Notícias https://www.saude.mg.gov.br Tue, 29 Sep 2020 21:03:21 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br Saúde apresenta protocolo sanitário para volta presencial às aulas no estado https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13665-saude-apresenta-protocolo-sanitario-para-volta-presencial-as-aulas-no-estado https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13665-saude-apresenta-protocolo-sanitario-para-volta-presencial-as-aulas-no-estado

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, apresentou na coletiva desta terça-feira (29/9), o protocolo sanitário de retorno às atividades escolares presenciais, no contexto da pandemia da covid-19.

Crédito: Fábio Marchetto

“A adoção de medidas de prevenção e controle é recomendada a todos, inclusive aos profissionais, aos responsáveis pelos alunos e aos próprios estudantes, promovendo assim um ambiente seguro. Dessa forma, a SES-MG entende que é preciso, minimamente, um tempo para que seja feita a estruturação de toda rede escolar com apoio psicossocial. É preciso fazer as adaptações necessárias, dando uma atenção especial para estudantes com deficiência e com condições de risco”, explicou.

O secretário reforçou, ainda, a importância de que toda a comunidade escolar esteja ciente dos benefícios e riscos a cada estratégia adotada, seja ela virtual, híbrida ou presencial, bem como os objetivos de cada uma.

Segundo Carlos Eduardo Amaral, embora o documento já seja reflexo do esforço de abarcar todas as variáveis possíveis, o documento passará por revisões e atualizações sempre que necessário, conforme demanda o dinâmico contexto apresentado pela pandemia.

“Naturalmente, o protocolo é passível de revisão a qualquer momento, mas entendemos que o mesmo está muito abrangente e nos parece ser muito adequado para orientar a atividade escolar para que  esse retorno seja o mais seguro possível”, afirmou.

O protocolo sanitário de retorno às atividades escolares presenciais traz definições como, por exemplo, recomendações de inspeção sanitária para reabertura de escolas, critérios mínimos para retomada das aulas presenciais, orientações para os trabalhadores do ambiente escolar e metragem para o fluxo de entrada nas escolas.

Clique aqui e confira o protocolo completo.

Revisão na curva de óbitos

Durante a coletiva, Carlos Eduardo Amaral também falou sobre a situação da curva de óbitos do estado.

“Ao observar a notificação por data de ocorrência, vemos que se mantém a tendência de queda que vinha se apresentando desde meados de julho. Ainda segundo as análises, quando fazemos avaliação por semana epidemiológica, vemos que o pico de óbitos foi na semana de número 33, período entre 9/8/2020 e 15/8/2020”, afirmou.

Até o momento, Minas Gerais registrou 292.291 casos confirmados da covid-19 e 7.259 óbitos.

Saúde apresenta protocolo sanitário para volta presencial às aulas no estado
 
Documento traz, entre outras definições, os critérios mínimos para retomada das aulas presenciais 

O secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, apresentou na coletiva desta terça-feira (29/9), o protocolo sanitário de retorno às atividades escolares presenciais, no contexto da pandemia da covid-19.

“A adoção de medidas de prevenção e controle é recomendada a todos, inclusive aos profissionais, aos responsáveis pelos alunos e aos próprios estudantes, promovendo assim um ambiente seguro. Dessa forma, a SES-MG entende que é preciso, minimamente, um tempo para que seja feita a estruturação de toda rede escolar com apoio psicossocial. É preciso fazer as adaptações necessárias, dando uma atenção especial para estudantes com deficiência e com condições de risco”, explicou.

O secretário reforçou, ainda, a importância de que toda a comunidade escolar esteja ciente dos benefícios e riscos a cada estratégia adotada, seja ela virtual, híbrida ou presencial, bem como os objetivos de cada uma.

Segundo Carlos Eduardo Amaral, embora o documento já seja reflexo do esforço de abarcar todas as variáveis possíveis, o documento passará por revisões e atualizações sempre que necessário, conforme demanda o dinâmico contexto apresentado pela pandemia.

“Naturalmente, o protocolo é passível de revisão a qualquer momento, mas entendemos que o mesmo está muito abrangente e nos parece ser muito adequado para orientar a atividade escolar para que  esse retorno seja o mais seguro possível”, afirmou.

O protocolo sanitário de retorno às atividades escolares presenciais traz definições como, por exemplo, recomendações de inspeção sanitária para reabertura de escolas, critérios mínimos para retomada das aulas presenciais, orientações para os trabalhadores do ambiente escolar e metragem para o fluxo de entrada nas escolas.

Clique aqui e confira o protocolo completo.

Revisão na curva de óbitos

Durante a coletiva, Carlos Eduardo Amaral também falou sobre a situação da curva de óbitos do estado.

“Ao observar a notificação por data de ocorrência, vemos que se mantém a tendência de queda que vinha se apresentando desde meados de julho. Ainda segundo as análises, quando fazemos avaliação por semana epidemiológica, vemos que o pico de óbitos foi na semana de número 33, período entre 9/8/2020 e 15/8/2020”, afirmou.
 
GRÁFICO
 
 
Até o momento, Minas Gerais registrou 292.291 casos confirmados da covid-19 e 7.259 óbitos.
]]>
Banco de notícias Tue, 29 Sep 2020 17:17:10 +0000
Estado divulga relato de sobreviventes da covid-19 em Minas https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13662-estado-divulga-relato-de-sobreviventes-da-covid-19-em-minas https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13662-estado-divulga-relato-de-sobreviventes-da-covid-19-em-minas

Na guerra invisível contra o coronavírus, os sobreviventes têm muito a contar. Sintomas, medos, angústia, assistência, fé e gratidão por ter sobrevivido à covid-19 estão nas histórias de cada pessoa que se recuperou da doença. De Norte a Sul, Leste a Oeste de Minas Gerais, há guerreiros dispostos a compartilhar sua vivência e contribuir para o combate ao vírus no estado.

Para somar forças nessa guerra que ainda não acabou, o Governo de Minas convidou esses sobreviventes para contar suas experiências. Desse trabalho, que demandou dois meses de apuração, em meio a relatos e escutas com auxílio das macrorregionais estaduais e assessorias de unidades de Saúde da capital e interior, nasceu o projeto #Sobrevivemosmg: um hotsite da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) com relatos emocionantes de pessoas que sobreviveram à doença.

Acesse: coronavirus.saude.mg.gov.br/sobrevivemosmg

“As histórias por trás dos números nos ajudam a enfrentar essa guerra invisível com esperança e atentos aos cuidados que devem continuar, ainda que os indicadores apontem para a possibilidade de queda na transmissão do vírus em Minas”, comenta o secretário de Estado de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, para quem o projeto é visto como mais uma importante ferramenta de comunicação no enfrentamento da covid-19 em Minas.

Nas redes sociais

A plataforma, lançada nesta terça-feira (29/9) e divulgada nas redes sociais da SES e do governo, conta com textos e vídeos feitos pelos próprios sobreviventes, além de entrevistas de especialistas sobre as sequelas que o coronavírus pode causar. O objetivo é que, a cada semana, dois relatos em vídeo de sobreviventes da covid-19 sejam divulgados nas redes sociais e na página do projeto.

