxupé são os hospitais de referência para internações clínicas e UTI da covid-19 na região. Os hospitais providenciaram mudanças e adequações de espaço e de recursos humanos para atendimento exclusivo dos casos da doença.

Segundo o diretor Administrativo da Santa Casa, Aécio Assis, as alterações propostas para a unidade hospitalar seriam nos horários para os atendimentos de hemodiálise, além da separação em turnos para os municípios. “Assim, a partir de 1º de novembro, o serviço de hemodiálise da Santa Casa passa a ser oferecido nos turnos da manhã e tarde, excluindo-se o turno da noite. Os atendimentos seriam de no máximo 50 pacientes por turno, cumprindo-se os protocolos de segurança, higiene e distanciamento necessários. Assim, acreditamos que irá facilitar o serviço de Tratamento Fora do Domicílio (TFD) e tratar ao paciente com mais respeito e qualidade de vida, já que vão poder retornar mais cedo para suas casas e não viajar de madrugada”, argumentou.

Ao falar sobre o retorno parcial de consultas de áreas especializadas, a secretária municipal de Saúde de Alfenas, Deyv Cabral, reforçou que, “desde o início da pandemia, quando houve a suspensão de cirurgias e procedimentos eletivos não essenciais, havia a existência de uma demanda reprimida se acumulando em todos os municípios. Considerando uma forma de atender os pacientes de casos eletivos indispensáveis e cumprir as medidas de segurança, propomos retomar com a metade de nossa capacidade. E, desses atendimentos previsto na planilha apresentada aos municípios, há alguns quantitativos exclusivos para os municípios de referência, como cirurgia ginecológica, mastologia e colposcopia, para Alfenas. Para os outros municípios, as agendas são para cirurgia geral, cirurgia pediátrica, dermatologia, neurocirurgia, nefrologia, oftalmologia, ortopedia, reumatologia, urologia, vascular e outros”, disse.

Para a coordenadora do Núcleo de Regulação da Regional de Alfenas, Roseara Rodrigues, têm sido realizadas diversas reuniões com hospitais e secretarias municipais com o objetivo de reforçar as orientações e esclarecer dúvidas quanto a Instruções Normativas e Notas Técnicas da SES-MG. “Neste encontro abordamos, inclusive, a Deliberação Nº 73, que dispõe sobre as medidas adotadas no âmbito do sistema de saúde do Estado de Minas Gerais, enquanto durar o estado de calamidade pública em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus, em todo o território do Estado”.

]]>
Banco de notícias Fri, 25 Sep 2020 16:59:50 +0000
Médico Psiquiatra da SRS Barbacena esclarece sobre o tema da Campanha de Valorização à Vida promovida no mês de setembro https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13647-medico-psiquiatra-da-srs-barbacena-esclarece-sobre-o-tema-da-campanha-de-valorizacao-a-vida-promovida-no-mes-de-setembro https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13647-medico-psiquiatra-da-srs-barbacena-esclarece-sobre-o-tema-da-campanha-de-valorizacao-a-vida-promovida-no-mes-de-setembro

Em apoio à programação da campanha de Valorização à Vida que é promovida pela Polícia Civil de Barbacena e do Estado de Minas Gerais durante o mês de setembro, a Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Barbacena tem incluído ações sobre tema, visando a importância do trabalho de saúde mental da população. Nesta matéria, o médico psiquiatra e servidor da SRS Barbacena, Dr. Carlos Eduardo Leal Vidal, traz informações e esclarecimentos pertinentes ao tema.

“O comportamento suicida, que inclui os pensamentos, as tentativas e os atos consumados, é um fenômeno humano complexo, universal e representa um grande problema de saúde pública em todo o mundo. Sua etiologia é multifatorial, compreendendo fatores biológicos, psicológicos e socioambientais, que interagem de forma complexa. Junto ao comportamento suicida encontram-se comportamentos autoagressivos sem intenção de morrer ou com intenção suicida desconhecida.

Os dois principais fatores de risco associados ao suicídio são a história de tentativa prévia e a presença de doença mental, destacando-se a depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia e dependência de álcool e/ou drogas. A repetição de tentativas é um indicador de risco para a consumação do suicídio e toda ameaça de uma pessoa em situação de vulnerabilidade deve ser levada a sério, mesmo quando pareça falsa ou de caráter manipulador. Outros fatores associados ao comportamento suicida incluem história de abuso físico, sexual ou emocional, violência familiar, desemprego, presença de doenças graves e incapacitantes, perdas importantes, desesperança e outros.

