Notícias https://www.saude.mg.gov.br Wed, 27 Oct 2021 03:52:52 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br Romeu Zema anuncia melhorias para a Saúde de Barbacena e região https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15790-romeu-zema-anuncia-melhorias-para-a-saude-de-barbacena-e-regiao https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15790-romeu-zema-anuncia-melhorias-para-a-saude-de-barbacena-e-regiao

O governador Romeu Zema anunciou nesta sexta-feira (22/10), em Barbacena, no Campo das Vertentes, investimentos para a área da Saúde do município e região.

Crédito: Gil Leonardi

Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) vai ceder um prédio localizado no Centro Hospitalar Psiquiátrico de Barbacena (CHBP), hoje inutilizado, para que a Prefeitura de Barbacena possa fazer a reforma e implementar um novo Centro de Especialidades Médicas (CEM) no local. A iniciativa vai garantir a assistência adequada à população mineira.

Dessa forma, o imóvel que atualmente abriga o CEM será destinado à abertura da 1ª Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Barbacena. Com o intuito de apoiar o município na implantação no novo Centro de Especialidades, o Estado vai repassar R$ 10 milhões para adequações físicas e aquisição de equipamentos para estruturar as futuras instalações.

Além disso, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) vai auxiliar o município no processo de habilitação para os atendimentos da UPA 24h, uma vez que essas unidades são de responsabilidade municipal.

Zema destacou o empenho do Estado para fortalecer a assistência da saúde em toda a região do Campo das Vertentes.

“A nossa Secretaria de Saúde vai fazer um investimento expressivo aqui numa UPA e no Centro de Especialidades. Além disso, nós vamos aumentar os repasses para duas unidades de saúde importantíssimas aqui da cidade, o Hospital Regional de Barbacena - Dr. Jose Américo e também a Santa Casa. Isso está dentro do nosso programa Valora Minas, que visa transferir mais recursos para as unidades de saúde que têm alta resolutividade, e essas duas unidades estão incluídas. E, ainda, o Samu Regional passa a receber também um adicional”, afirmou o governador durante coletiva à imprensa.

Reorganização

O secretário de Estado de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, afirmou que os investimentos que serão realizados vão possibilitar um melhor atendimento à saúde de toda a região.

“Os anúncios e os recursos vão reorganizar a saúde pública, especialmente a urgência e emergência da região. É a construção de um novo centro de especialidades médicas em um prédio ocioso do hospital da Fhemig, aproveitando aqueles espaços que estão sem utilização. A partir daí, onde funciona hoje o ambulatório do município será abrigada a nova UPA, e este é um grande investimento que o Estado está fazendo. Além disso, o hospital regional, referência da urgência, receberá investimentos que poderão auxiliar na ampliação de leitos de enfermaria, CTI e compra de novos equipamentos. Desta forma, a gente reorganiza a rede e dá uma atenção muito mais qualificada”, explicou o secretário.

O prefeito de Barbacena, Carlos Du, afirmou que estes investimentos eram esperados há anos pela população do município e que este reforço na saúde pública irá beneficiar toda a região.

“Este momento marca não só o recebimento de equipamentos e investimentos, mas uma nova história, um recomeço em Barbacena para a nossa população e da região. Queria agradecer este apoio do Governo do Estado, sem ele não seria possível a gente conseguir fazer a UPA e também o Centro de Especialidades Médicas”, afirmou o prefeito.

Também participaram do evento o deputado federal Dr. Frederico, os deputados estaduais Doorgal Andrada, Coronel Herique e Gustavo Santana, além de prefeitos e vereadores da região, representantes das Forças de Segurança e demais lideranças.

Valora Minas

Dentro da nova Política de Atenção Hospitalar do Estado de Minas Gerais, Valora Minas, o Hospital Regional de Barbacena Dr. José Américo e a Santa Casa de Misericórdia de Barbacena terão aumento dos repasses anuais para melhorar o atendimento à população.