As histórias são compartilhadas com os mineiros no momento em que Minas Gerais já soma mais de 200 mil recuperados da enfermidade e indicadores apontam para possibilidade de queda na transmissão da doença. Com sintomas leves ou graves, os entrevistados relembram os dias de angústia, os medos, a fé e a assistência que receberam nas unidades de terapia do Sistema Único de Saúde (SUS-MG) e na rede privada, o carinho de enfermeiros, de técnicos de Enfermagem e de médicos.

São pessoas que receberam alta sob aplausos de profissionais da Saúde ou que em casa conseguiram resistir à doença. Alguns ficaram com sequelas, emocional ou física, mas agradecem a todo momento por estarem vivos para poder contar essa história e se juntar ao Governo de Minas na luta contra o vírus.

Para participar

Para aumentar essa rede, o projeto #Sobrevivemosmg convida interessados em compartilhar sua história a mandar, pelo e-mail jornalismo@saude.mg.gov.br, relatos em vídeos para serem divulgados no hotsite e redes sociais da SES-MG.

Orientações

  • Grave o vídeo com o seu relato com o celular na horizontal (deitado);
  • A distância entre o celular e a pessoa filmada deverá ser de um braço esticado;
  • A imagem deve ser gravada da cintura para cima;
  • Procure lugares silenciosos para uma melhor qualidade do áudio;
  • Antes de gravar, desligue a internet do celular ou coloque no modo não perturbe para que mensagens não interrompam a filmagem;
  • Procure lugares iluminados, mas fique atento para o posicionamento correto da câmera: a luz deve estar de frente para a pessoa filmada;
  • Seja objetivo em seu relato. O vídeo não pode ultrapassar 3 minutos de duração;
  • O vídeo poderá ser enviado por e-mail. Qualquer dúvida, ligue para:(31) 3916-0617 ou 3916-0616.
]]>
Banco de notícias Tue, 29 Sep 2020 10:09:13 +0000
Vacinação antirrábica alcança mais 60% de animais em municípios da Regional de Saúde de Montes Claros https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13650-vacinacao-antirrabica-alcanca-mais-60-de-animais-em-municipios-da-regional-de-saude-de-montes-claros https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13650-vacinacao-antirrabica-alcanca-mais-60-de-animais-em-municipios-da-regional-de-saude-de-montes-claros

Seis municípios que integram a área de atuação da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Montes Claros já alcançaram a meta de vacinar 100% de cães e gatos dentro da Campanha Nacional de Vacinação Antirrábica, iniciada em agosto. Com a imunização de 18,7 mil animais, os municípios de Santo Antônio do Retiro, Riacho dos Machados, Novorizonte, Espinosa, Gameleiras e Monte Azul já superaram a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde e, com isso, nessas localidades a possibilidade de circulação do vírus causador da raiva está reduzido.

Até o momento, dos 54 municípios que integram a área de atuação da SRS de Montes Claros, 46 localidades já iniciaram a vacinação antirrábica. De acordo com dados repassados nesta semana pelos municípios, o índice de cobertura vacinal de cães e gatos já chegou a 60,88%, totalizando mais de 141 mil animais imunizados. A estimativa é de que mais de 232 mil animais devem ser vacinados.

As localidades que têm previsão de vacinar maior número de cães e gatos são: Montes Claros (55 mil 911); Janaúba (12 mil 808); Bocaiúva (11 mil 363); Francisco Sá (10 mil 202); Rio Pardo de Minas (9.476); Porteirinha (7 mil 967); Jaíba (7 mil 119); Taiobeiras (6 mil 807); Espinosa (6 mil 623); Salinas (6 mil 225) e Coração de Jesus (6 mil 088).

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Superintendência Regional de Saúde, Agna Soares da Silva Menezes, explica que a partir do momento em que as secretarias municipais de saúde buscam as vacinas na SRS, o prazo para a realização da Campanha é de 45 dias.

Créditos: Pedro Costa

“É de fundamental importância que os municípios agilizem a Campanha a fim de promover a cobertura vacinal nos cães e gatos e, dessa forma, evitar que transmitam o vírus da raiva a pessoas. Os nossos registros mostram que o último caso de raiva canina, em Minas Gerais, foi em 2012. E, anterior a esse caso, em 2006, sinalizando que os procedimentos adotados estão sendo eficientes para a prevenção do vírus rábico nos animais domésticos”, ressalta a coordenadora.

Para o êxito da campanha todos os municípios receberam orientações técnicas, inclusive em relação às providências que devem ser tomadas para que seja alcançada a meta de vacinação de 100% dos animais existentes em cada localidade.

Devido à pandemia da Covid-19 os municípios devem adotar várias medidas de segurança, entre elas o uso de luvas e máscaras por parte dos profissionais envolvidos com a vacinação; higienização constante das mãos com água e sabão; manutenção do distanciamento social; evitar aglomerações e contato físico com o proprietário dos animais e outras pessoas.

Dependendo da situação de cada município, a Secretaria de Estado da Saúde – (SES-MG) também recomenda que a vacinação seja realizada de casa em casa, evitando aglomerações e assegurando que todos os animais sejam vacinados dentro do prazo previsto.

“O contexto epidemiológico exige atenção e aprimoramento nas atividades de vigilância, tanto no ciclo urbano como silvestre. A campanha anual de vacinação antirrábica é uma atividade extremamente importante e necessária no processo preventivo”, observa o médico veterinário Milton Formiga, referência técnica da vigilância epidemiológica da SRS.

Transmissão

A raiva é uma doença infecciosa viral aguda que acomete mamíferos, inclusive o homem. É transmitida por morcegos, gambás, guaxinins e outros animais selvagens. É uma doença quase sempre fatal, para a qual a melhor medida de prevenção é a vacinação pré ou pós exposição ao vírus.

A raiva é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados, principalmente por meio da mordedura. Também pode ser transmitida pela arranhadura ou lambedura desses animais.

No ciclo urbano a raiva é passível de eliminação pela vacinação de cães e gatos, além da existência de medidas eficientes de prevenção, como a imunização humana; a disponibilização de soro antirrábico humano e bloqueios de foco.
O período de incubação é variável entre as espécies, mas pode levar de poucos dias a um ano, com uma média de 45 dias no ser humano, podendo ser mais curto em crianças.

Sintomas

Após o período de incubação, surgem os sinais e sintomas clínicos inespecíficos da raiva (fase prodrômica), que duram em média de dois a dez dias. O paciente apresenta mal-estar geral; pequeno aumento de temperatura; anorexia; cefaleia; náuseas; dor de garganta; entorpecimento; irritabilidade; inquietude e sensação de angústia.