O coeficiente mundial de suicídio situa-se em torno de 16 mortes/100 mil habitantes. No Brasil a taxa de mortalidade por suicídio é considerada baixa, em torno de cinco mortes/ 100 mil. Em números absolutos, porém, o Brasil está entre os dez países com o maior número de mortes por essa causa. Em Minas Gerais o coeficiente de mortalidade por suicídio aumentou de 5,3 óbitos/100 mil em 2007 para 7,0 óbitos/100 mil em 2017.

Na microrregião de Barbacena, compreendendo 15 municípios, o coeficiente médio no período de 1998-2012 foi de 6,9 óbitos/100 mil, atingindo a elevada taxa de 11,2 óbitos/100 habitantes em 2008. E, especificamente no município de Barbacena, um estudo apontou a cidade com taxa média de 8,8 suicídios/100 mil habitantes, o 4º maior coeficiente em cidades da Região Sudeste com população entre 100 e 200 mil habitantes.

Na área administrativa da SRS/Barbacena foram registrados 347 suicídios no período de 2013-2020 (dados sujeitos a revisão), sendo 76,9% no sexo masculino, 43,2% na faixa etária dos 40-59 anos. No mesmo período considerado, foram registradas 3036 lesões autoprovocadas (LAP) no banco de dados do SINAN. O predomínio foi do sexo feminino (69,1%).

Em relação às microrregiões de ocorrência, 45,2% foram em Lafaiete, 38,2% em Barbacena e 13,3% em Congonhas Não houve diferença numérica significativa entre município de ocorrência e de notificação.”

]]>
Banco de notícias Fri, 25 Sep 2020 16:12:56 +0000
Saúde reforça cuidados na prevenção à covid-19 durante campanhas de vacinação https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13646-saude-reforca-cuidados-na-prevencao-a-covid-19-durante-campanhas-de-vacinacao https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13646-saude-reforca-cuidados-na-prevencao-a-covid-19-durante-campanhas-de-vacinacao

Em coletiva virtual realizada nesta sexta-feira (25/9), o secretário de Estado adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, falou sobre a realização de campanhas de vacinação durante a epidemia da covid-19.

250920

“No que se refere às campanhas de vacinação, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, (SES-MG), segue o calendário adotado pelo Ministério da Saúde (MS), que recomenda cuidados às pessoas que irão até as Unidades Básicas de Saúde (UBS). É muito importante que a população esteja atenta às medidas de prevenção à covid, como manter dois metros de distância nas filas, entre uma pessoa e outra”, explicou Cabral.

O secretário adjunto destacou que o Ministério alerta para a adoção constante da etiqueta respiratória, que inclui cobrir a boca com a face interna do cotovelo ou com auxílio de lenço descartável ao espirrar, lavar as mãos com frequência, não tocar o rosto e manter o uso de máscara quando sair à rua. As máscaras devem ser usadas por crianças a partir de 2 anos, adolescentes, adultos e idosos como medida de prevenção de transmissão e contágio.

Também é recomendado não manter contato próximo com outras pessoas por meio do aperto de mão, beijo e abraço, principalmente enquanto a pessoa estiver aguardando para receber a vacina.

“A imunização continua sendo a maneira mais eficaz e segura de prevenir diversas doenças e, mesmo diante do cenário da pandemia da Covid-19, as UBSs de todo o estado não interromperam o atendimento nas salas de vacina”, explicou Marcelo Cabral.

Cartão de vacinação

Ao longo da coletiva o secretário-adjunto também reforçou a importância do cartão de vacinação para auxiliar no controle e acompanhamento das doses de vacinas já recebidas. E como não só crianças, mas também adolescentes, adultos e idosos devem manter suas vacinas em dia.

Caso não esteja de posse do cartão, por motivo de perda ou dano, a orientação é para que o usuário procure o serviço de saúde onde costuma se vacinar. A partir do chamado cartão espelho, onde ficam arquivados os registros de doses já aplicadas, o profissional de saúde poderá avaliar a situação vacinal do usuário.

É importante frisar que a ausência do cartão não impede ninguém de ser vacinado.

Vacina Mais

As baixas coberturas vacinais têm graves consequências quando o assunto é a saúde pública. Nos anos de 2017, 2018 e 2019, Minas Gerais enfrentou epidemia de febre amarela e surto de sarampo, respectivamente, em decorrência das baixas coberturas registradas.

No intuito de alertar a população sobre os benefícios da vacina e também sobre os riscos a que todos ficam expostos quando esta importante medida profilática é ignorada, a SES-MG lançou a campanha Vacina Mais Minas Gerais.

“A intenção é informar e chamar a atenção dos mineiros sobre a necessidade de ampliação da cobertura vacinal para toda população. Graças à vacinação em massa, doenças como poliomielite, rubéola, tétano e coqueluche deixaram de ser um problema de saúde pública no Brasil”, destacou Marcelo Cabral.