A primeira unidade tem previsão de receber mais R$ 2,3 milhões. Já a Santa Casa de Misericórdia de Barbacena deverá ter um incremento de R$ 1,05 milhão.

A Santa Casa tem como perfil assistencial o atendimento ao Parto de Gestação de Alto Risco, Risco Habitual, referência de atendimento pediátrico e a Neurocirurgia. O Hospital Regional é referência para atendimento ao Trauma e ao AVC.

Esse aumento de recurso visa à ampliação do acesso e melhoria na qualidade dos serviços prestados, ampliação de leitos, aumento da resolubilidade, principalmente nas especialidades de média complexidade.

A estrutura proposta pelo Valora Minas leva em consideração as necessidades da população, corrigindo disparidades na alocação de recursos entre as regiões e impasses metodológicos para mensurar a eficiência do investimento.

Samu

Já o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) passará a receber, por mês, R$ 127 mil para atendimento de Barbacena e outros 50 municípios da macrorregião, que também serão beneficiados. O Samu local iniciou as atividades em 2012 e conta com 23 unidades móveis terrestres. O repasse está previsto para novembro.

APS

Barbacena receberá ainda R$ 83,6 mil anuais a mais com a Política Estadual de Financiamento da Atenção Primária à Saúde, aumentando a população coberta por equipes de saúde da família, o serviço de saúde bucal, entre outros benefícios.

]]>
Banco de notícias Fri, 22 Oct 2021 18:35:59 +0000
SES-MG reforça importância de que municípios formalizem conclusão da vacinação em adultos https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15754-ses-mg-reforca-importancia-de-que-municipios-formalizem-conclusao-da-vacinacao-em-adultos https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15754-ses-mg-reforca-importancia-de-que-municipios-formalizem-conclusao-da-vacinacao-em-adultos

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19 em Minas Gerais avança para a reta final da primeira fase. Até o momento, 86,72% do público-alvo – pessoas com 12 anos ou mais de idade – já foram imunizados com a primeira dose (D1) e 58,72% já completaram o esquema com as duas doses ou dose única. Para viabilizar a maior campanha de imunização da história, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) trabalha de forma organizada e integrada com os municípios para garantir a eficiência e agilidade na distribuição das vacinas.

Crédito: Marcelo Barbosa

Neste sentido, o Estado disponibiliza aos 853 municípios um sistema de registro dos dados referentes à vacinação nos territórios. A coordenadora do Grupo de Análise e Monitoramento da Vacinação da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), Janaína Fonseca, explica a dinâmica deste processo: “Muitas vezes os municípios finalizam as estratégias de vacinação em pessoas acima de 18 anos, mas possuem registros ainda não lançados no sistema oficial. A vacinação e o lançamento das doses aplicadas não são simultâneos, mas a agilidade desta notificação oficial é extremamente importante para estabelecer estratégias para a campanha”.

Atualmente, os municípios que finalizam a vacinação de D1 dos adultos acima de 18 anos devem comunicar, à SES-MG, via ofício, sobre a conclusão desta etapa. A confirmação permite a certeza de que não será necessário o envio de novas doses para essa população. É uma maneira segura e formal de conhecer o cenário de conclusão da vacinação em cada município.

Até o dia 15/10, 679 municípios haviam oficializado, junto à SES-MG, a conclusão da vacinação no público com 18 anos ou mais. Ao todo, conforme dados do Vacinômetro, até o dia 20/10, foram aplicadas 15.702.328 primeiras doses, 10.142.554 segundas doses, 490.684 Doses únicas e 528.272 Doses de Reforço.

Janaína Fonseca destaca, ainda, que os Gamov regionais, junto ao Gamov Nível Central, acompanham sistematicamente a conclusão da vacinação em cada local, fornecendo apoio e subsídios necessários para os municípios que ainda não conseguiram alcançar este patamar. “São repassadas orientações para a realização de ações de intensificação da campanha de imunização, como vacinação extramuro, ‘Dia D’ e outras estratégias de busca ativa nos municípios que permitam a administração das vacinas no público elegível”, destacou.