Pode ocorrer inchaço, aumento da sensibilidade ao tato ou à dor, frio, calor, formigamento, agulhadas, adormecimento ou pressão no trajeto de nervos periféricos, próximos ao local da mordedura e alterações de comportamento.
A infecção da raiva progride, surgindo manifestações mais graves e complicadas, como: ansiedade e hiperexcitabilidade crescentes; febre; delírios; espasmos musculares involuntários, generalizados ou convulsões. Espasmos dos músculos da laringe, faringe e língua ocorrem quando o paciente vê ou tenta ingerir líquido, apresentando sialorreia intensa (“hidrofobia”).

Os espasmos musculares evoluem para um quadro de paralisia, levando à alterações cardiorrespiratórias, retenção urinária e obstipação intestinal. Observa-se, ainda, a presença de disfagia (dificuldade de engolir); aerofobia (medo de ficar ao ar livre); hiperacusia (irritabilidade a sons) e fotofobia (sensibilidade à luz).

O paciente se mantém consciente, com período de alucinações, até a instalação de quadro comatoso e a evolução para óbito. O período de evolução do quadro clínico, depois de instalados os sinais e sintomas até o óbito é, em geral, de dois a sete dias.

Tratamento

A confirmação laboratorial em vida, ou seja, o diagnóstico dos casos de raiva humana pode ser realizado pelo método de imunofluorescência direta, em impressão de córnea, raspado de mucosa lingual ou por biópsia de pele da região cervical.
A sensibilidade dessas provas é limitada e, quando negativas, não se pode excluir a possibilidade de infecção. A realização da autópsia é de extrema importância para a confirmação diagnóstica.

Quando a profilaxia antirrábica não ocorre e a doença se instala, pode-se utilizar um protocolo de tratamento da raiva humana, baseado na indução de coma profundo, uso de antivirais e outros medicamentos específicos. Entretanto, é importante salientar que nem todos os pacientes de raiva, mesmo submetidos ao protocolo, sobrevivem.

]]>
Banco de notícias Sat, 26 Sep 2020 08:58:22 +0000
Médico Psiquiatra da SRS Barbacena esclarece sobre o tema da Campanha de Valorização à Vida promovida no mês de setembro https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13647-medico-psiquiatra-da-srs-barbacena-esclarece-sobre-o-tema-da-campanha-de-valorizacao-a-vida-promovida-no-mes-de-setembro https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13647-medico-psiquiatra-da-srs-barbacena-esclarece-sobre-o-tema-da-campanha-de-valorizacao-a-vida-promovida-no-mes-de-setembro

Em apoio à programação da campanha de Valorização à Vida que é promovida pela Polícia Civil de Barbacena e do Estado de Minas Gerais durante o mês de setembro, a Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Barbacena tem incluído ações sobre tema, visando a importância do trabalho de saúde mental da população. Nesta matéria, o médico psiquiatra e servidor da SRS Barbacena, Dr. Carlos Eduardo Leal Vidal, traz informações e esclarecimentos pertinentes ao tema.

“O comportamento suicida, que inclui os pensamentos, as tentativas e os atos consumados, é um fenômeno humano complexo, universal e representa um grande problema de saúde pública em todo o mundo. Sua etiologia é multifatorial, compreendendo fatores biológicos, psicológicos e socioambientais, que interagem de forma complexa. Junto ao comportamento suicida encontram-se comportamentos autoagressivos sem intenção de morrer ou com intenção suicida desconhecida.

Os dois principais fatores de risco associados ao suicídio são a história de tentativa prévia e a presença de doença mental, destacando-se a depressão, transtorno bipolar, esquizofrenia e dependência de álcool e/ou drogas. A repetição de tentativas é um indicador de risco para a consumação do suicídio e toda ameaça de uma pessoa em situação de vulnerabilidade deve ser levada a sério, mesmo quando pareça falsa ou de caráter manipulador. Outros fatores associados ao comportamento suicida incluem história de abuso físico, sexual ou emocional, violência familiar, desemprego, presença de doenças graves e incapacitantes, perdas importantes, desesperança e outros.

O coeficiente mundial de suicídio situa-se em torno de 16 mortes/100 mil habitantes. No Brasil a taxa de mortalidade por suicídio é considerada baixa, em torno de cinco mortes/ 100 mil. Em números absolutos, porém, o Brasil está entre os dez países com o maior número de mortes por essa causa. Em Minas Gerais o coeficiente de mortalidade por suicídio aumentou de 5,3 óbitos/100 mil em 2007 para 7,0 óbitos/100 mil em 2017.

Na microrregião de Barbacena, compreendendo 15 municípios, o coeficiente médio no período de 1998-2012 foi de 6,9 óbitos/100 mil, atingindo a elevada taxa de 11,2 óbitos/100 habitantes em 2008. E, especificamente no município de Barbacena, um estudo apontou a cidade com taxa média de 8,8 suicídios/100 mil habitantes, o 4º maior coeficiente em cidades da Região Sudeste com população entre 100 e 200 mil habitantes.

Na área administrativa da SRS/Barbacena foram registrados 347 suicídios no período de 2013-2020 (dados sujeitos a revisão), sendo 76,9% no sexo masculino, 43,2% na faixa etária dos 40-59 anos. No mesmo período considerado, foram registradas 3036 lesões autoprovocadas (LAP) no banco de dados do SINAN. O predomínio foi do sexo feminino (69,1%).

Em relação às microrregiões de ocorrência, 45,2% foram em Lafaiete, 38,2% em Barbacena e 13,3% em Congonhas Não houve diferença numérica significativa entre município de ocorrência e de notificação.”

]]>
Banco de notícias Fri, 25 Sep 2020 16:12:56 +0000
Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika (29/09) https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13664-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-29-09 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13664-boletim-epidemiologico-de-monitoramento-dos-casos-de-dengue-chikungunya-e-zika-29-09

Desde o boletim publicado em 19/06, a SES-MG passa a divulgar também os casos confirmados de dengue, chikungunya e Zika. Em 2020, até o momento, Minas Gerais registrou 82.022 casos prováveis (casos notificados exceto os descartados) de dengue. Desse total, 55.377 casos foram confirmados para a doença. Quanto aos óbitos, em 2020, foram confirmados 11 óbitos pelo agravo. Há 53 óbitos em investigação.

Em relação à Febre Chikungunya, foram registrados, em 2020, até o momento, 2.370 casos prováveis da doença. Destes, 1.386 foram confirmados. Há 03 óbitos em investigação.

Já em relação à Zika, em 2020 foram registrados 387 casos prováveis. Destes, 123 foram confirmados para a doença.

» Clique aqui e confira o Boletim Epidemiológico de Monitoramento dos casos de Dengue, Chikungunya e Zika Vírus da SES-MG (atualizado em 29/09/2020).

» Clique aqui e confira a Tabela de Casos Prováveis de Dengue, zika e chikungunya por município nas quatro últimas semanas epidemiológicas (atualizado em 29/09/2020).

» Clique aqui e confira a Tabela de óbitos confirmados e em investigação em 2020 (atualizado em 29/09/2020).