]]>
Banco de notícias Fri, 25 Sep 2020 15:03:30 +0000
SRS Passos prepara Campanha de Vacinação Antirrábica para outubro https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13645-srs-passos-prepara-campanha-de-vacinacao-antirrabica-para-outubro https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13645-srs-passos-prepara-campanha-de-vacinacao-antirrabica-para-outubro

Os 27 municípios da jurisdição da Superintendência Regional de Saúde de Passos (SRS Passos) irão realizar a Campanha Antirrábica Animal 2020 para cães e gatos no período de 1º de outubro a 14 de novembro. A meta de cobertura vacinal, segundo o Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador da SRS Passos, é de 80% das populações estimadas de 88.980 cães e 12.203 gatos na região.

As vacinas começaram a ser disponibilizadas aos municípios, por meio da SRS Passos, pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), que já entregou a primeira das três remessas do imunizante antirrábico.

A referência técnica da Vigilância Epidemiológica da Regional de Saúde, Suely Veloso, já se reuniu, pela internet, com os coordenadores de epidemiologia e as referências técnicas responsáveis pela imunização nos municípios para tratar da operacionalização da campanha 2020, pedindo organização e empenho das prefeituras, principalmente para a vacinação na zona rural.

Segundo Suely Veloso, em 2019, os municípios cumpriram a meta de vacinação e a expectativa é de que o desempenho seja repetido neste ano. “Mesmo com todas as dificuldades que estamos enfrentando com a pandemia de covid-19, espero que tenhamos bons resultados: todos os municípios cumprindo a meta preconizada para que a nossa população fique protegida contra a raiva”, disse.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), que iniciou a Campanha Nacional Antirrábica em agosto, a raiva animal é altamente infecciosa e se caracteriza por uma encefalite progressiva e aguda quase que totalmente letal. O vírus é transmitido para o ser humano pela saliva de animais infectados, por meio de mordedura.

]]>
Banco de notícias Fri, 25 Sep 2020 13:01:29 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 25/9/2020 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13644-informe-epidemiologico-coronavirus-25-9-2020 https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13644-informe-epidemiologico-coronavirus-25-9-2020

Até o momento foram 283.479 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 27.680 casos e são 248.743 casos recuperados***. Estão confirmados 7.056 óbitos. São 28.230 casos de internação hospitalar na rede pública e privada e a letalidade da doença é de 2,5%.

Com o objetivo de apresentar a distribuição dos novos óbitos pela data em que ocorreram, foi realizada a inserção de novo gráfico no Boletim Epidemiológico, que informa o “Percentual de óbitos registrados nas últimas 24 horas, por data de ocorrência”.

Observa-se que, de modo geral, esse número retrata os novos registros notificados à SES/MG nas últimas 24h, mas que ocorreram em períodos anteriores. Desse modo, o aumento no número de óbitos registrados nas últimas 24h pode não representar um aumento na transmissão da COVID-19, mas a qualificação do sistema de informação, com encerramento de óbitos ocorridos anteriormente e que estavam em investigação.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 25/9/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Confira o Informe na íntegra clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Fri, 25 Sep 2020 10:10:45 +0000
Campanha multivacinação começa dia 5 de outubro em Teófilo Otoni https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13643-campanha-multivacinacao-comeca-dia-5-de-outubro-em-teofilo-otoni https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13643-campanha-multivacinacao-comeca-dia-5-de-outubro-em-teofilo-otoni

A Regional de Saúde de Teófilo Otoni inicia, no dia 5 de outubro, a Campanha Nacional contra a Poliomielite e a Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente. Desta vez, o público-alvo são crianças e adolescentes de 0 a 14 anos, 11 meses e 29 dias de idade.

Com a finalidade de alinhar tecnicamente as questões relativas a essas duas campanhas nacionais, a Superintendência Regional de Saúde de Teófilo Otoni (SRS Teófilo Otoni) realizou na segunda-feira, (22/9), uma reunião virtual com os coordenadores de imunização dos 32 municípios sob sua jurisdição.

Na ocasião, a coordenadora do Núcleo de Imunização, Elizabeth Coelho, falou das vacinas disponíveis pelo Sistema Único de Saúde (SUS) que devem ser dadas aos menores de 15 anos de idade, explanou as situações hipotéticas que os profissionais responsáveis pela vacinação poderão enfrentar quando analisar o cartão de vacina e orientou como proceder a correta atualização da caderneta. “Caso perceba a falta de qualquer vacina, o profissional deverá vacinar a criança ou o adolescente para que o esquema vacinal seja atualizado”, declara Elizabeth.

