Notícias https://saude.mg.gov.br Wed, 02 Dec 2020 10:28:50 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br Saúde estadual mantém recomendação de retorno das cirurgias eletivas https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13894-saude-estadual-mantem-recomendacao-de-retorno-das-cirurgias-eletivas https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13894-saude-estadual-mantem-recomendacao-de-retorno-das-cirurgias-eletivas

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) mantém o retorno gradual das cirurgias e procedimentos eletivos não essenciais no Sistema Único de Saúde (SUS), recomendado desde o dia 15 de outubro. A decisão foi baseada em parecer emitido pelo Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes), grupo técnico da SES-MG, considerando o risco de piora de quadros clínicos previamente observados devido ao aumento do tempo de espera e potenciais repercussões negativas para os resultados cirúrgicos dos pacientes. Outro ponto considerado foi a possibilidade de acúmulo da demanda preexistente de cirurgias eletivas.

Crédito: Pixabay

A recomendação é de que a retomada seja gradual no Sistema de Saúde de Minas Gerais, tanto nos setores público quanto privado. Para tanto, as informações epidemiológicas locais e regionais deverão ser consideradas pelos gestores, avaliando:

- redução sustentada de novos casos da covid-19 durante pelo menos 14 dias consecutivos na área geográfica de base populacional;

- existência de leitos hospitalares de média e alta complexidade disponíveis na instituição ou rede de serviços pactuados,

- e condição clínica do paciente e existência de sinais/sintomas indicativos de infecção pelo Sars-CoV-2.

O secretário de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, ressalta que a decisão deve ser regionalizada. “Os gestores municipais, juntamente com os gestores hospitalares, devem avaliar a situação da ocupação de leitos, o risco de desabastecimento de medicamentos destinados a cirurgias e, a partir destes dados, definir pelo retorno ou não das cirurgias eletivas em seus territórios”.

O secretário lembra, ainda, que Minas Gerais praticamente dobrou a capacidade assistencial da rede pública. Desde o início da pandemia, houve aumento expressivo do número de leitos no estado. Em relação aos leitos de UTI, por exemplo, em fevereiro a rede de saúde pública contava com 2.072 leitos; hoje, a rede possui 3.905. Também foram distribuídos 1.062 respiradores para os municípios, equipamentos essenciais para o funcionamento de leitos de alta complexidade.

“O planejamento feito pelo Governo de Minas e pela SES-MG possibilitou as condições necessárias para a reestruturação da rede de assistência à saúde. O objetivo do governo foi garantir que nenhum mineiro ficasse sem assistência no estado”, afirma o secretário.

Protocolo de retomada

A nota técnica que recomenda a retomada das cirurgias eletivas define, de acordo com as orientações do Ministério da Saúde (MS) e do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC), os protocolos de cuidados e biossegurança já estabelecidos para prevenção da transmissão, garantindo assim a segurança ao paciente e a equipe de saúde.

As normas de segurança deverão ser adotadas desde a seleção do paciente para a cirurgia até sua alta do serviço, bem como no período de convalescença em domicílio. Deve estar garantida a disponibilidade de equipamentos de proteção individual (EPIs), equipe treinada para tratar e cuidar dos pacientes e itens necessários ao suporte avançado à vida em casos de agravamento de complicações clínicas.

Além disso, as instituições devem implementar o distanciamento social para os funcionários, pacientes e visitantes. Deve-se também priorizar o agendamento de cirurgias cuja espera repercuta no prognóstico do paciente e os procedimentos que foram cancelados e adiados devido à pandemia.

Consentimento

A nota técnica traz ainda a recomendação de que, durante a avaliação pré-admissional para a cirurgia, os médicos conscientizem os pacientes sobre os riscos de exposição à covid-19 e suas possíveis consequências. Assim, o hospital deverá instituir Termo de Desistência Momentânea do Procedimento Cirúrgico, caso seja a vontade do paciente, sendo assegurado a ele a continuidade em fila de espera.

Clique aqui para conhecer a nota técnica que subsidia a orientação da SES-MG.

]]>
Banco de notícias Fri, 27 Nov 2020 17:30:07 +0000
Minas Gerais se estrutura para imunização contra covid-19 e adquire 50 milhões de seringas https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13884-minas-gerais-se-estrutura-para-imunizacao-contra-covid-19-e-adquire-50-milhoes-de-seringas https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13884-minas-gerais-se-estrutura-para-imunizacao-contra-covid-19-e-adquire-50-milhoes-de-seringas

Atento à corrida pela vacina contra a covid-19, o Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), já adquiriu 50 milhões de seringas agulhadas para que não faltem insumos para a imunização da população.
Nesta primeira etapa já foram investidos R$ 35,15 milhões provenientes de recurso federal e comprados por meio de processo licitatório não emergencial. A previsão é de que todos estes itens sejam entregues até o final deste ano.
“Tudo está sendo preparado para que Minas Gerais tenha capacidade de disponibilizar a vacina nos postos de saúde para todo cidadão mineiro”, disse o governador Romeu Zema.


Plano de Contingência
A compra destes insumos é parte do Plano de Contingência para Vacinação Contra a Covid-19, elaborado pela SES-MG e já em execução. O objetivo do plano é prever estratégias logísticas para garantir vacinas a todos os municípios do estado e, assim, neutralizar os efeitos negativos de uma corrida mundial para a aquisição dos itens.
“Como ainda não conhecemos as vacinas que serão aprovadas, o planejamento está focado, principalmente, na fase da pré-campanha, preparando todo o sistema de saúde para uma das maiores ações de vacinação do país”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, o médico Carlos Eduardo Amaral.

Ações e estrutura
A estruturação da Central Estadual da Rede de Frio - que assegura que todos os imunobiológicos mantenham suas características, desde o laboratório produtor até o momento da utilização - também já está em execução. Foram adquiridas 705 câmaras refrigeradas para serem doadas aos municípios e regionais de saúde. O investimento foi de R$ 4 milhões, provenientes de recurso federal.
O plano também estabelece resposta coordenada entre os diversos eixos que irão atuar diretamente na vacinação: vigilância em saúde, atenção primária à saúde, gestão, comunicação e segurança pública.
“É um plano operativo, que organiza e antecipa nossas ações para a imunização contra a covid-19. Estamos trabalhando para que não haja empecilhos nem dificuldades, quando as doses estiverem disponíveis”, afirmou o secretário de Saúde.
As 28 Unidades Regionais de Saúde de Minas Gerais estão sendo continuamente orientadas e atualizadas sobre os resultados envolvendo as pesquisas de vacina contra a covid-19 e todos os gestores municipais foram contactados para coparticipação na implantação do plano.

]]>
Banco de notícias Wed, 25 Nov 2020 20:42:48 +0000
Macrorregião Sul regride para a onda amarela do Minas Consciente https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13881-macrorregiao-sul-regride-para-a-onda-amarela-do-minas-consciente https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13881-macrorregiao-sul-regride-para-a-onda-amarela-do-minas-consciente

A macrorregião de Saúde Sul vai regredir para uma fase mais restritiva do Minas Consciente, plano elaborado pelo Governo do Estado para garantir a retomada gradual e segura da economia nos municípios mineiros.

O anúncio foi feito durante deliberação do Comitê Extraordinário Covid-19, nesta quarta-feira (25/11), que constatou o aumento de 50% da incidência da covid-19 nos últimos 14 dias no estado. Já considerando os últimos sete dias, a taxa subiu 17%.

Com a mudança, a macrorregião Sul passa da onda verde para amarela, que permite a abertura de serviços não essenciais com menor risco de contágio, como lojas de roupas e salões de beleza. A justificativa para o retrocesso foi a piora nos índices relacionados à doença, como aumento de casos na localidade.

Retificação

O Comitê Extraordinário Covid-19 também publicou uma retificação em relação à cidade de Teófilo Otoni. O município identificou um equívoco na duplicidade do preenchimento de novos casos da semana anterior. Desta forma, a macrorregião Nordeste, que estava na onda vermelha, passa para a onda amarela.