]]>
Banco de notícias Tue, 29 Sep 2020 13:26:29 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 29/9/2020 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13663-informe-epidemiologico-coronavirus-29-9-2020 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13663-informe-epidemiologico-coronavirus-29-9-2020

Até o momento foram 292.291 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 27.865 casos e são 257.167 casos recuperados***. Estão confirmados 7.259 óbitos. São 28.941 casos de internação hospitalar na rede pública e privada e a letalidade da doença é de 2,5%.

Com o objetivo de apresentar a distribuição dos novos óbitos pela data em que ocorreram, foi realizada a inserção de novo gráfico no Boletim Epidemiológico, que informa o “Percentual de óbitos registrados nas últimas 24 horas, por data de ocorrência”.

Observa-se que, de modo geral, esse número retrata os novos registros notificados à SES/MG nas últimas 24h, mas que ocorreram em períodos anteriores. Desse modo, o aumento no número de óbitos registrados nas últimas 24h pode não representar um aumento na transmissão da COVID-19, mas a qualificação do sistema de informação, com encerramento de óbitos ocorridos anteriormente e que estavam em investigação.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 29/9/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Confira o Informe na íntegra clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Tue, 29 Sep 2020 11:51:01 +0000
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13661-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13661-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais

O secretário de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, e o secretário adjunto Marcelo Cabral respondem perguntas da imprensa em coletiva virtual nesta terça-feira (29/9), às 12h30‬.

Na ocasião, serão abordadas as ações do Governo do Estado na prevenção e enfrentamento ao coronavírus. Como medida preventiva à disseminação da pandemia, a transmissão será via redes sociais - Instagram da Saúde e Facebook do Governo de Minas.

Haverá, também, transmissão ao vivo pelo canal aberto da Rede Minas e pelo link www.redeminas.tv/.

As emissoras que quiserem reproduzir as imagens, de uso irrestrito, poderão acessar via satélite a Rede Minas.

- As perguntas devem ser enviadas até as 10h, desta segunda-feira (29/9), para e-mail: jornalismo@saude.mg.gov.br .
- Solicitamos que seja colocada no assunto do e-mail a seguinte frase - PERGUNTAS COLETIVA - para que possamos identificar.

Serviço:
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais
Data: 29/9/2020 (terça-feira)
Horário: ‪12h30‬
Local: Prédio Tiradentes – Cidade Administrativa – Belo Horizonte (MG)
Transmissão via redes sociais: Instagram - https://instagram.com/saudemg/
Facebook - https://www.facebook.com/governomg/

]]>
Banco de notícias Mon, 28 Sep 2020 18:07:30 +0000
SRS de Montes Claros repassa 269 mil doses de vacinas aos municípios para a Campanha de Multivacinação https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13660-srs-de-montes-claros-repassa-269-mil-doses-de-vacinas-aos-municipios-para-a-campanha-de-multivacinacao https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13660-srs-de-montes-claros-repassa-269-mil-doses-de-vacinas-aos-municipios-para-a-campanha-de-multivacinacao

A Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros (SRS) iniciou nesta segunda-feira, 28, o repasse de mais de 269 mil doses de vacinas para 54 municípios que compõem a sua área de atuação. A iniciativa dá início à operacionalização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação, que será realizada entre os dias 5 e 30 de outubro. O dia “D” de mobilização está marcado para dia 17.

A Campanha coordenada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) tem o objetivo de atualizar a caderneta de vacinação de crianças com idade a partir de um ano e de adolescentes até 15 anos. Em todo o país a meta é que a vacinação obtenha cobertura vacinal de, no mínimo, 95% do público-alvo. No caso da poliomielite, devem ser vacinadas mais de 11,2 milhões de crianças, sendo 1 milhão 034 residentes em Minas Gerais.

Créditos: Pedro Ricardo

A estimativa do Ministério da Saúde (MS) é de que nos 54 municípios que integram a área de atuação da SRS de Montes Claros, 92 mil 959 crianças devem ser vacinadas contra a poliomielite. Já a Multivacinação tem como público-alvo 175 mil 167 crianças e adolescentes com idade entre 6 e 14 anos.

Os dez municípios com maior número de pessoas que precisam ter a caderneta de vacinação atualizada são: Montes Claros (88 mil 860); Janaúba (17 mil 733); Bocaiúva (12 mil 090); Jaíba (10 mil 294); Salinas (9 mil 214); Porteirinha (8 mil 649); Rio Pardo de Minas (8 mil 386); Taiobeiras (8 mil 075); Espinosa (7 mil 534) e Coração de Jesus (6 mil 474).

Poliomielite

No caso da poliomielite, a vacinação visa reduzir o risco de reintrodução do poliovírus selvagem no país; oportunizar o acesso às vacinas; atualizar e aumentar as coberturas vacinais e diminuir a incidência de doenças imunopreveníveis.

A coordenadora de vigilância epidemiológica da Superintendência Regional de Saúde de Montes Claros, Agna Soares da Silva Menezes explica que o grupo alvo da vacinação contra a poliomielite é constituído por crianças com idade entre um e menores de cinco anos de idade. “Todas devem ser vacinadas indiscriminadamente, desde que já tenham recebido as três doses de vacina inativada do esquema básico. Já as crianças menores de um ano deverão ser vacinadas seletivamente, conforme as indicações do Calendário Nacional de Vacinação. ”

No caso de crianças com doenças febris agudas, moderadas ou graves o MS recomenda que a vacinação contra a poliomielite seja adiada até a solução do quadro, a fim de que não seja atribuída à vacina as manifestações de alguma doença. Por outro lado, diarreia e vômitos leves, não constituem contraindicações, porém é recomendado adiar a vacinação contra a poliomielite até a solução do quadro.

Nesta quarta-feira, 30, a Superintendência Regional de Saúde realizará videoconferência para o repasse de orientações sobre a realização da Campanha de Vacinação para as referências técnicas em imunização dos 54 municípios. “Devido à pandemia da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, é preciso que as secretarias municipais de saúde adotem medidas rígidas para manter o controle e prevenção da infecção, tratando de forma adequada os resíduos das injeções, além de proteger os trabalhadores da saúde e o público”, observa Agna Menezes.

Por sua vez, a referência técnica em imunização da SRS de Montes Claros, Mônica Rochido lembra que para evitar aglomeração de pessoas nas unidades de saúde, a orientação é para que a Campanha de Vacinação seja realizada em áreas bem ventiladas e desinfetadas com frequência. Deve-se garantir a disponibilidade de local para lavagem adequada das mãos tanto por parte dos usuários do sistema de saúde quanto para os trabalhadores das unidades.

Outra recomendação é que o número de acompanhantes de crianças e adolescentes deve ser limitado a uma pessoa, além da realização de triagem daquelas que apresentarem sintomas respiratórios antes da entrada no local de vacinação para evitar a propagação da covid-19.

Os trabalhadores dos serviços de saúde deverão realizar a higienização das mãos com frequência e não deverão utilizar telefone celular durante o atendimento aos usuários. Os trabalhadores que apresentarem sintomas como tosse ou febre não deverão comparecer ao trabalho e deverão procurar assistência médica.