Os participantes também receberam orientações sobre a Poliomielite, o que é, como é transmitida, as formas de prevenção, as vacinas, as medidas de segurança contra a covid-19 que deverão ser reforçadas durante o período de vacinação, entre outras informações.

Elizabeth ainda reforçou que é imprescindível os municípios se organizarem antecipadamente e mobilizarem a sociedade em geral sobre a importância dessas duas campanhas nacionais.

]]>
Banco de notícias Fri, 25 Sep 2020 08:20:29 +0000
Balanço de agosto contabiliza 149 ações de prevenção e promoção da saúde realizadas pela Regional de Montes Claros https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13642-balanco-de-agosto-contabiliza-149-acoes-de-prevencao-e-promocao-da-saude-realizadas-pela-regional-de-montes https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13642-balanco-de-agosto-contabiliza-149-acoes-de-prevencao-e-promocao-da-saude-realizadas-pela-regional-de-montes

Com 149 realizações em 24 municípios, a Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros (SRS) ficou entre as seis regiões do estado que mais promoveram ações de mobilização social no mês de agosto envolvendo prevenção e promoção à saúde. As iniciativas foram conduzidas pelas secretarias municipais de saúde em parceria com outras instituições, tanto do segmento público como ligadas à iniciativa privada.

Relatório da Secretaria de Estado da Saúde (SES-MG) aponta que, em agosto, foram realizadas 2 mil 421 ações de mobilização social em Minas Gerais. O repasse de orientações à população para enfrentamento ao novo coronavírus somaram 1 mil 191 ações, vindo a seguir o controle das arboviroses (dengue, febre Chikungnya e Zika vírus) com 232 ações; promoção à saúde (183); Rede Cegonha com repasse de orientações às gestantes (176); mobilização da população com idade entre 20 a 49 anos para vacinação contra o sarampo (178) e combate ao tabagismo (70 ações).

Entre os 54 municípios que integram a área de atuação da SRS de Montes Claros, os que relataram a realização de ações de mobilização foram: Botumirim, Catuti, Engenheiro Navarro, Francisco Dumont, Francisco Sá, Gameleiras, Guaraciama, Grão Mogol, Jaíba, Janaúba, Juramento, Matias Cardoso, Mirabela, Montes Claros, Monte Azul, Montezuma, Nova Porteirinha, Padre Carvalho, Porteirinha, Rio Pardo de Minas, Salinas, Santa Cruz de Salinas, Taiobeiras e Verdelândia.

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica da SRS de Montes Claros, Agna Soares da Silva Menezes destaca que, “mesmo diante da pandemia da covid-19, por meio da utilização de técnicas alternativas de comunicação via telefone, faixas e mídias sociais, a manutenção das ações de mobilização por parte dos municípios possibilita aos profissionais de saúde reforçar perante a população a importância da adoção de medidas de prevenção e de promoção da saúde, com adoção de práticas simples que estão ao alcance de todos, entre elas: higiene adequada, realização de consultas e exames médicos de forma regular, manutenção de alimentação saudável, prática de atividades físicas, controle da hipertensão, cuidados com a saúde bucal e a eliminação do tabagismo”.

Assim como nas demais regiões do estado, as iniciativas implementadas pelas secretarias municipais de saúde do Norte de Minas tiveram como destaque ações referentes à prevenção e contenção da disseminação da covid-19. Vários municípios estão mantendo as barreiras sanitárias para o repasse de orientações à população que transita nas estradas. Em Verdelândia, profissionais da Secretaria Municipal de Saúde realizaram visitas em estabelecimentos comerciais e em comunidades rurais para o repasse de informações sobre a prevenção ao novo coronavírus aos comerciantes e produtores rurais.

Também em Verdelândia, a Secretaria Municipal de Saúde realizou entre 29 de julho a 21 de agosto o “Plantão Psicológico” com a participação do psicólogo, João Vítor Barbosa. A ação teve como objetivo dar suporte a profissionais de saúde que estão trabalhando na linha de frente do atendimento de pacientes acometidos ou com suspeita de covid-19.

Por outro lado, a Secretaria Municipal de Saúde de Juramento realizou testes para detecção do novo coronavírus em profissionais que trabalham em unidades de saúde das zonas urbana e rural.

Agosto Lilás

O mês de conscientização da população quanto à importância da prevenção e combate à violência doméstica foi um dos destaques das ações de mobilização social implementadas pelos municípios de Guaraciama e Taiobeiras com a realização de blitz em parceria com a Polícia Militar e distribuição de materiais informativos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Já entre as ações implementadas em alusão ao Agosto Dourado, os municípios de Janaúba e Monte Azul se destacaram com a realização de mobilizações visando conscientizar as mães e gestantes sobre a importância do aleitamento para o desenvolvimento saudável de recém-nascidos e crianças. As abordagens foram centralizadas nas UBS e nos centros de especialidades médicas.