Mudança

As demais regiões na onda amarela são Vale do AçoLeste do SulSudeste e Nordeste.

Já as regiões que fazem parte da onda verde são Triângulo do NorteTriângulo do SulOesteCentroNoroesteNorteJequitinhonha e Centro-Sul, fase que possibilita a abertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio, como cinemas e bares com música ao vivo.

A região Leste é a única que permanece na onda vermelha, onde somente os serviços essenciais, como supermercados e farmácias, estão autorizados a funcionar.

Monitoramento

De acordo com o secretário de Estado de Saúde, o médico Carlos Eduardo Amaral, o Governo de Minas monitora 24 horas o comportamento da pandemia em todas as regiões, cabendo ao Comitê deliberar o avanço ou regressão das macrorregiões que compõem o estado.

“A vigilância em relação aos diferentes cenários em Minas é permanente. Novas alterações podem ser anunciadas a qualquer momento”, afirmou.

O secretário aproveitou para enfatizar sobre a necessidade de manter os cuidados básicos de prevenção à doença. “Ainda precisamos manter o distanciamento, uso de máscaras e higienização das mãos, conforme orientação desde o início da pandemia”, alertou.

Balanço

Até o momento, 657 cidades mineiras aderiram ao plano Minas Consciente, impactando 13,4 milhões de pessoas. Neste contexto, 537 cidades do estado com menos de 30 mil habitantes registraram incidência da covid-19 abaixo de 50 casos por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias.

Onda verde

As regiões Triângulo do NorteTriângulo do SulOesteCentroNoroesteNorteJequitinhonha e Centro-Sul permaneceram na onda verde* do Minas Consciente. Essa fase possibilita a abertura de serviços não essenciais com alto risco de contágio. São eles:

- Atividades artísticas, como produção teatral, musical e de dança e circo;

- Cinemas, bibliotecas, museus, arquivos;

- Parques, zoológicos e jardins;

- Feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê;

- Parques de diversão, discotecas, boliches, sinuca;

- Bares com entretenimento (shows e espetáculos);

- Serviços de colocação de piercings e tatuagens.


*Para avançar para a onda verde, as cidades precisam estar há 28 dias consecutivos na onda amarela, sem sofrer retrocessos durante esse período.

Onda Amarela

 

A região Sul se junta ao Vale do AçoLeste do SulSudeste e Nordeste na onda amarela, fase onde é permitida a abertura de serviços não essências, como:

- Bares (consumo no local);

- Autoescolas e cursos de pilotagem;

- Salões de beleza e atividades de estética;

- Comércio de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo;

- Papelarias, lojas de livros, discos e revistas;

- Lojas de roupas, bijuterias, joias, calçados, e artigos de viagem;

- Comércio de itens de cama, mesa e banho;

- Lojas de móveis e lustres;

- Imobiliárias;

- Lojas de departamento e duty free;

- Lojas de brinquedos;

- Academias (com restrições);

- Agências de viagem;

- Clubes.

Onda Vermelha

Leste permanece na onda vermelha, a mais restritiva do Minas Consciente, onde somente os serviços considerados essenciais são permitidos, como:

- Supermercados, padarias, restaurantes, lanchonetes, lojas de conveniência;

- Bares (somente para delivery ou retirada no balcão);

- Açougues, peixarias, hortifrutigranjeiros;

- Serviços de ambulantes de alimentação;

- Farmácias, drogarias, lojas de cosméticos, lavanderias, pet shop;

- Bancos, casas lotéricas, cooperativas de crédito;

- Vigilância e segurança privada;

- Serviços de reparo e manutenção;

- Lojas de informática e aparelhos de comunicação;

- Hotéis, motéis, campings, alojamentos e pensões;

- Construção civil e obras de infraestrutura;

- Comércio de veículos, peças e acessórios automotores.

]]>
Banco de notícias Wed, 25 Nov 2020 17:45:20 +0000
SES-MG prorroga campanhas de vacinação no estado https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13874-ses-mg-prorroga-campanhas-de-vacinacao-no-estado https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13874-ses-mg-prorroga-campanhas-de-vacinacao-no-estado

Diante da necessidade de proteger a população mineira de 20 a 49 anos contra o sarampo, crianças e adolescentes de até 15 anos e menores de 5 anos de idade, a Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) decidiu prorrogar as Campanhas Nacionais contra o Sarampo, contra a Poliomielite e a Multivacinação até o dia 4 de dezembro. A baixa procura pelas vacinas motivou o prolongamento do prazo para que mais pessoas possam ter oportunidade de se vacinar.

Até o momento, a Campanha Nacional de Vacinação Indiscriminada contra o Sarampo atingiu 36,5%. A meta preconizada pelo Programa Nacional de Imunização (PNI), do Ministério da Saúde (MS) é de 95%. A baixa cobertura pode ser explicada pelo receio da população em se dirigir até os postos de saúde, devido à pandemia de covid-19. A SES-MG esclarece que as unidades de saúde estão preparadas para oferecer as vacinas com segurança para que ninguém se contamine pelo novo coronavírus. Os profissionais foram devidamente treinados, estarão paramentados para se protegerem e protegerem o público por meio de equipamentos de proteção individual e os ambientes, devidamente higienizados conforme os protocolos sanitários emitidos pela SES-MG.

“É essencial que todas as pessoas que estejam incluídas como público-alvo das campanhas procurem uma unidade de saúde e sejam imunizadas. A vacinação deve ser um compromisso de todos, reforça Josianne Dias Gusmão, coordenadora Estadual do Programa de Imunizações da SES-MG. A coordenadora destaca, também, o objetivo de atualização da caderneta de imunização menores de 15 anos, o que garante o controle e a eliminação das doenças imunopreveníveis, como tétano, difteria, rubéola e caxumba.

vacina polio

A imunização em massa é a única garantia para a eliminação do risco de reintrodução de doenças já controladas, daí a importância da homogeneidade nas coberturas vacinais também em crianças de um ano a menores de cinco, público-alvo da Campanha Nacional contra a Poliomielite, que apresenta 77,76% de cobertura (meta preconizada pelo Programa Nacional de Imunização é de 95%). “Pais e responsáveis devem levar as crianças para tomarem a dose do Zé Gotinha, que tem imunizado toda a população brasileira, há décadas, contra a paralisia infantil, doença causada pelo poliovírus, contagiosa e que pode causar sequelas graves por toda a vida, salienta Josianne.

]]>
Banco de notícias Wed, 25 Nov 2020 08:42:20 +0000
Regional de Saúde de Teófilo Otoni participa do primeiro webinar sobre câncer de boca https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13921-regional-de-saude-de-teofilo-otoni-participa-do-primeiro-webinar-sobre-cancer-de-boca https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13921-regional-de-saude-de-teofilo-otoni-participa-do-primeiro-webinar-sobre-cancer-de-boca

Na última sexta-feira (27/11), por meio do canal no YouTube do Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais, a Regional de Saúde de Teófilo Otoni participou, juntamente com vários profissionais da saúde que trabalham direta e indiretamente com a saúde bucal. O objetivo principal foi o de alertar os profissionais da odontologia sobre a importância do seu papel no diagnóstico do câncer de boca e conscientizar os agentes de saúde bucal sobre a necessidade da prevenção da doença.

Na ocasião, o mestre e especialista em patologia bucal, Cássio Guimarães, falou sobre o “Impacto do diagnóstico precoce no tratamento oncológico: perspectiva da cirurgia”. O professor iniciou apresentando dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), estima-se que, nas Américas, a cada 100 mil habitantes, 172 têm câncer de boca. Segundo Cássio, o câncer de cavidade bucal não está inserido entre as cinco maiores causas de câncer no mundo. Contudo, numa perspectiva nacional, o câncer de boca aparece como a quinta maior causa de câncer entre os homens e a décima terceira entre as mulheres. De acordo com o Ministério da Saúde (MS), 80% dos casos de câncer de boca, quando diagnosticados no início e tratado da maneira adequada, tem cura. O professor ressaltou, ainda, o papel do Cirurgião Dentista de estar atento aos primeiros sinais do câncer bucal e direcionar o paciente para o tratamento adequado.