As orientações para a realização da notificação estão descritas na deliberação CIB-SUS/MG N° 3.508, de 3 de setembro de 2021. A recomendação consta no artigo 1°, inciso 2°, destacando que “é responsabilidade dos municípios que finalizarem a vacinação na população com idade igual ou superior a 18 anos comunicar formalmente tal fato, via ofício, para a respectiva Unidade Regional de Saúde e Nível Central da SES/MG”.

]]>
Banco de notícias Wed, 20 Oct 2021 17:38:48 +0000
Vacinação em Minas: 500 cidades não registram mortes por coronavírus há um mês https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15696-vacinacao-em-minas-500-cidades-nao-registram-mortes-por-coronavirus-ha-um-mes https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15696-vacinacao-em-minas-500-cidades-nao-registram-mortes-por-coronavirus-ha-um-mes

Quinhentas cidades de Minas Gerais não registraram óbitos por covid-19 de 6/9 a 6/10/2021. Os dados foram informados pelas prefeituras à Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), e constam no sistema Sivep, do Ministério da Saúde.

Gil Leonardi | Imprensa MG

O número, que corresponde a 58% dos municípios do estado sem mortes pela doença em um mês, revela a eficácia da vacinação contra o coronavírus.

O percentual de imunização com a primeira dose já chega a 83 % da população acima de 12 anos e, com o esquema vacinal completo, passa de 50% desse público.

Nesta quinta-feira (7/10), durante a reunião do Comitê Extraordinário Covid-19, grupo que acompanha a situação da pandemia no estado, o secretário de Saúde, o médico Fábio Baccheretti, destacou o sucesso da campanha de vacinação.

“Temos um grande crescimento na segunda dose aplicada. Em breve, devemos ter 70% de todo o público-alvo com todo o esquema completo. A adesão à vacinação tem gerado um reflexo muito positivo com diminuição de internações, óbitos e circulação do vírus”, destacou Baccheretti.

Segundo dados apresentados pelo secretário, a média de pacientes internados no estado vem caindo, chegando a 617 no último dia 5/10. Há duas semanas, eram 716 pessoas hospitalizadas devido à doença. Em quatro semanas, a queda é de 25%.

Bacherretti ressaltou ainda que, apesar dos avanços, os cuidados sanitários, como uso de máscara e higienização das mãos, devem ser mantidos pela população.

Minas Consciente

Ainda durante a reunião do Comitê Covid, o secretário de Saúde informou a manutenção de todas as macrorregiões na onda verde do Minas Consciente, plano criado para a retomada gradual e segura das atividades econômicas.

Indicadores de mensuração da pandemia seguem em queda. Destaque para a redução de 25% na taxa de incidência da doença nos últimos sete dias.

A macrorregião Noroeste passará por um acompanhamento mais criterioso devido a algumas oscilações de dados, mas que, por enquanto, não geraram impacto na cadeia de atendimento hospitalar.

Histórico de ondas

Seis macrorregiões se mantêm na onda verde há dez semanas, desde o final de julho. São elas: Centro-Sul, Jequitinhonha, Norte, Oeste, Sudeste e Vale do Aço.

Nesse período, somente o Nordeste e o Triângulo do Sul tiveram de regredir para onda vermelha em algum momento.

Mudanças

A partir de agora, as reuniões do Comitê Extraordinário Covid-19 serão realizadas a cada 15 dias. O objetivo é dar mais dinamismo aos encontros sem gerar prejuízos às ações de enfrentamento da pandemia, já que as análises de possíveis alterações no Minas Consciente são feitas de duas em duas semanas.

Já os integrantes do Centro de Operações de Emergência em Saúde (Coes-Minas), responsável pela coordenação das ações de resposta à pandemia do novo coronavírus em Minas Gerais, continuam a se reunir semanalmente.

 

Matéria atualizada às 12h50 do dia 7/10/2021. O Minas Consciente passa a ser atualizado quinzenalmente e o protocolo poderá sofrer alterações conforme a evolução da pandemia no estado.