 

240920 Moc 149 Acoes Saude1

]]>
Banco de notícias Thu, 24 Sep 2020 20:17:26 +0000
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13641-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13641-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais

O secretário adjunto de Saúde de Minas Gerais, Marcelo Cabral, responde perguntas da imprensa em coletiva virtual nesta sexta-feira (25/9), às 12h30‬.

Na ocasião, serão abordadas as ações do Governo do Estado na prevenção e enfrentamento ao coronavírus. Como medida preventiva à disseminação da pandemia, a transmissão será via redes sociais - Instagram da Saúde e Facebook do Governo de Minas.

Haverá, também, transmissão ao vivo pelo canal aberto da Rede Minas e pelo link www.redeminas.tv/.
As emissoras que quiserem reproduzir as imagens, de uso irrestrito, poderão acessar via satélite a Rede Minas.

- As perguntas devem ser enviadas até as 10h, desta sexta-feira (25/9), para e-mail: jornalismo@saude.mg.gov.br .
- Solicitamos que seja colocada no assunto do e-mail a seguinte frase - PERGUNTAS COLETIVA - para que possamos identificar.

Serviço:
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais
Data: 25/9/2020 (sexta-feira)
Horário: ‪12h30‬
Local: Prédio Tiradentes – Cidade Administrativa – Belo Horizonte (MG)
Transmissão via redes sociais: Instagram - https://instagram.com/saudemg/
Facebook - https://www.facebook.com/governomg/

]]>
Banco de notícias Thu, 24 Sep 2020 17:39:00 +0000
SES-MG melhora atendimento aos usuários das farmácias judiciais do estado https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13640-ses-mg-melhora-atendimento-aos-usuarios-das-farmacias-judiciais-do-estado https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13640-ses-mg-melhora-atendimento-aos-usuarios-das-farmacias-judiciais-do-estado

No intuito de melhorar o atendimento ao cidadão e dar eficiência ao andamento a uma média de 1.175 expedientes novos cadastrados, mensalmente; o Núcleo de Judicialização da Saúde (NJS) da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) implementou o projeto NJS em Casa, de entrega em domicílio de medicamentos ao usuário. A intenção é reduzir as filas nas farmácias judiciais do estado e, ao mesmo tempo, proporcionar comodidade ao paciente. 

“Inicialmente, serão fornecidos três tipos de medicamentos que representam, no volume total da farmácia judicial de Belo Horizonte e região metropolitana, 40% do estoque, o que significa uma redução na mesma medida da fila para retirada destes produtos”, informa o assessor chefe do Núcleo de Judicialização em Saúde da SES-MG, Felipe Tristão.

Segundo ele, a intenção é testar este piloto até o final do ano para estender o NJS em Casa aos demais municípios, abrangendo todos os medicamentos fornecidos pelas farmácias judiciais de Minas Gerais. Além do conforto de receber os itens em casa, o projeto reduz custos, uma vez que possibilita diminuir, também, a estrutura de manutenção das farmácias judiciais.

Outro projeto que está a pleno vapor é o Sem Marcas, construído junto com a Advocacia Geral do Estado (AGE), a partir do entendimento de que os medicamentos judicializados podem ser comprados e distribuídos sem observação de marca para racionalizar custos, “obviamente obedecendo à exigência do princípio ativo indicado pela prescrição médica”, frisa Felipe Tristão.

O medicamento é fornecido independentemente de marca específica, desde que mantenha a equivalência farmacêutica e sejam observados, além do princípio ativo, concentração e apresentação descritos no relatório médico, “salvo exceções justificadas que impeçam o paciente de usar o medicamento”, esclarece o assessor do NJS. Ele lembra que a compra individualizada em saúde, conforme acontece frequentemente no caso de medicamentos judicializados, é mais complexa e menos vantajosa.

Os efeitos do Sem Marcas já são visíveis nos estoques para entrega imediata: cresceram 90% em comparação a janeiro deste ano, resultado de compra padronizada, feita de forma massiva pela Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag). E estão em consonância com os princípios da administração pública do Sistema Único de Saúde (SUS).

Retirar pessoas da fila da Defensora Pública também está entre as ações em curso do Núcleo de Judicialização da Saúde, que disponibiliza dois profissionais de saúde para atuarem, semanalmente, no órgão para informar ao paciente quanto à disponibilidade, no SUS, de alternativas terapêuticas àquela demanda.