Crédito: Regional de Saúde de Teófilo Otoni

A atuação dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS’s) na detecção precoce do câncer de boca, também, foi um outro ponto do Webinar. A enfermeira e mestre em cuidado primário em saúde, Viviane Maia, ressaltou a importância desses profissionais na identificação das pessoas que apresentam sintomas da doença. “Através das visitas domiciliares de acompanhamento, esses agentes levam para a Unidade Básica de Saúde (UBS) às necessidades daquela comunidade”, afirma Viviane.

Os serviços odontológicos são ofertados pelas UBS’s distribuídas em todo país. De acordo com o MS, mais de 80 mil dentistas atendem hoje pelo Sistema Único de Saúde (SUS), sendo mais de 53 mil atuantes nas Equipes de Saúde da Família e Atenção Primária. Além de dentistas, a equipe também é formada por médicos, enfermeiros, ACS’s e técnicos de enfermagem que estão devidamente preparados para fazer o diagnóstico correto e orientar a população sobre o tratamento da doença.

Nesse contexto, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) intensifica as ações de promoção à saúde como a adoção de hábitos saudáveis, como forma de prevenir o câncer de boca e outras doenças.

Quer saber mais? Acesse: http://blog.saude.mg.gov.br/2020/10/15/cancer-de-boca/

]]>
Banco de notícias Wed, 02 Dec 2020 02:44:57 +0000
Imunização: Regional de Saúde de Leopoldina promove capacitação https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13920-imunizacao-regional-de-saude-de-leopoldina-promove-capacitacao https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13920-imunizacao-regional-de-saude-de-leopoldina-promove-capacitacao

A população e os profissionais de saúde aguardam, ansiosamente, a possibilidade de vacinação contra a covid-19 e pensando nisso, a Regional de Saúde de Leopoldina iniciou na última quinta-feira (26/11), uma capacitação para os profissionais dos 15 municípios da região sobre as atividades de imunização. Nessa primeira etapa, foram apresentadas formas de conservação e transporte das doses vacinais, além da montagem, do funcionamento e da manutenção da Câmara de Conservação (local de armazenamento das vacinas).

A produção, o armazenamento, o transporte e a distribuição de imunobiológicos, também, foram pontos abordados para auxiliar os municípios no armazenamento e conservação das vacinas, abrangendo: as formas de manutenção corretiva, preventiva e preditiva das instalações refrigeradas; como deve ser feito o transporte seguro das doses; como funcionam os termômetros que monitoram a temperatura dos locais de armazenamento/ caixas de transportes e como devem ser utilizadas as câmaras refrigeradas.

Crédito: Divulgação

A referência técnica em Imunização da regional, Elizabete Guimarães Santos Vieira, destacou a importância da capacitação: “O encontro foi bastante produtivo e possibilitou uma troca de experiências. A expectativa é que todos os profissionais que atuam nas Salas de Vacinas estejam alinhados com os protocolos técnicos do Programa Nacional de Imunizações para prestar um atendimento de qualidade aos usuários do SUS”, resumiu.

Na parte final do encontro foram apresentadas as formas de produção, composição, classificação e aplicação das vacinas. Também foram feitos os seguintes encaminhamentos: recomendação de elaboração de Procedimento Operação Padrão (POP) e Plano de Contingência, visando a organização dos serviços de saúde, no que tange aos processos de trabalho de rotina, já se antecipando ao planejamento para a operacionalização da Campanha de Vacinação contra a covid-19 em Minas Gerias, assim que estiver disponível a vacina.

Ao final da capacitação, teve espaço para o esclarecimento de dúvidas e para debater algumas questões. A segunda etapa da capacitação está prevista para ser realizada hoje (2/12), na parte da tarde, e irá discutir sobre o Calendário Nacional de Vacinação.

]]>
Banco de notícias Wed, 02 Dec 2020 02:24:20 +0000
Regional de Unaí promove videoconferência sobre Saúde Bucal https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13919-regional-de-unai-promove-videoconferencia-sobre-saude-bucal https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13919-regional-de-unai-promove-videoconferencia-sobre-saude-bucal

Na última quinta-feira (26/11), a Coordenação de Atenção à Saúde (CAS) da Regional de Saúde de Unaí promoveu uma encontro virtual sobre a retomada dos atendimentos odontológicos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), nos municípios que compõem a região de Saúde de Unaí, e sobre a prevenção do câncer de boca. Além da participação de profissionais habitualmente envolvidos na promoção à saúde bucal nos municípios (dentistas, auxiliares de saúde bucal e coordenadores da Atenção Primaria à Saúde – APS), participaram, também, a coordenadora regional de Regulação em Saúde (CREG), Leila Faria, e a coordenadora do Núcleo de Vigilância de Sanitária (Nuvisa) da regional, Larissa Rafael.

Crédito: Antônio Maria Ferreira

Durante o encontro, a coordenadora de Saúde Bucal da Secretária de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Jackeline Santos Silva, ressaltou a importância da contribuição entre áreas técnicas em prol da promoção à Saúde Bucal, em especial nos municípios do Noroeste do Estado: “Nossa intenção é levantar todas as dificuldades enfrentadas pelos municípios na promoção à Saúde Bucal. Após essa etapa de dimensionamento dos problemas enfrentados pelas equipes de Saúde Bucal nos municípios, vamos buscar em conjunto parcerias com finalidade de estabelecer ações resolutivas de longo prazo; visando melhorias nos serviços de atendimento odontológico no território de abrangência da Regional de Unaí”, salientou.

Além disso, a coordenadora, também, delineou as diretrizes do Cuida Minas, que define as estratégias de retorno dos serviços: “Fizemos uma apresentação sobre estratificação de risco; atendimentos inadiáveis; biossegurança no âmbito do atendimento odontológico para auxiliar as equipes de Saúde Bucal que atuam nas UBS, porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS), assim elas podem continuar prestando um serviço de qualidade aos usuários. Pontuamos sobre a importância de uma vigilância permanente em relação ao câncer de boca; suas formas de manifestações, grupos de risco, prevenção da doença e diagnóstico precoce. Discutimos, também, sobre uma forma de ter uma busca mais ativa desses pacientes; minimizar os danos causados pela doença e salvar vidas, por meio de um diagnóstico precoce do câncer de boca, seguido por um tratamento eficaz”, completou Jackeline Silva.

]]>
Banco de notícias Wed, 02 Dec 2020 01:50:14 +0000
Conecta SES: Regional de Saúde de Passos participa da terceira rodada https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13918-conecta-ses-regional-de-saude-de-passos-participa-da-terceira-rodada https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13918-conecta-ses-regional-de-saude-de-passos-participa-da-terceira-rodada

A Regional de Saúde de Passos participou do debate guiado da terceira rodada do Conecta SES que foi conduzido pela Subsecretaria de Gestão Regional (SUBGR) da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) junto aos coordenadores das Unidades Regionais de Saúde (URS’s). O Conecta SES é um projeto criado para promover o compartilhamento entre os setores e os mais de 4,6 mil servidores, com a finalidade de integrar as diversas áreas da saúde. O evento começou em novembro (16/11) e tem previsão de término nesta sexta-feira (4/12).

Realizado no formato virtual, através do canal SaúdeMG SES-MG no YouTube, o debate foi mediado pelo subsecretário de gestão regional, Darlan Venâncio Thomaz Pereira. “O espírito, a essência do Conecta é integrar as pessoas, permitir a articulação delas dentro de um determinado departamento, dentro da unidade regional e entre as unidades regionais”, ressaltou o subsecretário.