]]>
Banco de notícias Thu, 07 Oct 2021 15:23:12 +0000
Ampliação dos exames de rastreio dos cânceres de mama e colo do útero é o foco da SES-MG no Outubro Rosa https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15664-ampliacao-dos-exames-de-rastreio-dos-canceres-de-mama-e-colo-do-utero-e-o-foco-da-ses-mg-no-outubro-rosa https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15664-ampliacao-dos-exames-de-rastreio-dos-canceres-de-mama-e-colo-do-utero-e-o-foco-da-ses-mg-no-outubro-rosa

Neste “Outubro Rosa”, mês de mobilização em prol da saúda da mulher, o foco da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) é a ampliação do número de exames de rastreio do câncer de colo do útero e de mama.

Crédito: Marcella Marques

Conforme aponta a assessora da Superintendência de Redes de Atenção à Saúde da SES-MG, Fernanda Santos Pereira, a realização da mamografia e também do exame citopatológico do colo do útero permitem identificar alterações características de câncer. Quanto mais cedo essa identificação for diagnosticada, melhor poderá ser o desfecho do tratamento. “Nos casos de exames alterados, as mulheres são orientadas e encaminhadas para realização da definição diagnóstica e do tratamento adequado”, explica Fernanda.

O Sistema Único de Saúde (SUS) preconiza a realização de exame clínico mamário por profissional da saúde para mulheres de 40 a 49 anos, e a realização de mamografia somente se existir indicação da equipe de saúde.

Já para mulheres de 50 a 69 anos, orienta-se a realização do exame clínico e da mamografia a cada dois anos, ou em intervalos menores, dependendo do resultado da mamografia anterior. Fernanda Santos ressalta que mulheres com elevado risco para câncer de mama, que têm histórico familiar ou pessoal da doença, necessitam de avaliação e acompanhamento individualizados. “Em todos os casos, a porta de entrada é a Unidade Básica de Saúde (UBS), seja para a realização do exame clínico ou para solicitação do exame de mamografia”, esclarece.

A avaliação clínica e o exame citopatológico (Papanicolau) do colo do útero estão disponíveis no SUS para mulheres de 25 a 64 anos e que já tiveram relação sexual. Nesse caso, a orientação segue a mesma: as mulheres devem procurar a UBS mais próxima de sua residência para agendar a consulta.

Além do diagnóstico, o SUS oferece tratamento tanto para o câncer de mama quanto para o de colo do útero. Mastectomias, cirurgias conservadoras e de reconstrução mamária, além de radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia com anticorpos estão previstos para o tratamento do câncer da mama. No caso do câncer de colo de útero, entre os tratamentos disponíveis no SUS estão a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia. A escolha pelo tipo de tratamento dependerá de avaliação individual.

Dados epidemiológicos

O câncer de mama é um problema de saúde pública de grande relevância no Brasil, sendo responsável pela mais frequente causa de morte por câncer no sexo feminino. Em Minas Gerais, no ano de 2020, foram diagnosticados 5.211 casos e registrados 1.762 óbitos.

Já o câncer de colo do útero foi diagnosticado em 2.646 mulheres no estado no ano passado, provocando 452 óbitos. É a sexta maior causa de morte por câncer em Minas Gerais.

Para 2021 e 2022, estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam a ocorrência de 8.250 novos casos de câncer de mama e 1.270 de câncer de colo do útero no estado, a cada dano.

Prevenção

O câncer de mama e o de colo de útero estão fortemente associados a fatores de risco tais como alimentação não saudável, inatividade física, obesidade, colesterol elevado, tabagismo e consumo de bebida alcoólica. Assim, algumas mudanças no dia a dia podem trazer muitos benefícios para a saúde da mulher, tais como:

1. Ter uma vida mais ativa;
2. Praticar atividade física, realizando ao menos 150 minutos por semana de atividade física de intensidade moderada;
3. Manter o peso corporal adequado;
4. Manter uma alimentação saudável, com base no consumo de alimentos in natura e minimamente processados, tais como frutas, legumes, verduras, cereais integrais, feijões e outras leguminosas, ovos e carnes;
5. Evitar o consumo em excesso de alimentos ultraprocessados, ou seja, produtos industrializados, tais como biscoitos, sorvetes, cereais açucarados; refrigerantes, carnes embutidas etc;
6. Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
7. Não fumar e evitar o tabagismo passivo.