Multivacinação

Também na Campanha de Multivacinação, o público-alvo são as crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade. Serão ofertadas todas as vacinas do calendário básico da criança e do adolescente visando diminuir o risco de transmissão de enfermidades imunopreveníveis, assim como reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal.

“Neste sentido, a atuação dos gestores das três esferas de governo, bem como dos profissionais de saúde é de relevância na organização das ações da Campanha de Multivacinação, pois ainda existem localidades que apresentam baixas coberturas vacinais criando, assim, condições para a formação de bolsões de pessoas suscetíveis às doenças imunopreveníveis. Como agravante, as condições de baixa renda e a desnutrição podem potencializar o risco de morte ou sequelas por doenças infectocontagiosas nessas localidades”, alerta o MS.

Para implementação da Campanha de Multivacinação estão sendo repassadas aos municípios as seguintes vacinas: BCG; Hepatite B; Penta; Pólio inativada e Pólio oral; Rotavírus; Pneumo 10; Meningo C; Febre Amarela; Tríplice Viral (sarampo, caxumba e rubéola); Tetra Viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela); DTP (difteria, tétano e coqueluche); Hepatite A; Varicela; Meningocócica ACWY; HPV quadrivalente (contra câncer de colo do útero, da vulva, da vagina, do ânus, pênis, orofaringe e as verrugas genitais).

]]>
Banco de notícias Mon, 28 Sep 2020 17:38:00 +0000
Regional de Unaí promove reunião sobre a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13659-regional-de-unai-promove-reuniao-sobre-a-campanha-nacional-de-vacinacao-contra-a-poliomielite-e-multivacinacao https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13659-regional-de-unai-promove-reuniao-sobre-a-campanha-nacional-de-vacinacao-contra-a-poliomielite-e-multivacinacao

Nesta quarta-feira (24/9), o Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador (Nuveast) da Gerência Regional de saúde de Unaí (GRS), promoveu uma reunião com as referências em imunização dos 12 municípios que compõem a região de saúde de Unaí. Na oportunidade, foi alinhado um conjunto de estratégias para aumentar a cobertura vacinal nos municípios e repassadas orientações acerca da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Multivacinação; como o público-alvo da campanha, as metas de cobertura, o registro de doses e os cuidados com a imunização durante a pandemia da covid-19.

A referência em Imunização do Nuveast, Luciene Lourenço Mota, destacou a importância de discutir estratégias para aumentar o alcance das campanhas de vacinação na região. “É preciso discutir com as referências municipais estratégias para mobilizar população, em seus territórios. Nós precisamos estabelecer parcerias com as escolas, as instituições privadas, as instituições religiosas, os veículos comunicação para que todos possam colaborar na divulgação das campanhas. Além disso, nós podemos promover ações de mobilização nas redes sociais e fazer também busca ativa desse público-alvo; só assim vamos conseguir aumentar nossos índices de imunização. Esse diálogo com as referências; busca melhorar a cobertura vacinal na região, que ainda está abaixo das metas estipuladas “, finalizou.

Créditos: Antônio Maria Ferreira

O coordenador de Vigilância em Saúde do município de Cabeceira Grande, Raul Silveira, acredita que os temas abordados no encontro vão ajudar na rotina de vacinação de seu município. “É importante para os municípios o direcionamento de estratégias de vacinação. Discutimos, durante a reunião, várias ações que servirão de orientação durante a campanha de vacinação contra a poliomielite. A expectativa é que nós podemos colocá-las em prática e alcançar as metas de vacinação estabelecidas para os municípios da região, concluiu.

Serviço:

Campanha Nacional Contra a Poliomielite

Período da campanha: 5 a 30 de outubro

Público-alvo: crianças da faixa etária 1 a 4 anos.

Dia D: 17 de outubro

Multivacinação

Atualização da caderneta de Vacinação da Criança e do Adolescente.

]]>
Banco de notícias Mon, 28 Sep 2020 17:34:46 +0000
SRS Passos prepara municípios para vacinação de crianças e adolescentes https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13658-srs-passos-prepara-municipios-para-vacinacao-de-criancas-e-adolescentes https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13658-srs-passos-prepara-municipios-para-vacinacao-de-criancas-e-adolescentes

O Núcleo de Vigilância Epidemiológica (NUVEPI) da Superintendência Regional de Saúde de Passos (SRS-Passos) fez uma videoconferência preparatória para as campanhas nacionais de vacinação contra a poliomielite e multivacinação de crianças e adolescentes, que será realizada em outubro. A reunião virtual teve como objetivo informar os coordenadores de vigilância epidemiológica e os vacinadores dos 27 municípios da jurisdição da SRS-Passos sobre a operacionalização da campanha, esclarecer dúvidas referentes às estratégias de vacinação a serem adotadas e solicitar a mobilização social dos gestores municipais para o alcance da meta de cobertura vacinal requerida pelo Ministério da Saúde (MS).

Realizada em 24 de setembro, a videoconferência foi ministrada pela referência técnica em imunização, enfermeira Sueli Veloso Maia, com participações da coordenadora do NUVEPI, Márcia Silva, do técnico Moisés de Paula Ferreira e da acadêmica de enfermagem, Bruna Videira da Silva. Temas como administração de imunobiológicos no cenário da covid-19, segurança dos profissionais e dos usuários e estratégias para obter os resultados preconizados foram alguns pontos abordados no evento.

A campanha será realizada no período de 5 a 30 de outubro, sendo o Dia D, dia da mobilização nacional, em 17 de outubro. “Este ‘Dia D’ tem por objetivo viabilizar o acesso da população a ser vacinada que nos dias úteis não tiveram oportunidade de comparecimento às unidades no seu horário de funcionamento”, explica Márcia Silva.

Créditos: Enio Modesto

A população a ser vacinada nessas campanhas é de 94.559 entre crianças de zero a cinco anos de idade e de crianças acima de cinco anos a adolescentes de até 14 anos, 11 meses e 29 dias. Na campanha indiscriminada contra a poliomielite, a meta é vacinar 95% das crianças menores de cinco anos, compreendendo a faixa etária de um a quatro anos, 11 meses e 29 dias.

Quanto à Campanha Nacional de Multivacinação para Atualização da Caderneta de Vacinação das crianças e adolescentes menores de 15 anos, terá por objetivo buscar aqueles não vacinados ou que estão com o esquema de vacinação incompleto.

Falando aos coordenadores de vigilância epidemiológica e vacinadores municipais, Sueli Veloso ressaltou a importância do amplo envolvimento dos profissionais de cada município orientarem e mobilizarem pais e/ou responsáveis a comparecerem aos serviços de saúde, levando a caderneta de vacinação para verificar a existência de esquemas vacinais incompletos a serem atualizados.