Crédito: Regional de Saúde de Passos

Na sequência, ele fez uma breve retrospectiva das fases já realizadas do Conecta SES, elogiando o empenho de todos ao discutirem os temas apresentados e cumprirem o objetivo proposto pelo projeto. “Nós fizemos todas as reuniões nas 28 Unidades Regionais de Saúde e no Nível Central, com todas as equipes das coordenações e das diretorias, com isso, temos 220 atas dessas primeiras reuniões”, pontuou. Após a apresentação inicial, os superintendentes foram convidados a debater as questões propostas: o que deu certo em 2020, o que não deu certo, as entregas do ano e o planejamento para 2021.

A superintendente da Regional de Passos, Kátia Rita Gonçalves, foi uma das convidadas a falar sobre o item “Integração com as unidades regionais”, e destacou a criação dos comitês macrorregionais covid-19, que uniu as regionais de saúde de uma forma positiva: “Hoje não tem mais essa divisão em quatro unidades regionais, hoje é uma só”, disse.

No encerramento, Darlan Thomaz deu a palavra para superintendentes e gerentes regionais avaliarem as rodadas iniciais do Conecta SES, sendo destacado como uma ferramenta importante para encurtar a distância entre as unidades, setores e servidores, conforme observou o gerente regional de saúde de Pedra Azul, Marcelo Barbosa Alves: “O Conecta é uma ferramenta que acaba fortalecendo e motivando os servidores a falarem”, comentou.

Kátia Gonçalves agradeceu à equipe da SUBGR pelos “vários momentos e oportunidades de estarmos juntos, pela troca de experiências” e aos coordenadores da Regional de Passos pelo esforço em se manterem no trabalho presencial durante a pandemia. “É uma equipe muito pequena com uma demanda muito grande. (Os coordenadores) estiveram comigo o tempo todo, do meu lado, e isso fez toda a diferença para que a gente conseguisse chegar aonde chegamos. A gente teve bons resultados nossa regional. Tivemos uma boa caminhada juntos com o Cosems Regional de Passos e, por incrível que pareça, a gente caminhou muito bem com os prestadores neste momento”, ressaltou a superintendente.

Acompanhe o Canal da SES-MG, no YouTube, acesse: https://www.youtube.com/c/SaúdeMGSESMG/featured

]]>
Banco de notícias Wed, 02 Dec 2020 01:31:16 +0000
Municípios têm até esta sexta-feira para chegarem à meta de vacinação https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13917-municipios-tem-ate-esta-sexta-feira-para-chegarem-a-meta-de-vacinacao https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13917-municipios-tem-ate-esta-sexta-feira-para-chegarem-a-meta-de-vacinacao

A maioria dos 27 municípios da jurisdição da Regional de Saúde de Passos ainda não cumpriu a meta de imunizar 95% do público-alvo das Campanhas de Vacinação contra a poliomielite e sarampo, prorrogadas até esta sexta-feira (4/12). Em média, foram aplicadas 37,40% das doses estimadas contra o sarampo e, não passou de 82,49%, o percentual de crianças protegidas do vírus causador da poliomielite; números que vêm preocupando técnicos em imunização do Ministério da Saúde (MS) e da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) que passaram a solicitar mais empenho dos gestores da saúde para aumentar a cobertura vacinal.

Na Regional de Passos, o Núcleo de Vigilância Epidemiológica (NUVEPI) voltou a insistir junto aos prefeitos e secretários municipais de saúde para que garantam maior cobertura vacinal e registrem, diariamente, no Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunização (SIPNI) as doses que forem aplicadas. “O cidadão a ser vacinado está no município e a responsabilidade de vaciná-lo compete às secretarias municipais, utilizando estratégias de alcance de cobertura e motivação”, diz a coordenadora do NUVEPI, Márcia Aparecida Silva Viana.

Crédito: Equipe de Imunização do município de Fortaleza de Minas

O município de Fortaleza de Minas é um dos que tem se esforçado para cumprir as metas de vacinação. Na campanha contra o sarampo, a equipe de imunização obteve o apoio dos agentes do Programa de Saúde da Família para ir até às pessoas que precisavam ser vacinadas contra o sarampo. Com essa estratégia, Fortaleza de Minas passou de 41,84%, em agosto, para 62,82%, em novembro, na cobertura vacinal. De acordo com a Coordenação de Imunização da SES-MG, no estado até 1/12, 37% das pessoas de 20 a 49 anos de idade tomaram a vacina contra o sarampo; das crianças, 79,46% estão imunizadas contra a poliomielite.

Para a Coordenação de Imunização da SES-MG, esses números podem ser explicados mais pela falta de registros das doses aplicadas no SINPI do que pelo desinteresse dos pais em vacinarem seus filhos ou dos adultos em se proteger do sarampo. Em outubro, apenas 33 municípios registraram doses no sistema de informações, em novembro esse número passou para 820. “Com isso, vemos que os municípios não têm realizado o registro, diariamente, no site do SINPI”, ressaltou a Coordenação de Imunização.

]]>
Banco de notícias Wed, 02 Dec 2020 00:30:22 +0000
Atenção em Saúde Bucal: Regional de Ponte Nova realiza videoconferência https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13916-atencao-em-saude-bucal-regional-de-saude-de-ponte-nova-realiza-videoconferencia https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13916-atencao-em-saude-bucal-regional-de-saude-de-ponte-nova-realiza-videoconferencia

A Coordenação de Atenção à Saúde (CAS) da Regional de Saúde de Ponte Nova realizou um encontro virtual com dentistas, integrantes das equipes de Saúde Bucal e coordenadores da Atenção Primária à Saúde (APS) dos municípios pertencentes a sua área de abrangência, na última quinta-feira (26/11). O tema central foi a “Atenção em Saúde Bucal em Tempos Trans Covid-19”, com foco no monitoramento dos Planos de Ação Municipal para a Reorganização dos Serviços em Saúde Bucal no Sistema Único de Saúde (SUS) e recursos destinados à área por meio de portarias do Ministério da Saúde (MS).

Segundo a coordenadora da CAS, Saskia Maria Albuquerque Drumond, é essencial a compreensão das equipes sobre o cenário da pandemia e as novas exigências do momento: “É preciso que haja um alargamento de horizontes, contemplando diversas possibilidades de ação e de cuidado. Não se justifica considerar a Saúde Bucal de forma isolada. Ela deve estar, mais do que nunca, conectada à APS, aos processos de gestão e ao território”, enfatizou.

A referência técnica em Saúde Bucal da CAS, Alessandra Dias da Silva, conduziu a apresentação, lembrando sobre as Notas Técnicas COES Minas Covid-19 nº 11 de 24/3/2020 e nº 68 de 20/7/2020; ambas contêm orientações relacionadas ao atendimento odontológico no cenário de enfrentamento da doença causada pelo novo Coronavírus (covid-19); a de nº 67 de 20/7/2020 contempla o uso das tecnologias nas práticas odontológicas nos serviços públicos de saúde bucal do SUS em tempos trans e pós-covid-19. “Mas não podemos estagnar. Todas as notas técnicas são dinâmicas e passíveis de mudanças diante dos cenários epidemiológicos vividos”, observou a referência técnica.

Crédito: Regional de Saúde de Ponte Nova

Sobre as tecnologias, Alessandra trouxe os conceitos de teleodontologia, telemonitoramento, teleorientação e teleconsultoria como novas frentes de atuação da área. “Em todos os momentos, deve-se, preferencialmente, manter o contato inicial com o usuário de forma remota. Cabe ao dentista fazer o planejamento de como e quando irá realizar os atendimentos, através de uma agenda programada. É importante, também, que se identifique a necessidade de atendimento presencial, com destinação do primeiro horário aos usuários de grupo de risco da covid-19. Os atendimentos de urgência/emergência para pessoas sintomáticas ou com confirmação ou suspeita da doença, devem ser agendados para o último horário”, orientou. A referência também enfatizou a necessidade de o dentista e a equipe estarem devidamente paramentados.