]]>
Banco de notícias Fri, 01 Oct 2021 12:40:11 +0000
Regional de Ponte Nova realiza capacitação sobre Vigilância da Infecção Latente da Tuberculose https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15810-regional-de-ponte-nova-realiza-capacitacao-sobre-vigilancia-da-infeccao-latente-da-tuberculose https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15810-regional-de-ponte-nova-realiza-capacitacao-sobre-vigilancia-da-infeccao-latente-da-tuberculose

Na última semana, o Núcleo de Vigilância Epidemiológica (Nuvepi) da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Ponte Nova promoveu a videoconferência “Vigilância da Infecção Latente da Tuberculose (ILTB)”. Participaram do encontro coordenadores e equipes de Vigilância Epidemiológica e Atenção Primária à Saúde (APS), além de farmacêuticos municipais, de toda a área de abrangência da SRS. O objetivo foi apresentar e orientar quanto à utilização do Sistema de Informação para Tratamentos Especiais de Tuberculose (SITE-ILTB), bem como atualizar os participantes sobre o tratamento da doença em sua fase latente.

Divulgação

A infecção latente da tuberculose ocorre quando a pessoa se encontra infectada pelo bacilo Mycobacterium tuberculosis, sem manifestação da doença ativa, ou seja, quem está infectado permanece saudável por muitos anos, sem transmitir o bacilo e com imunidade parcial à doença. Segundo dados do Ministério da Saúde (2018), estima-se que um quarto da população mundial esteja infectada, constituindo reservatórios do bacilo que podem ser reativados sob condições de resposta imunológica alterada.

A referência técnica do Nuvepi, Dádiva Raquel Rodrigues, responsável pela condução do evento, esclareceu que - para fins de vigilância epidemiológica - será considerado como caso de ILTB o indivíduo infectado pelo bacilo, identificado por meio de prova tuberculínica ou teste de detecção de interferon-gama (Igra), desde que adequadamente descartada a tuberculose ativa. “O intuito é conhecer o perfil clínico e sociodemográfico das pessoas tratadas para ILTB, subsidiar o planejamento e a ampliação das ações de detecção e tratamento e reduzir o número de casos da doença ativa, interrompendo, consequentemente, sua cadeia de transmissão”, enumerou.

De acordo com a coordenadora do Nuvepi, Mônica Fernandes, não havia padronização da coleta, armazenamento e processamento dos dados de ILTB, até que, em 2018, o Ministério da Saúde (MS) publicou o Protocolo de Vigilância da Infecção Latente pelo Mycobacterium tuberculosis no Brasil. “O documento trouxe os pilares da vigilância, como identificação das pessoas com maior probabilidade de ter ILTB ou com maior risco de adoecimento, confirmação de pessoas com a ILTB, indicação correta do tratamento e acompanhamento adequado, notificação das pessoas que realizarão o tratamento, assim como monitoramento e avaliação”, elencou.

Quanto à indicação de tratamento, a referência reforçou o fluxo para realização da prova tuberculínica na região. Ela também informou sobre as indicações e tratamento para ILTB (regime, doses, tempo e indicação) e mencionou a publicação da Nota Informativa nº 5/2021-CGDR/.DCCI/SVS/MS, que dispõe sobre a atualização das Recomendações do Tratamento da Infecção Latente pelo Mycobacterium tuberculosis.