“Além de tirar pessoas da fila, conseguimos desafogar o sistema judiciário. Este projeto funciona, também, como termômetro sobre quais medicamentos são mais demandados, em quais regiões. Assim, conseguiremos nos aperfeiçoar e aumentar a interface com demais áreas para cumprimento das políticas públicas de saúde”, esclarece Felipe Tristão.

]]>
Banco de notícias Thu, 24 Sep 2020 16:06:59 +0000
Representante da Saúde explica papel da Secretaria no Minas Consciente https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13639-representante-da-saude-explica-papel-da-secretaria-no-minas-consciente https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13639-representante-da-saude-explica-papel-da-secretaria-no-minas-consciente

Em coletiva virtual desta quinta-feira (24/9), o secretário de Estado adjunto de Saúde de Minas Gerais, Marcelo Cabral, falou sobre o papel da SES-MG no desenvolvimento das atividades do Minas Consciente.

“A partir das deliberações do Comitê Extraordinário Covid-19, nosso papel é fixar orientações e diretrizes. No entanto, reforçamos que a decisão final e também as questões relacionadas à fiscalização caberá sempre aos municípios”, destacou.

Caso a macro e a microrregião estejam em ondas diferentes, o prefeito pode, de forma justificada, decidir qual onda seguir. Entretanto, o secretário pontuou que a sugestão da SES-MG é para que os municípios sempre adotem a postura mais conservadora quanto a essa decisão, optando por aguardar uma semana a mais para avançar uma onda mais segura.

Créditos: Gil Leonardi / Imprensa MG

“Em situações que demandam um pouco mais de cautela, nós convidamos os gestores municipais para participar das reuniões realizadas rotineiramente nas macrorregiões. O objetivo é entender com mais clareza e orientar de acordo com o cenário que se apresenta”, explicou.

Atualização

Na ocasião, o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, apresentou as atualizações do Minas Consciente.

“Atualmente, temos aderidos ao plano 647 municípios, o que representa um impacto em mais de 14 milhões de mineiros. Dessa forma, a maior parte do estado conta com ações coordenadas e voltadas para protocolos muito bem construídos pela SES-MG”, afirmou Fernando Passalio.

Nesta semana, o Minas Consciente também indicou o avanço para a onda amarela da macrorregião Nordeste. “Quando a sociedade local entende todas as premissas que devem ser observadas, isso reflete nos indicadores e também no avanço de onda. Dessa forma, a Noroeste, última macrorregião do estado situada na onda vermelha, avança para a amarela”.

Embora as regiões Centro Sul, Oeste e Triângulo Sul tenham retornado para a onda amarela, Fernando Passalio destacou que, do ponto de vista global, observa-se uma estabilidade.

Até o momento, a onda verde do plano Minas Consciente conta com 86 municípios e a amarela, com 767.

“Minas pode comemorar a não existência de regiões na onda vermelha. Isso significa na prática que todas as macros do estado possuem, no mínimo, autorização para que a maior parte dos segmentos não essenciais possam funcionar”, afirmou o secretário adjunto de Desenvolvimento Econômico.

]]>
Banco de notícias Thu, 24 Sep 2020 15:53:47 +0000
Fhemig abre vagas em diversas funções para atuar no Hospital Galba Velloso https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13638-fhemig-abre-vagas-em-diversas-funcoes-para-atuar-no-hospital-galba-velloso https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13638-fhemig-abre-vagas-em-diversas-funcoes-para-atuar-no-hospital-galba-velloso

Terminam nesta sexta-feira (25/09) as inscrições para o preenchimento de vagas emergenciais e temporárias para profissionais, em diversas funções, que irão atuar nos leitos clínicos de retaguarda da Unidade Alternativa de Assistência à Saúde – UAAS, no Hospital Galba Velloso.

Galba Velloso

São 108 vagas oferecidas, distribuídas entre médicos, fonoaudiólogo, assistente social, nutricionista, farmacêuticos, bioquímicos, fisioterapeutas respiratórios, enfermeiros, técnicos de enfermagem, técnicos de farmácia, técnicos de radiologia, técnicos de nutrição e auxiliares administrativos. Os salários variam de acordo com a função e a carga horária semanal (abaixo).

O edital, com todas as informações sobre o chamamento emergencial, está disponível na página da Fhemig, https://bit.ly/3i0I3NJ.