“Agora temos que planejar o trabalho conforme o Plano de Ação Municipal para a Reorganização dos Serviços de Saúde Bucal no SUS. Devemos pensar no papel do dentista como figura ativa nos processos gerenciais, com a previsão de alocação de recursos, organização espacial do consultório e recepção, fluxos de atendimento, protocolos de limpeza e descarte, entre outras questões”, enumerou, Alessandra.

Outro ponto destacado por ela foi a questão dos procedimentos odontológicos inadiáveis, ou seja, aqueles que, caso não realizados, podem determinar riscos para a saúde do indivíduo ou agravamentos de condições: “Por isso é tão importante trabalharmos com o planejamento e com um processo de tomada de decisão baseado em evidências científicas, de forma protocolar e não com base em impressões pessoais. Também, não podemos observar as preferências do paciente, mas sim as circunstâncias clínicas”, frisou.

A referência técnica ainda apresentou, brevemente, a classificação de casos de emergência, urgência e inadiáveis, ressaltando a importância de o dentista atuar junto às Equipes de Saúde da Família.

Cuida de Minas

Outro tema levantado na reunião foi a publicação do Cuida de Minas - Guia de Orientações para a Retomada dos Atendimentos Presenciais e Diretrizes para os Atendimentos Remotos nos Serviços Ambulatoriais e Hospitalares Eletivos, vinculados às Redes Temáticas no SUS. Nele, foram estabelecidas algumas diretrizes para a retomadas dos atendimentos eletivos, incluindo a Rede de Atenção à Saúde Bucal, com a definição de procedimentos conforme as ondas propostas pelo programa Minas Consciente.

Na Onda Vermelha é o momento de suspensão dos atendimentos eletivos com oferta de assistência odontológica de urgência/emergência; na Onda Amarela, deve ocorrer a suspensão dos atendimentos eletivos com oferta de assistência odontológica de urgência/emergência e de necessidades inadiáveis e na Onda Verde, é o momento da assistência odontológica de urgência/emergência e de necessidades inadiáveis e início de retomada dos atendimentos eletivos com base em critérios de risco e continuidade da atenção.

Em relação ao Minas Consciente, a referência técnica da CAS, Ana Flávia de Paiva Mendes, instruiu os presentes sobre o funcionamento das ondas, reforçando que o profissional da ponta deve estar ciente da situação epidemiológica e assistencial do seu município para orientar a população. “Estamos vivendo um momento de excesso de informações e, também, de desinformação; o que faz com que a sociedade se sinta perdida e com medo. O programa vem como uma forma de organizar a retomada da economia de uma forma planejada, cabendo a cada município ter a responsabilidade de analisar o seu cenário e decidir em qual onda vai ficar – conforme definições para a macrorregião e microrregião – com base em dados, na organização e na estrutura”, disse.

Financiamentos

A segunda parte da reunião foi destinada a comentar alguns recursos previstos em portarias do Ministério da Saúde, como as de nº 3.071 e nº 3.008, de 4/11/2020, que instituem, em caráter excepcional e temporário, incentivos financeiros de capital e custeio, respectivamente, para apoiar a assistência odontológica na APS e na Atenção Especializada no cenário de pandemia.

Para Saskia Drumond, é hora de os dentistas estarem integrados aos processos de gestão estratégica dos recursos do município: “Com a pandemia e as novas necessidades de organização dos consultórios odontológicos, passamos a entender que os recursos da APS são, também, da Saúde Bucal. E que, para tanto, os dentistas precisam estar inseridos nesse processo. Mais do que nunca, a Saúde Bucal está sendo valorizada em relação a financiamentos, quer seja por meio de recursos excepcionais, quer seja por meio de recursos contínuos”, finalizou.

]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 23:34:12 +0000
Covid-19: Norte de Minas decide aumentar a fiscalização de eventos neste final de ano https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13915-covid-19-norte-de-minas-decide-aumentar-a-fiscalizacao-de-eventos-neste-final-de-ano https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13915-covid-19-norte-de-minas-decide-aumentar-a-fiscalizacao-de-eventos-neste-final-de-ano

O Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES) da Macrorregião do Norte de Minas decidiu, na última quinta-feira (26/11), convocar todos os 86 prefeitos e secretários municipais de saúde do Norte de Minas para um encontro, por meio de videoconferência, no intuito de alinhar ações visando coibir a realização de festas de final de ano, bem como eventos que proporcionem aglomerações de pessoas, como a posse dos prefeitos eleitos, no dia 1/1/2021.

Pela regra aplicada à Deliberação 17, a distância para cada pessoa deve ser de 10 metros quadrados em eventos fechados e de 4 metros em eventos abertos. Em ambos os casos, o número máximo de presentes permitido por evento é de até 500 pessoas. As autorizações para eventos são válidas apenas para as cidades que estão na onda verde do Plano Minas Consciente, sendo que todos os protocolos de proteção, que incluem o uso de máscara e álcool em gel, são obrigatórios.

A proposta de realização do encontro foi apresentada pela superintendente regional de saúde de Montes Claros, Dhyeime Thauanne Pereira Marques, que também coordena o COES na região. A iniciativa recebeu adesão da promotora e coordenadora regional das Promotorias de Justiça e Defesa da Saúde da Macrorregião do Norte de Minas, Shirley Machado; da secretária municipal de saúde de Montes Claros, Dulce Pimenta; do presidente do Conselho de Secretários de Saúde de Minas Gerais (Cosems) na região de Pirapora, Ronaldo Soares; e do major da Polícia Militar (PM), Wellington Mourão.

Crédito: Regional de Saúde de Montes Claros

A superintendente regional salientou que apesar de, no momento, o Norte de Minas não apresentar indicativos de aumento de casos confirmados da covid-19, ao contrário do que está acontecendo em outras regiões do Estado e do país, “é preciso que os gestores municipais mantenham em vigor as medidas necessárias para o controle da transmissão do novo Coronavírus, evitando, com isso, a necessidade de adoção de medidas mais rigorosas visando garantir o isolamento e o distanciamento social da população”.

A superintendente lembrou ainda que o Plano Minas Consciente, que orienta a retomada segura das atividades econômicas nos municípios do Estado, conta com a adesão de vários municípios do Norte de Minas e prevê a proibição de realização de eventos que gerem aglomerações de pessoas e, com isso, facilite a disseminação da covid-19: “Caso isso aconteça, consequentemente, teremos impactos para o aumento das demandas de atendimento nos serviços de saúde e, principalmente, na ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI’s) nos hospitais”, pontuou.

A secretária de saúde de Montes Claros, Dulce Pimenta, salientou que, assim como aconteceu no primeiro semestre deste ano, quando a pandemia da covid-19 chegou ao Norte de Minas de forma mais tardia do que em outras regiões do Estado, “certamente a mesma situação acontecerá com o aumento de casos confirmados da doença, o que já está impactando várias regiões do país e de Minas Gerais. E precisamos ressaltar que, o aumento de casos da covid-19 na macrorregião traz impactos diretos aos serviços de saúde sediados em Montes Claros, principalmente, nas UTI’s”, observou.

Na mesma linha de raciocínio o presidente do Cosems na região de Pirapora, Ronaldo Soares, lembrou que, devido às eleições realizadas no dia 15/11 para a escolha de prefeitos e vereadores, “várias cidades passaram a registrar um aumento de casos confirmados da covid-19. Se a região não tomar providências no sentido de orientar os gestores municipais na proibição de se realizar eventos de final de ano, sobretudo no réveillon, bem como comemorações de posse dos novos prefeitos; certamente iniciaremos o ano de 2021 com considerável aumento de casos da doença no Norte de Minas; o que trará reflexos negativos para os serviços de saúde devido ao aumento das demandas de atendimento hospitar”, frisou.