Segundo Márcia Silva, os gestores municipais têm papel fundamental para o sucesso das campanhas de vacinação, pois apresentam governabilidade para disporem de toda a logística necessária ao seu bom andamento, assim como os recursos e insumos que deverão ser disponibilizados para que a equipe técnica responsável pela vacinação nos municípios consiga realizar o seu trabalho com segurança e efetividade: “O acesso às vacinas é um direito de cidadania, e é papel dos serviços de saúde garantirem-no de forma segura. Quanto maior a cobertura atingida, mais cidadãos vacinados, mais pessoas protegidas, menos doenças, menos hospitalizações, menos custos. E as equipes municipais técnicas em vacinação são responsáveis cruciais para essa ação”, disse a coordenadora do NUVEPI.

]]>
Banco de notícias Mon, 28 Sep 2020 17:27:46 +0000
Regional de Saúde de Januária alinha procedimentos das Campanhas Nacionais de Vacinação contra Poliomielite e Multivacinação https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13657-regional-de-saude-de-januaria-alinha-procedimentos-das-campanhas-nacionais-de-vacinacao-contra-poliomielite-e-multivacinacao https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13657-regional-de-saude-de-januaria-alinha-procedimentos-das-campanhas-nacionais-de-vacinacao-contra-poliomielite-e-multivacinacao

Na quarta-feira (23/9), a Regional de Saúde de Januária, por intermédio do setor de Imunização, realizou videoconferência com as 25 referências técnicas Municipais de sua área de abrangência, para discutir e alinhar sobre a nova Campanha de Vacinação contra Poliomielite e Multivacinação que se iniciará no dia 5 de outubro.

Na oportunidade, foram repassadas orientações técnicas e operacionais para a realização das campanhas nacionais de vacinação contra a poliomielite para crianças de 1 ano a 4 anos de idade e multivacinação em menores de 15 anos.

O período de realização das campanhas será de 5 a 30 de outubro, destacando que o dia D de mobilização nacional se dará no dia 17 de outubro.

A campanha contra a poliomielite tem o objetivo de reduzir o risco de reintrodução do poliovírus selvagem no país, oportunizar o acesso às vacinas, atualizar a situação vacinal, aumentar as coberturas vacinais e homogeneidade, diminuir a incidência das doenças imunopreveníveis e contribuir para o controle, eliminação e/ou erradicação dessas doenças.

Já a multivacinação é uma estratégia que tem a finalidade de atualizar a situação vacinal de crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade (14 anos 11 meses e 29 dias), de acordo com as indicações do Calendário Nacional de Vacinação.

Créditos: Iolanda Santos Vieira

Durante a apresentação, destacou-se os cuidados necessários para vacinação durante a pandemia da covid-19 obedecendo todas as diretrizes nacionais sobre distanciamento social, higienização das mãos e uso de máscaras, entre outros.

A referência técnica em Imunização, da GRS Januária, Iolanda Santos Vieira, ressaltou que “a reunião foi bem proveitosa porque teve boa participação dos coordenadores de imunizações municipais e de profissionais da sala de vacinação, o que colaborou para o alinhamento dos objetivos das campanhas, além de oportunizar a retirada de dúvidas técnicas e operacionais”. Por fim, Iolanda reforçou sobre a importância do alcance das metas estipuladas para cada localidade, informando ainda que o sucesso das campanhas contribuirá para melhorar as coberturas vacinais e homogeneidade com a atualização dos cartões e cadernetas de vacinação nos menores de 15 anos, possibilitando assim a diminuição dos riscos de reintrodução de doenças imunopreveníveis no país.

]]>
Banco de notícias Mon, 28 Sep 2020 17:25:11 +0000
Minas Gerais registra menores índices de ocupação de leitos pela covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13656-minas-gerais-registra-menores-indices-de-ocupacao-de-leitos-pela-covid-19 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13656-minas-gerais-registra-menores-indices-de-ocupacao-de-leitos-pela-covid-19

Em coletiva virtual realizada nesta segunda-feira (28/9), o secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, destacou que o estado apresenta atualmente os menores índices relacionados à taxa de ocupação pela covid-19.

Crédito: Fábio Marchetto

“Minas Gerais apresenta hoje uma ocupação média dos leitos de UTI de 61,33%, com um número total de 845 pessoas internadas com suspeita de covid. Esses dados nos chamam a atenção porque são os menores índices que tivemos de internações por covid, desde o pico da epidemia, em julho”, informou.

Em relação à estruturação da rede de saúde em Minas Gerais, com a ampliação do número de leitos de UTI e de enfermaria desde o início da pandemia, Marcelo Cabral reforçou a efetividade do planejamento realizado pelo estado para o enfrentamento à covid-19.

“O planejamento feito pelo Governo de Minas e pela SES-MG possibilitou as condições necessárias para a reestruturação da rede de assistência à saúde. Dessa forma, nós conseguimos até o momento nos antecipar ao surgimento das necessidades para garantir o atendimento adequado aos mineiros”, explicou Marcelo Cabral.

A taxa de ocupação de leitos é um dos indicadores monitorados diariamente pelas equipes da SES-MG para avaliar a situação da covid-19 em Minas Gerais.

Atualmente, estão cadastrados no SUS fácil, em Minas Gerais, 21.062 leitos de enfermaria e 3.961 leitos de UTI. A taxa de ocupação geral de leitos de UTI está em 61,00% e de leitos de enfermaria está em 59,98%.

Cenário em Minas

Até o momento foram 290.137 casos confirmados da covid-19 em Minas Gerais e 7.240 óbitos.

Ao longo da coletiva, Carlos Eduardo Amaral também reforçou a importância de que todos sigam as recomendações para prevenção à covid, fazendo uso de máscara, de álcool gel e respeitando o distanciamento.

]]>
Banco de notícias Mon, 28 Sep 2020 14:58:36 +0000
Hospital Regional Antônio Dias oferece vagas para enfermeiros e assistentes sociais https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13655-hospital-regional-antonio-dias-oferece-vagas-para-enfermeiros-e-assistentes-sociais https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13655-hospital-regional-antonio-dias-oferece-vagas-para-enfermeiros-e-assistentes-sociais

A Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) abriu hoje, 28/09, inscrições para o processo seletivo de enfermeiros e assistentes sociais que irão atuar o Hospital Regional Antônio Dias (HRAD), em Patos de Minas. São duas vagas para enfermeiros e uma para assistente social, mais formação de cadastro reserva.

Os vencimentos básicos para os enfermeiros são de R$ 3.464,43 (40 horas semanais) e, para assistente social, R$ 2.645,82 (30 horas) e R$ 3.464,43 (40 horas semanais), excluídas vantagens inerentes à função exercida e local de atuação, a serem informadas na etapa de contratação.

As inscrições encerram-se no dia 1º de outubro. Acesse o edital com todas as informações: https://bit.ly/2S3qbr9.

]]>
Banco de notícias Mon, 28 Sep 2020 14:20:28 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 28/9/2020 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13654-informe-epidemiologico-coronavirus-28-9-2020 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13654-informe-epidemiologico-coronavirus-28-9-2020

Até o momento foram 290.137 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 27.930 casos e são 254.967 casos recuperados***. Estão confirmados 7.240 óbitos. São 28.787 casos de internação hospitalar na rede pública e privada e a letalidade da doença é de 2,5%.