Função Carga horária semanal Vagas Vencimentos básicos*
Médico especialista 24 horas 7 R$ 5.801,50
Médico generalista 24 horas 25 R$ 3.960,16
Fonoaudiólogo 40 horas 1 R$ 3.464,43
Assistente Social 30 horas 1 R$ 2.645,82
Nutricionista 40 horas 1 R$ 3.464,43
Farmacêutico generalista 40 horas 4 R$ 3.464,43
Bioquímico, Farmacêutico bioquímico ou generalista (atuação: análises clínicas) ou Biomédico 40 horas 4 R$ 3.464,43
Fisioterapeuta respiratório 30 horas 6 R$ 3.845,24
Enfermeiro 40 horas 7 R$ 3.464,43
Técnico de Enfermagem 40 horas 25 R$ 1.755,96
Técnico de Enfermagem 30 horas 1 R$ 1.393,35
Técnico de Farmácia 40 horas 9 R$ 1.700,03
Técnico de Radiologia 30 horas 7 R$ 1.322,53
Técnico de Nutrição 40 horas 4 R$ 1.700,03
Auxiliar Administrativo 40 horas 6 R$ 1.427,73

* Excluídas vantagens inerentes à função exercida e local de atuação, a serem informadas na etapa de contratação.

]]>
Banco de notícias Thu, 24 Sep 2020 15:17:36 +0000
Regional de Montes Claros destaca importância do SUS no enfrentamento da covid-19 no Norte de Minas https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13637-regional-de-montes-claros-destaca-importancia-do-sus-no-enfrentamento-da-covid-19-no-norte-de-minas https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13637-regional-de-montes-claros-destaca-importancia-do-sus-no-enfrentamento-da-covid-19-no-norte-de-minas

“Pandemia Covid-19 no contexto da atual gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) no Norte de Minas Gerais” foi o tema de palestra proferida nesta quarta-feira (23/9), pela coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros (SRS), Agna Soares da Silva Menezes na XVI Semana de Economia promovida pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). Com a participação de acadêmicos e profissionais, o evento aborda os principais desafios que o país enfrenta no atual cenário econômico mundial.

Nesta quarta-feira, o foco das discussões foi centrado no “Papel da Saúde no Contexto Atual”. Na oportunidade, além da participação da Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG), profissionais da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) abordaram questões relativas à economia da saúde como campo de atuação para economistas, além das perspectivas da saúde e o desenvolvimento.

Durante a palestra, Agna Menezes ressaltou a importância que o SUS representa nos últimos 30 anos para a população brasileira e, sobretudo neste ano, em relação ao enfrentamento da pandemia da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Além da universalização dos atendimentos e atuação nas mais diferentes frentes de acolhimento das demandas de saúde da população, a coordenadora de vigilância epidemiológica da SRS de Montes Claros destacou que “entre outras ações, o SUS é que assegura a todos os segmentos da sociedade o acesso a tratamentos de baixa, média e alta complexidade. Isso contempla desde a disponibilização de vacinas, assistência farmacêutica, consultas e realização de exames até a realização de transplantes e outros tratamentos mais complexos”.

Quanto ao enfrentamento da pandemia da covid-19, Agna Menezes salientou que por meio do SUS os 86 municípios que compõem a região ampliada de saúde do Norte de Minas já receberam dos governos estadual e federal mais de R$ 239,3 milhões. Os recursos foram e continuam sendo investidos em atendimentos da população em Centros Covid; manutenção de barreiras sanitárias; contratação e qualificação de profissionais de saúde; monitoramento da pandemia; compra de insumos e equipamentos; adequação da estrutura física de estabelecimentos de saúde; ampliação de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTIs) e assistência farmacêutica.

Neste ano, por meio do SUS, a região ampliou para 253 o número de leitos de UTI e para 1 mil 408 os leitos clínicos. Atualmente, a taxa de ocupação de leitos de UTI no Norte de Minas por pessoas acometidas pela covid-19 está em 15,32%.

Ainda durante a palestra, Agna Menezes apresentou dados sobre o impacto da pandemia da covid-19 no sistema de saúde do Norte de Minas. A coordenadora explicou que que 63% dos óbitos notificados têm como vítimas homens. Por outro lado, 77,19% dos óbitos acometeram pessoas com mais de 60 anos, das quais 72% já possuíam outras comorbidades.

]]>
Banco de notícias Thu, 24 Sep 2020 15:00:55 +0000
Governo anuncia início do retorno das atividades escolares presenciais https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13636-governo-anuncia-inicio-do-retorno-das-atividades-escolares-presenciais https://www.saude.mg.gov.br/servidor/banco-de-noticias/stories/13636-governo-anuncia-inicio-do-retorno-das-atividades-escolares-presenciais

Com tendência de estabilização da pandemia no estado, o Governo de Minas Gerais definiu, nesta quinta-feira (23/9), a data de 5 de outubro para o início do retorno às atividades escolares presenciais. Esse é o primeiro movimento para a volta gradual às aulas presenciais em todo o estado. Seguindo rígidas regras e protocolos sanitários, as escolas públicas e privadas poderão retornar às atividades presenciais apenas nas regiões inseridas na onda verde do plano Minas Consciente. Já o ensino superior poderá voltar às aulas presenciais nas regiões contempladas na onda amarela do plano, sendo que faculdades poderão retornar às atividades presenciais já na próxima semana.