Rigor

Por sua vez, o major Wellington Mourão anunciou que todas as unidades da Polícia Militar sediadas no Norte de Minas estão sendo orientadas para aumentar o rigor na fiscalização, visando coibir eventos que proporcionem a aglomeração de pessoas. “Todas as unidades da PM estão recebendo memorando orientando sobre a necessidade de aumentarmos a fiscalização de eventos, principalmente, os realizados de forma clandestina”, reforçou o major. 

Já a promotora, Shirley Machado, salientou que “o momento não é de tranquilidade e de relaxamento na adoção das medidas que visam conter a disseminação do novo Coronavírus. O Ministério Público está atento a situação e, nesse sentido, precisamos unir forças junto com a PM, com a Polícia Civil e com os gestores de saúde”, assinalou a promotora. 

“Lembramos que os responsáveis por promover eventos que gerem aglomerações de pessoas, neste momento de pandemia, estão sujeitos a penalidades por colocar em risco a saúde da população. Por isso, é importante que o COES convoque os gestores de saúde para traçar estratégias visando mantermos sob controle a pandemia e reforçar o papel que cada um tem a desempenhar para conter o avanço da transmissão do novo Coronavírus na região e em todo o estado”, concluiu a promotora.

]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 22:16:23 +0000
Regional de Saúde de Ubá faz diagnóstico das Salas de Vacinas da região https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13914-regional-de-saude-de-uba-faz-diagnostico-das-salas-de-vacinas-da-regiao https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13914-regional-de-saude-de-uba-faz-diagnostico-das-salas-de-vacinas-da-regiao

A equipe da Regional de Saúde de Ubá realizou um diagnóstico das Salas de Vacinas instaladas nas 31 cidades sob sua jurisdição no intuito de saber o atual cenário das salas, preparar a logística de conservação e aplicação para aguardar a chegada da vacina contra a covid-19. Das 86 salas ativas que realizam vacinação de rotina e em campanhas, 77 responderam ao questionário e contribuíram para a construção de um planejamento baseado no Plano de Contingência para Vacinação contra a covid-19, elaborado pelo Governo de Minas Gerais.

Crédito: Wallan MacDonald

No mês de novembro (16/11), foi indexado um formulário permitindo o levantamento de dados importantes para melhorar a estrutura e a qualidade dos serviços prestado nessas unidades. “Conseguimos obter informações, por exemplo, sobre o número de profissionais presentes nessas salas: 50,6% relataram que possuem pelo menos dois profissionais que atuantes, mas 54,5% disseram que não possuem funcionário exclusivo para atuar”, contou o responsável pelo setor de imunização da Regional de Saúde de Ubá e quem coordenou a pesquisa, Wallan MacDonald.

Outros aspectos também foram apresentados no relatório das Salas de Vacinas: “Foi observado que 97,4% das salas são exclusivas para as atividades de imunização; 98,7% é de fácil acesso para a população e a maioria atende as exigências das normas preconizadas pela CGPNI/ANVISA; além disso 98,7% possui ar condicionado e 94,8% mantém a temperatura aceita pelo PNI (entre 18ºC a 20ºC). No entanto, foi percebido que 54,5% das unidades não possui um programa de manutenção preventiva e/ou corretiva para a câmara refrigerada. Das unidades que responderam ao questionário, 58,4% possui um plano de contingência, para situações de emergência, como queda de energia elétrica ou falha nos equipamentos”, acrescentou Wallan.

O relatório foi encaminhado a todas as Secretarias Municipais de Saúde sob a jurisdição da Regional de Ubá. “Temos a expectativa que teremos a vacina contra a covid-19 e queremos que nossa região esteja apta para realizar a imunização o mais ágil possível, por isso o nosso empenho em fazer esse estudo detalhado sobre essas salas. Agora que identificamos as fragilidades, estamos disponíveis para qualquer município que precise de apoio técnico. Sugerimos que é de extrema importância que cada Secretaria Municipal realize o próprio diagnóstico situacional e trace um plano para sanar todas as irregularidades presentes. A Regional de Saúde de Ubá tem o dever de apoiar e orientar os municípios, sendo assim, nossos profissionais estão prontos para auxiliá-los e orientá-los na execução das ações, caso se faça necessário”, afirmou a diretora da regional, Aline de Almeida Prado.

]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 21:39:35 +0000
Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais lança campanha sobre métodos de prevenção combinada contra o HIV https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13913-secretaria-de-estado-de-saude-de-minas-gerais-lanca-campanha-sobre-metodos-de-prevencao-combinada-contra-o-hiv https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13913-secretaria-de-estado-de-saude-de-minas-gerais-lanca-campanha-sobre-metodos-de-prevencao-combinada-contra-o-hiv

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) lançou hoje, 1/12, Dia Mundial de Luta contra a AIDS, campanha para conscientizar a população sobre as formas de Prevenção Combinada do HIV que o Sistema Único de Saúde (SUS) disponibiliza. A campanha também enfatiza a importância do diagnóstico precoce, incentivando a procura por testes nas unidades de saúde.

Celebrado no dia 1/12, o Dia Mundial de Luta contra a AIDS busca reforçar a necessidade da prevenção, promover o entendimento da população sobre o agravo e incentivar ações referentes ao tratamento, também. A data foi instituída em 27 de outubro de 1988 pela Assembleia Geral da ONU e pela Organização Mundial de Saúde (OMS), cinco anos após a descoberta do vírus HIV.

Para a campanha foram desenvolvidos spot, animações curtas, atualização de capas e posts para redes sociais, séries para os stories, stickers para WhatsApp e banner para o site da SES-MG. Conheça o material clicando aqui. (saúde.mg.gov.br/aids) “Buscamos, com a campanha, ampliar a divulgação da estratégia de Prevenção Combinada, tornando-a mais abrangente. Também focamos na importância do diagnóstico, informando às pessoas que nas Unidades Básicas de Saúde é possível ter acesso ao teste rápido de HIV, de forma segura e sigilosa. Esperamos estimular as pessoas a buscarem ativamente o SUS para prevenção, diagnóstico e tratamento da AIDS”, explica Virginia da Silva, assessora de comunicação da SES-MG.


Prevenção Combinada

Entre os métodos de prevenção que podem ser combinados, estão: uso do preservativo masculino e ou feminino, a testagem regular para o HIV, que pode ser realizada gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS); a prevenção da transmissão vertical (quando o vírus é transmitido para o bebê durante a gravidez); o tratamento das infecções sexualmente transmissíveis e das hepatites virais; a imunização para as hepatites A e B; programas de redução de danos para usuários de álcool e outras substâncias; profilaxia pré-exposição (PrEP); profilaxia pós-exposição (PEP); e o tratamento de pessoas que já vivem com HIV.

Mandala

 

Acesso ao diagnóstico


O acesso à testagem é essencial para que a pessoa possa iniciar o tratamento, garantindo-lhe uma boa qualidade de vida. O Sistema Único de Saúde oferece o teste rápido, que é prático e de fácil execução, e também a sorologia convencional (exame de sangue). Os testes estão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e também nos Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA).

Os exames devem ser realizados com regularidade e sempre que o indivíduo tiver passado por uma situação de risco, como a prática do sexo sem camisinha.

Atualmente, existem 75 Centros de Testagem e Acolhimento em Minas Gerais e estes são responsáveis pelo atendimento de prevenção, diagnóstico e tratamento de HIV/ AIDS e Hepatites Virais.

Tratamento
No Brasil, desde 1996, todas as pessoas diagnosticadas com HIV/Aids recebem tratamento gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em Minas Gerais, aproximadamente 30.000 usuários retiram o medicamento mensalmente pelo SUS.

“O tratamento consiste no uso de antirretrovirais (ARV) que ajudam a evitar o enfraquecimento do sistema imunológico e são fundamentais para aumentar o tempo e a qualidade de vida das pessoas que vivem com HIV. Também reduzem o número de internações e infecções por doenças oportunistas”, explica a coordenadora de Infecções Sexualmente Transmissíveis, AIDS e Hepatites Virais da SES-MG, Mayara Marques.
O usuário tem acesso aos medicamentos antirretrovirais logo após o diagnóstico positivo para HIV. A medicação é retirada nas Unidades de Dispensação de Medicamentos (UDM) que funcionam de forma integrada com o Serviço de Atendimento Especializado (SAE) e o Centro de Testagem Aconselhamento (CTA). Todos estes serviços são responsáveis pelo atendimento de prevenção, diagnóstico e tratamento de HIV/ Aids e Hepatites Virais.