Com o objetivo de apresentar a distribuição dos novos óbitos pela data em que ocorreram, foi realizada a inserção de novo gráfico no Boletim Epidemiológico, que informa o “Percentual de óbitos registrados nas últimas 24 horas, por data de ocorrência”.

Observa-se que, de modo geral, esse número retrata os novos registros notificados à SES/MG nas últimas 24h, mas que ocorreram em períodos anteriores. Desse modo, o aumento no número de óbitos registrados nas últimas 24h pode não representar um aumento na transmissão da COVID-19, mas a qualificação do sistema de informação, com encerramento de óbitos ocorridos anteriormente e que estavam em investigação.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 28/9/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Confira o Informe na íntegra clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Mon, 28 Sep 2020 09:23:34 +0000
Educação permanente para Médicos da Atenção Primária é tema de Reunião na SRS Valadares https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13653-educacao-permanente-para-medicos-da-atencao-primaria-e-tema-de-reuniao-na-srs-valadares https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13653-educacao-permanente-para-medicos-da-atencao-primaria-e-tema-de-reuniao-na-srs-valadares

A Superintendência Regional de Saúde de Governador Valadares (SRS-GV) apresentou o piloto do Projeto de Educação Permanente (PEP) para médicos da Atenção Primária à Saúde (APS), na terça-feira (22/9), por meio de videoconferência. O evento contou com a participação de gestores de saúde e coordenadores de APS das microrregiões de Saúde de Santa Maria do Suaçui e Peçanha/São João Evangelista, que nesta fase inicial, são as regiões onde o projeto será implantado.

2809 materia

Nessa primeira fase, o projeto será analisado e avaliado, com possibilidade de expansão para todos os municípios da área de abrangência da SRS-GV. 

A chefe da equipe de Atenção Primária à Saúde da Coordenadoria de Atenção à Saúde (CAS) da SRS-GV, Lidianny Aparecida Godinho Pêgo, salientou que “a reunião on-line teve como objetivo central, apresentar, envolver e mobilizar os gestores municipais de saúde e todos os atores envolvidos no processo de implantação do PEP”.

Ainda segundo Lidianny, “o PEP está sendo implantado em parceria com a Universidade Federal de Juiz de Fora/Campus GV, visto que a instituição irá colaborar, por meio de professores e ligas acadêmicas de Medicina de Família e Comunidade, Saúde Coletiva e de Infectologia, no processo de realização das reuniões clínicas com os médicos da APS, assim como na fase de planejamento desse projeto”.

Em seguida, Lidianny elencou os aspectos do projeto, destacando que o PEP está estruturado em torno de Grupos de Aperfeiçoamento da Prática (GAP), e que será integrado por 8 a 12 médicos que trabalham na Atenção Primária.

Os médicos de cada GAP dedicarão 16 horas às atividades de aprendizagem, no próprio horário de trabalho, com tempo protegido para esse fim. Essas atividades estão organizadas em quatro estratégias educacionais: Ciclo de Aperfeiçoamento da Prática Profissional (CAPP); Plano de Desenvolvimento Pessoal (PDP) e Reuniões Clínicas.

]]>
Banco de notícias Mon, 28 Sep 2020 09:01:37 +0000
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13652-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13652-coletiva-virtual-sobre-os-desdobramentos-da-covid-19-em-minas-gerais

O secretário de Saúde de Minas Gerais, Carlos Eduardo Amaral, e o secretário adjunto Marcelo Cabral respondem perguntas da imprensa em coletiva virtual nesta segunda-feira (28/9), às 12h30‬.

Na ocasião, serão abordadas as ações do Governo do Estado na prevenção e enfrentamento ao coronavírus. Como medida preventiva à disseminação da pandemia, a transmissão será via redes sociais - Instagram da Saúde e Facebook do Governo de Minas.

Haverá, também, transmissão ao vivo pelo canal aberto da Rede Minas e pelo link www.redeminas.tv/.

As emissoras que quiserem reproduzir as imagens, de uso irrestrito, poderão acessar via satélite a Rede Minas.

- As perguntas devem ser enviadas até as 10h, desta segunda-feira (28/9), para e-mail: jornalismo@saude.mg.gov.br .
- Solicitamos que seja colocada no assunto do e-mail a seguinte frase - PERGUNTAS COLETIVA - para que possamos identificar.

Serviço:
Coletiva virtual sobre os desdobramentos da covid-19 em Minas Gerais
Data: 28/9/2020 (segunda-feira)
Horário: ‪12h30‬
Local: Prédio Tiradentes – Cidade Administrativa – Belo Horizonte (MG)
Transmissão via redes sociais: Instagram - https://instagram.com/saudemg/
Facebook - https://www.facebook.com/governomg/

]]>
Banco de notícias Sun, 27 Sep 2020 18:26:48 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 27/9/2020 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13651-informe-epidemiologico-coronavirus-27-9-2020 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13651-informe-epidemiologico-coronavirus-27-9-2020

Até o momento foram 288.619 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 28.295 casos e são 253.096 casos recuperados***. Estão confirmados 7.228 óbitos.

Com o objetivo de apresentar a distribuição dos novos óbitos pela data em que ocorreram, foi realizada a inserção de novo gráfico no Boletim Epidemiológico, que informa o “Percentual de óbitos registrados nas últimas 24 horas, por data de ocorrência”.

Observa-se que, de modo geral, esse número retrata os novos registros notificados à SES/MG nas últimas 24h, mas que ocorreram em períodos anteriores. Desse modo, o aumento no número de óbitos registrados nas últimas 24h pode não representar um aumento na transmissão da COVID-19, mas a qualificação do sistema de informação, com encerramento de óbitos ocorridos anteriormente e que estavam em investigação.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.
Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 27/9/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Confira o Informe na íntegra clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Sun, 27 Sep 2020 08:54:00 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus 26/9/2020 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13649-informe-epidemiologico-coronavirus-26-9-2020 https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13649-informe-epidemiologico-coronavirus-26-9-2020

Até o momento foram 286.350 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 27.950 casos e são 251.219 casos recuperados***. Estão confirmados 7.181 óbitos.

Com o objetivo de apresentar a distribuição dos novos óbitos pela data em que ocorreram, foi realizada a inserção de novo gráfico no Boletim Epidemiológico, que informa o “Percentual de óbitos registrados nas últimas 24 horas, por data de ocorrência”.

Observa-se que, de modo geral, esse número retrata os novos registros notificados à SES/MG nas últimas 24h, mas que ocorreram em períodos anteriores. Desse modo, o aumento no número de óbitos registrados nas últimas 24h pode não representar um aumento na transmissão da COVID-19, mas a qualificação do sistema de informação, com encerramento de óbitos ocorridos anteriormente e que estavam em investigação.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 26/9/2020. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do Coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.

Confira o Informe na íntegra clicando aqui.