Crédito: Pedro Gontijo | Imprensa MG

O secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, explicou que as definições foram baseadas em estudos técnicos e epidemiológicos do Comitê Extraordinário Covid-19, levando em conta a controlada taxa de ocupação dos leitos, índices estáveis de transmissão e contágio, além do controle de surtos e a tendência geral de queda de casos e óbitos diários da covid-19.

“Temos alguns pontos em comum com os países que tiveram avaliação satisfatória para abrir as escolas. Primeiro, eles estavam em curva de contágio estável e decrescente, como estamos em Minas. Depois, a adoção de medidas sanitárias de distanciamento, o que orientamos desde o início da pandemia e a cada dia aprimoramos mais. E o monitoramento constante, que é a característica do Minas Consciente, o que fazemos há cerca de cinco meses”, disse o secretário.

Na prática, os cursos de educação superior, incluindo graduação e pós-graduação, além de cursos de formação livres, estarão aptos a retornar às atividades presenciais nas regiões inseridas na onda amarela do plano Minas Consciente. As aulas nessas instituições estão autorizadas a partir da publicação do protocolo sanitário da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), previsto para a próxima semana, com recomendações como distanciamento social e uso de máscaras de proteção.

Protocolo e autonomia

Já a educação básica, incluindo a educação infantil e os ensinos fundamental e médio, poderão retornar presencialmente apenas nas regiões incluídas na onda verde do Minas Consciente. A partir da publicação do protocolo sanitário do Estado, a decisão da abertura de quaisquer escolas será dos municípios, segundo o secretário Geral Mateus Simões. “Onde os municípios não autorizarem a reabertura, ela não ocorrerá, assim como é no Minas Consciente. O poder municipal é a palavra final em cada cidade. E cada escola decidirá as suas próprias estratégias no que diz respeito ao ensino particular, assim como as municipais no que diz respeito ao município”, disse.

O protocolo de saúde será único e aplicado a todas as escolas. As redes particular e municipal, no entanto, terão autonomia para definir a estratégia de retorno, como a ordem das turmas que retornarão às salas de aula e se as aulas já começarão no dia 5/10.

No caso das 3,6 mil escolas estaduais, a secretária de Educação Julia Sant’Anna explicou que a volta às atividades presenciais dos alunos do 3º ano do ensino médio está prevista para o próximo dia 19 de outubro. Antes disso, a partir do dia 5 de outubro, professores e diretores serão convocados para o planejamento do retorno. A partir de orientações da Secretaria de Estado de Educação (SEE), em conjunto com as evoluções de ondas do plano Minas Consciente, gradualmente outras turmas retornarão, seguindo os critérios sanitários de segurança definidos pelo governo.

Frequência

Nas escolas estaduais não haverá falta ou perda do dia letivo para os alunos que não comparecerem às aulas presenciais, pois será mantido o regime de estudo não presencial, que é integrado pelas teleaulas, pelo aplicativo Conexão Escola e pelo Plano de Estudo Tutorado (PET). Como ressalva, pessoas com mais de 60 anos e com comorbidades serão dispensadas das atividades presenciais.

“Não será obrigatório, por isso vamos manter as aulas online. Entendemos que o 3º ano tem a situação mais difícil e complicada, tendo em vista a aproximação do Enem. E reforçando o ponto de que a oferta das estratégias presenciais será progressiva e realizada com todo o cuidado. As aulas presenciais estarão focadas em fixação dos conteúdos que já vêm sendo trabalhados na educação remota”, explicou a secretária.

Minas Consciente

A decisão de retorno às atividades escolares presenciais também é respaldada no atual momento epidemiológico no estado, que não tem nenhuma região na chamada onda vermelha, a mais restritiva do plano Minas Consciente. Todas as regiões estão na onda amarela, com exceção da Norte, que se encontra na onda verde. Uma situação que favorece as condições para o retorno educacional responsável, segundo o secretário adjunto da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio.

“Hoje, o estado só tem macrorregiões nas ondas amarela e verde. Ou seja, todo o estado poderá ter o retorno do ensino superior, sejam elas públicas ou privadas. É muito importante que os reitores e todo o corpo diretivo das instituições de ensino possam ter esse tempo para fazer o alinhamento estratégico do retorno”, esclareceu Passalio.

]]>
Banco de notícias Thu, 24 Sep 2020 12:24:35 +0000