]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 19:05:14 +0000
Saúde Mental: SES-MG viabiliza assistência a profissionais da linha de frente da covid-19 https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13912-saude-mental-ses-mg-viabiliza-assistencia-a-profissionais-da-linha-de-frente-da-covid-19 https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13912-saude-mental-ses-mg-viabiliza-assistencia-a-profissionais-da-linha-de-frente-da-covid-19

A Resolução nº 7.303, publicada em 18/11/2020 pela Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais (SES-MG), abre a possibilidade para que municípios de todas as regiões do Estado façam adesão à obtenção de incentivo financeiro, em caráter excepcional, destinado à contratação de equipe complementar em saúde mental para atendimento aos profissionais que atuam na assistência aos pacientes com suspeita ou confirmação de terem contraído a covid-19.

Crédito: Divulgação

Os 54 municípios que integram a área de atuação da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros já receberam orientações quanto à adesão ou não à resolução. As equipes deverão ser compostas por assistente social; enfermeiro; psicólogo; médico clínico e psiquiatra. Os trabalhos das equipes deverão ser executados por período de seis meses consecutivos, dentro do prazo de 12 meses para execução do recurso financeiro.

De acordo com a resolução, o atendimento aos profissionais de saúde será prestado nos municípios que possuem Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) habilitados pelo Ministério da Saúde (MS). Os centros deverão garantir o acolhimento de todos os profissionais de saúde do município e do território referenciado, conforme fluxo da Rede de Atenção Psicossocial (RAPS). 

Todos os profissionais contratados deverão ter experiência na área de saúde mental, preferencialmente nos serviços da Rede de Atenção Psicossocial, entre elas a Atenção Primária à Saúde (APS) ou CAPS. Caberá às coordenações ou referências técnicas municipais de saúde mental organizar a forma de processo de trabalho das equipes complementares junto aos serviços de APS, CAPS, Centro de Referência de Saúde do Trabalhador (Cerest) e os demais pontos da rede. 

A proposta de adesão à resolução deverá ser apresentada pelos municípios, por meio de sistema informatizado, para as gerências ou superintendências regionais de saúde. O município que possuir dois ou mais centros de atenção psicossocial deverá elaborar proposta de adesão e interesse de forma a descrever quais unidades serão consideradas para o recebimento do recurso. Após análise das propostas, a SES-MG divulgará, por meio de resolução específica, os municípios aptos ao recebimento do incentivo financeiro após assinatura de termo de compromisso.

O monitoramento do processo de trabalho das equipes complementares em saúde mental será realizado por meio de parecer técnico assistencial a ser elaborado pela coordenação ou referência técnica em saúde mental dos municípios e deverá ser enviado, mensalmente, às gerências ou superintendências regionais de saúde. Entre outras informações, no parecer os municípios deverão constar as ações desenvolvidas pelos profissionais contratados e a descrição das instituições de saúde nas quais foi realizada a articulação para o atendimento dos profissionais de saúde.

A psicóloga e referência técnica em saúde mental da Regional de Saúde de Montes Claros, Alcina Mendes Brito, destaca a importância do trabalho a ser implementado no atendimento aos profissionais que atuam na linha de frente da covid-19: “Trata-se de uma iniciativa que contribuirá no cuidado àqueles que desde o início da pandemia arriscam suas vidas para cuidar da saúde da população. Acreditamos que a assistência aos profissionais de saúde poderá ser ampliada, contemplando todos os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que apresentarem alguma necessidade de apoio psicológico em decorrência da pandemia”, ressaltou.

Para saber mais da Resolução nº 7.303, acesse: https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/documents?start=20

]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 18:44:29 +0000
Regional de saúde de Ubá realiza encontro virtual da Rede de Cuidados à Pessoa com Deficiência https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13911-regional-de-saude-de-uba-realiza-encontro-virtual-da-rede-de-cuidados-a-pessoa-com-deficiencia https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13911-regional-de-saude-de-uba-realiza-encontro-virtual-da-rede-de-cuidados-a-pessoa-com-deficiencia

A capacitação para a Rede de Atenção à Pessoa com Deficiência dos 31 municípios, sob a jurisdição da Regional de Saúde de Ubá, teve como objetivo o de fortalecer a rede capacitando as Juntas Reguladoras e as Referências Técnicas dos municípios. Abordando assuntos como as atribuições e diretrizes de funcionamento, a importância da integração entre a Atenção Primária à Saúde (APS) e os serviços especializados em saúde, além dos fluxos de encaminhamento de usuários entre os serviços que atendem às pessoas com deficiência, o encontro aconteceu, por videoconferência, no mês de novembro.

Crédito: Keila Lima

“Tivemos um momento muito rico, em que pudemos contar com o apoio de toda a equipe da Coordenação Estadual de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência. Através da apresentação realizada pela coordenadora Renata Vaz e pela referência técnica Fabian Malheiros pudemos adquirir mais conhecimentos, esclarecer dúvidas, fazer colocações dentro da temática abordada, além das trocas de experiências e do estabelecimento de vínculo entre os atores envolvidos nessa rede”, disse a servidora da Coordenação de Atenção à Saúde (CAS) e referência técnica da Regional de Ubá, Ana Cristina Custódio, responsável pelo programa.

Os participantes relataram que conseguiram aprofundar o diálogo e iniciar as discussões para estabelecer fluxos e prioridades de atendimento. “A capacitação foi muito importante porque nos orientou sobre a funcionalidade da Junta Reguladora e sobre as Referências Técnicas Municipais. Foi esclarecedora porque salientou a necessidade de articular esforços nas áreas, não só de saúde, como de educação e assistência social, que são tão importantes na vida da pessoa com deficiência. Além disso, esclareceu algumas dúvidas que foram aparecendo ao longo das atividades da Junta Reguladora. Foi muito gratificante e vai ao encontro da nossa necessidade, que é da troca de experiências e de formação continuada”, comentou o assistente social da Policlínica de Ubá e membro da Junta Reguladora do município, Pedro Antônio Rodrigues Gazolla.

Para a diretora da regional, Aline Almeida, é importante ampliar essa presença junto aos municípios: “A iniciativa da Ana Cristina foi excelente, pois ainda que estejamos em uma pandemia, os serviços de saúde não param e, principalmente, os que realizam atendimentos às pessoas com deficiência. Foi aberto esse espaço para articulação e crescimento, dirimimos dúvidas e conseguimos direcionar nossa rede para ser fortalecida e estar cada vez mais próxima do cidadão”, afirmou.

]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 17:45:31 +0000
Regional de Saúde de Barbacena realiza a segunda etapa do Conecta SES https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13910-regional-de-saude-de-barbacena-realiza-a-segunda-etapa-do-conecta-ses https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13910-regional-de-saude-de-barbacena-realiza-a-segunda-etapa-do-conecta-ses

A direção, os coordenadores e os servidores da Regional de Saúde de Barbacena participaram de outra etapa do Conecta SES, realizada no dia 24/11, em que a superintendente regional de Barbacena, Hérica Vieira Santos, discutiu e alinhou as informações das coordenações e dos servidores para apresentar na ata geral e encaminhá-la, posteriormente, para a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), que realizará a etapa seguinte do programa. O conteúdo incluiu o mapeamento de entregas e ações de 2020 com os pontos positivos e negativos, além de um planejamento de ações para 2021.