]]>
Banco de notícias Sat, 26 Sep 2020 08:49:05 +0000
Reorganização dos serviços de hemodiálise e consultas eletivas essenciais são abordadas com os municípios da SRS Alfenas https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13648-reorganizacao-dos-servicos-de-hemodialise-e-consultas-eletivas-essenciais-sao-abordadas-com-os-municipios-da-srs-alfenas https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13648-reorganizacao-dos-servicos-de-hemodialise-e-consultas-eletivas-essenciais-sao-abordadas-com-os-municipios-da-srs-alfenas

A Regional de Saúde de Alfenas realizou, nessa quarta-feira (23), uma videoconferência com representantes de alguns municípios de sua área de abrangência. Na oportunidade, a secretária municipal de saúde e a direção da Santa Casa de Alfenas apresentaram propostas de reorganização dos serviços de hemodiálise e das consultas eletivas, indispensáveis para os municípios da microrregião Alfenas/Machado e Guaxupé.

Desde o início da Pandemia, o fluxo de atendimentos hospitalares foi adaptado e as instituições foram segmentadas por meio do Plano de Contingência. Em função do estado de calamidade pública, decorrente da pandemia do novo coronavírus, os procedimentos eletivos foram suspensos. A Santa Casa de Alfenas e a Santa Casa de Guaxupé são os hospitais de referência para internações clínicas e UTI da covid-19 na região. Os hospitais providenciaram mudanças e adequações de espaço e de recursos humanos para atendimento exclusivo dos casos da doença.

Segundo o diretor Administrativo da Santa Casa, Aécio Assis, as alterações propostas para a unidade hospitalar seriam nos horários para os atendimentos de hemodiálise, além da separação em turnos para os municípios. “Assim, a partir de 1º de novembro, o serviço de hemodiálise da Santa Casa passa a ser oferecido nos turnos da manhã e tarde, excluindo-se o turno da noite. Os atendimentos seriam de no máximo 50 pacientes por turno, cumprindo-se os protocolos de segurança, higiene e distanciamento necessários. Assim, acreditamos que irá facilitar o serviço de Tratamento Fora do Domicílio (TFD) e tratar ao paciente com mais respeito e qualidade de vida, já que vão poder retornar mais cedo para suas casas e não viajar de madrugada”, argumentou.

Ao falar sobre o retorno parcial de consultas de áreas especializadas, a secretária municipal de Saúde de Alfenas, Deyv Cabral, reforçou que, “desde o início da pandemia, quando houve a suspensão de cirurgias e procedimentos eletivos não essenciais, havia a existência de uma demanda reprimida se acumulando em todos os municípios. Considerando uma forma de atender os pacientes de casos eletivos indispensáveis e cumprir as medidas de segurança, propomos retomar com a metade de nossa capacidade. E, desses atendimentos previsto na planilha apresentada aos municípios, há alguns quantitativos exclusivos para os municípios de referência, como cirurgia ginecológica, mastologia e colposcopia, para Alfenas. Para os outros municípios, as agendas são para cirurgia geral, cirurgia pediátrica, dermatologia, neurocirurgia, nefrologia, oftalmologia, ortopedia, reumatologia, urologia, vascular e outros”, disse.

Para a coordenadora do Núcleo de Regulação da Regional de Alfenas, Roseara Rodrigues, têm sido realizadas diversas reuniões com hospitais e secretarias municipais com o objetivo de reforçar as orientações e esclarecer dúvidas quanto a Instruções Normativas e Notas Técnicas da SES-MG. “Neste encontro abordamos, inclusive, a Deliberação Nº 73, que dispõe sobre as medidas adotadas no âmbito do sistema de saúde do Estado de Minas Gerais, enquanto durar o estado de calamidade pública em decorrência da pandemia causada pelo novo coronavírus, em todo o território do Estado”.

]]>
Banco de notícias Fri, 25 Sep 2020 16:59:50 +0000
Saúde reforça cuidados na prevenção à covid-19 durante campanhas de vacinação https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13646-saude-reforca-cuidados-na-prevencao-a-covid-19-durante-campanhas-de-vacinacao https://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/13646-saude-reforca-cuidados-na-prevencao-a-covid-19-durante-campanhas-de-vacinacao

Em coletiva virtual realizada nesta sexta-feira (25/9), o secretário de Estado adjunto de Saúde, Marcelo Cabral, falou sobre a realização de campanhas de vacinação durante a epidemia da covid-19.

250920

“No que se refere às campanhas de vacinação, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, (SES-MG), segue o calendário adotado pelo Ministério da Saúde (MS), que recomenda cuidados às pessoas que irão até as Unidades Básicas de Saúde (UBS). É muito importante que a população esteja atenta às medidas de prevenção à covid, como manter dois metros de distância nas filas, entre uma pessoa e outra”, explicou Cabral.

O secretário adjunto destacou que o Ministério alerta para a adoção constante da etiqueta respiratória, que inclui cobrir a boca com a face interna do cotovelo ou com auxílio de lenço descartável ao espirrar, lavar as mãos com frequência, não tocar o rosto e manter o uso de máscara quando sair à rua. As máscaras devem ser usadas por crianças a partir de 2 anos, adolescentes, adultos e idosos como medida de prevenção de transmissão e contágio.

Também é recomendado não manter contato próximo com outras pessoas por meio do aperto de mão, beijo e abraço, principalmente enquanto a pessoa estiver aguardando para receber a vacina.

“A imunização continua sendo a maneira mais eficaz e segura de prevenir diversas doenças e, mesmo diante do cenário da pandemia da Covid-19, as UBSs de todo o estado não interromperam o atendimento nas salas de vacina”, explicou Marcelo Cabral.

Cartão de vacinação

Ao longo da coletiva o secretário-adjunto também reforçou a importância do cartão de vacinação para auxiliar no controle e acompanhamento das doses de vacinas já recebidas. E como não só crianças, mas também adolescentes, adultos e idosos devem manter suas vacinas em dia.

Caso não esteja de posse do cartão, por motivo de perda ou dano, a orientação é para que o usuário procure o serviço de saúde onde costuma se vacinar. A partir do chamado cartão espelho, onde ficam arquivados os registros de doses já aplicadas, o profissional de saúde poderá avaliar a situação vacinal do usuário.

É importante frisar que a ausência do cartão não impede ninguém de ser vacinado.

Vacina Mais

As baixas coberturas vacinais têm graves consequências quando o assunto é a saúde pública. Nos anos de 2017, 2018 e 2019, Minas Gerais enfrentou epidemia de febre amarela e surto de sarampo, respectivamente, em decorrência das baixas coberturas registradas.

No intuito de alertar a população sobre os benefícios da vacina e também sobre os riscos a que todos ficam expostos quando esta importante medida profilática é ignorada, a SES-MG lançou a campanha Vacina Mais Minas Gerais.

“A intenção é informar e chamar a atenção dos mineiros sobre a necessidade de ampliação da cobertura vacinal para toda população. Graças à vacinação em massa, doenças como poliomielite, rubéola, tétano e coqueluche deixaram de ser um problema de saúde pública no Brasil”, destacou Marcelo Cabral.

]]>
Banco de notícias Fri, 25 Sep 2020 15:03:30 +0000