Crédito: Regional de Saúde de Barbacena

O Conecta SES é um evento promovido pela SES-MG para mapear e planejar os processos de trabalho a partir do norteamento das perguntas: “O que fazemos? O que fizemos? O que faremos?” compreendido em três fases: os debates guiados; a semana Conecta SES com palestras virtuais e SES e a gestão municipal. O objetivo é embasar o planejamento para o próximo ano e aprimorar os processos de trabalho de todos os setores envolvidos da SES-MG desde o nível estadual, abrangendo os níveis regionais e municipais.

O evento será encerrado com a participação do secretário de estado de saúde, Carlos Eduardo Amaral, e sua equipe, com a divulgação das seguintes premiações: Projeto Institucional; boas práticas, colaboradores de destaque e colaboradores mais antigos. E, ao final, haverá, também, a participação do governador Romeu Zema.

]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 16:13:41 +0000
Regional de Leopoldina dá continuidade às discussões sobre Saúde Mental https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13909-regional-de-leopoldina-da-continuidade-as-discussoes-sobre-saude-mental https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13909-regional-de-leopoldina-da-continuidade-as-discussoes-sobre-saude-mental

A Gerência Regional de Saúde (GRS) de Leopoldina promoveu uma reunião do Colegiado de Saúde Mental que contou com a participação das Coordenadoras dos Centros de Atenção Psicossociais (CAPS) da região; profissionais da Regional de Saúde de Montes Claros; de médicas e enfermeiro do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e da Referência Técnica em Saúde Mental da Regional de Saúde de Leopoldina.

A reunião deu prosseguimento aos trabalhos do encontro realizado no mês de outubro (15/10), e foi iniciada com a apresentação do tema: Atenção à Crise na Saúde Mental, em que a psicóloga Alcina Britto, discorreu sobre o tema, além de relatar as experiências do trabalho realizado na Regional de Montes Claros. A profissional falou sobre os atendimentos: “Nosso trabalho consiste em tentar tocar o coração das pessoas, pois faz sentido para nós quando faz sentido para o outro, o qual somos responsáveis por cuidar”, resumiu.

Crédito: Regional de Saúde de Leopoldina

A referência técnica em saúde mental da Regional de Leopoldina, Antônia Cristina Melo, destacou o propósito do encontro: “O objetivo é estreitar o diálogo, promover a conversa para que o fluxo assistencial funcione objetivamente e que o atendimento seja resolutivo para os pacientes de saúde mental”, observou.

Em um segundo momento do encontro, foi discutida a estrutura de trabalho durante os atendimentos em que o paciente está em crise, as dificuldades e os desafios enfrentados pelos CAPS da região. A médica do SAMU, Ana Luíza Lamas de Barros, compartilhou com o grupo o processo de atendimento com êxito no município de Juiz de Fora, que por meio de algumas perguntas chaves, os atendimentos são direcionados.

A reunião foi encerrada com o compromisso de articulação entre as Regionais de Saúde de Leopoldina e de Juiz de Fora para a construção de um protocolo que possa embasar e nortear os atendimentos aos pacientes de saúde mental na região. 

]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 15:11:21 +0000
Funed lança edital de seleção para próxima turma do Mestrado em Biotecnologia https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13908-funed-lanca-edital-de-selecao-para-proxima-turma-do-mestrado-em-biotecnologia https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13908-funed-lanca-edital-de-selecao-para-proxima-turma-do-mestrado-em-biotecnologia

O edital para a seleção da terceira turma do Mestrado Profissional em Biotecnologia da Fundação Ezequiel Dias (Funed), que faz parte do Governo de Minas, já está disponível. As inscrições para o processo seletivo podem ser feitas das 8h do dia 7 de dezembro até às 16h do dia 13 de janeiro de 2021, horário de Brasília. Serão ofertadas 15 vagas aos profissionais com nível superior completo, conforme disponibilidade dos orientadores do Programa. As aulas começarão em março de 2021.

O processo seletivo seguirá as normativas contidas no Edital em acordo com o Regimento do Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia (PPGBIOTEC) e com o Estatuto da Funed. O Programa visa promover a formação de recursos humanos qualificados para atuação em setores produtivos, empresas de base biotecnológica e instituições de ciência e tecnologia, contribuindo para o desenvolvimento de produtos, processos e novas técnicas de análise e diagnóstico de base biotecnológica.

O Mestrado tem como área de concentração a Biotecnologia em Saúde e é constituído por duas linhas de pesquisa: 1- Bioprodutos e 2- Bioensaios e métodos diagnósticos. As inscrições poderão ser feitas pessoalmente ou enviadas pelos correios para o endereço informado no edital.

O processo seletivo será composto por três etapas: a primeira inclui o deferimento das inscrições para verificar se o candidato enviou a documentação completa e que atenda a todas as condições do Edital; a segunda é composta por uma prova de conhecimentos específicos, de caráter eliminatório e classificatório; a terceira de análise de currículo conforme cronograma (calendário do processo seletivo).

Para a diretora da Diretoria de Pesquisa e Desenvolvimento da Funed, Sílvia Fialho, 2020 foi um ano de muitos desafios e foi um orgulho manter as aulas em regime on-line. “Nossos alunos deram continuidade a seus trabalhos e teremos a formação da primeira turma de Mestres que defenderá suas dissertações a partir do início do próximo ano. O Mestrado em Biotecnologia em Saúde é um projeto que muito nos orgulha por ser um reconhecimento da capacidade científica e estrutural da Funed pela Capes, além de ser gratuito e pioneiro no Estado de Minas Gerais em sua área vocacional”, afirma Sílvia.

Clique aqui para acessar o edital.

Acesse os anexos do edital. 

]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 12:26:25 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 01/12/2020 https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13907-informe-epidemiologico-coronavirus-01-12-2020 https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13907-informe-epidemiologico-coronavirus-01-12-2020

Até o momento foram 419.655 casos confirmados*. Estão em acompanhamento* 26.895 casos e são 382.709 casos recuperados**. Estão confirmados 10.051 óbitos.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.
**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.
***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 01/12/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Acesse o Informe na íntegra, clique aqui.

 
]]>
Banco de notícias Tue, 01 Dec 2020 09:38:14 +0000
SES-MG realiza reunião sobre o cenário da covid-19 com representantes da Macrorregião Centro Sul https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13906-ses-mg-realiza-reuniao-sobre-o-cenario-da-covid-19-com-representantes-da-macrorregiao-centro-sul https://saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13906-ses-mg-realiza-reuniao-sobre-o-cenario-da-covid-19-com-representantes-da-macrorregiao-centro-sul

O secretário de estado adjunto de saúde, Marcelo Cabral, acompanhado de membros da equipe da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), se reuniram virtualmente com prefeitos, secretários municipais de saúde, membros do Ministério Público e equipes das Regionais de Saúde de Barbacena e São João del-Rei, que compõem a Macrorregião Centro Sul. O objetivo da reunião, realizada na última quinta-feira (26/11), foi o de tratar do atual cenário da pandemia no estado, além das ações de enfrentamento e dos indicadores do programa Minas Consciente.

O chefe de gabinete da SES-MG, João Pinho, apresentou os dados epidemiológicos e assistenciais da macrorregião e pontuou informações do Minas Consciente. Na ocasião o secretário adjunto observou que “a Centro Sul teve uma ascendência de casos, então, a orientação, neste momento, é de acompanharmos e nos acautelarmos”, alertou.

Crédito: Regional de Saúde de Barbacena

Os promotores de justiça e representantes dos municípios também colocaram suas preocupações diante do comportamento de parte da população que não tem cumprido devidamente as medidas de prevenção e isolamento social.

A Centro Sul tem se mantido na Onda Amarela dentro do programa Minas Consciente por precaução e alinhamentos realizados pelas reuniões semanais do Comitê Covid-19 da Macrorregião.

No site www.coronavirus.saude.mg.gov.br são disponibilizados diariamente os números de casos do boletim epidemiológico e o painel de monitoramento de casos com outros detalhamentos de todas as regiões do estado de Minas Gerais.

]]>
Banco de notícias Mon, 30 Nov 2020 23:26:16 +0000