Sistema de Informação

Em relação à implantação da Vigilância da ILTB em Minas Gerais, Dádiva Rodrigues frisou que todas as pessoas cujo tratamento será iniciado devem ser notificadas por meio da Ficha de Notificação do Tratamento da ILTB pela Unidade de Saúde que identificou o caso. Isso deve ser feito em papel e no sistema on-line SITE-ILTB, por meio do Sistema de Informação para Notificação das Pessoas em Tratamento da ILTB (IL-TB). “O sistema tem como finalidade
principal registrar todas as pessoas em tratamento de ILTB no Brasil e, com isso, gerar dados para o cálculo de indicadores para o monitoramento e avaliação das ações de vigilância”, esclareceu.

“Todos os municípios da Regional já possuem acesso ao sistema e, após o treinamento, espera-se que tenham subsídios para trabalhar a vigilância da ILTB de forma correta”, finalizou a coordenadora Mônica Fernandes.

 
]]>
Banco de notícias Tue, 26 Oct 2021 14:40:38 +0000
Funcionamento da Farmácia de Minas no Feriado https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15811-funcionamento-da-farmacia-de-minas-no-feriado https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15811-funcionamento-da-farmacia-de-minas-no-feriado

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informa que não haverá atendimento nas Farmácias de Minas estaduais nos dias 29/10/2021, 01/11/2021 e 02/11/2021 devido aos feriados de Dia do Servidor Público e Finados.

Os atendimentos retornam, normalmente, a partir da quarta-feira (03/11).

]]>
Banco de notícias Tue, 26 Oct 2021 14:36:24 +0000
Regional de Saúde de Ubá faz palestra em Workshop da Defesa Civil em Guidoval https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15809-regional-de-saude-de-uba-faz-palestra-em-workshop-da-defesa-civil-em-guidoval https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15809-regional-de-saude-de-uba-faz-palestra-em-workshop-da-defesa-civil-em-guidoval

O 1º Workshop “Guidoval mais Resiliente”, realizado em 21 de outubro pela gestão do município, apresentou o Plano Municipal de Contingência da Defesa Civil para os profissionais das secretarias municipais de Saúde e Assistência Social de Guidoval. O evento recebeu apoio técnico da Unidade Regional de Saúde (URS) de Ubá, referência da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) para os municípios da microrregião de Ubá e Muriaé.

Divulgação

Foi também objetivo do workshop padronizar conhecimentos relacionados às atividades e ações, com foco no nivelamento técnico dos participantes. O “Guidoval mais Resiliente” contou com a presença de aproximadamente 50 servidores municipais, e teve como parceiros o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar de Minas Gerais, que também apresentaram palestras.

Sob o tema “A Saúde no enfrentamento das situações de emergência e calamidade pública”, a coordenadora da Atenção à Saúde da URS-Ubá, Elis Regina de Oliveira Mattos, explicou sobre ações emergenciais a serem implementadas diante de desastres ambientais. “Guidoval é uma cidade que já foi vítima de várias enchentes, porque é situada em um ponto crítico do Rio Xopotó. Diante disso, é de extrema importância preparar os servidores municipais para prevenir e atuar nestes casos, principalmente os agentes de saúde, que são a ponta de todo atendimento e realização do Plano de Contingência. Foi muito proveitoso estar no município, contribuindo com a expertise da SES-MG para a formação deles que, havendo necessidade, socorrerão a população com conhecimento técnico de forma a prevenir agravos em saúde”, pontuou Elis.

O workshop também trabalhou temas como organização em desastres naturais, pontos de referência e de apoio, funções de cada secretaria municipal em momentos de crise e acolhimento de famílias atingidas.

“Conseguimos esclarecer nossos profissionais sobre as atividades de proteção e defesa civil no restabelecimento da normalidade social junto às comunidades atingidas por desastres. Esperamos que Guidoval não sofra mais com enchentes ou outros momentos difíceis, mas se acontecer, teremos uma equipe preparada para agir”, ressaltou Kélita da Conceição Silva, organizadora do workshop e coordenadora da Atenção Primária à Saúde de Guidoval.

Divulgação

Ela finalizou o encontro agradecendo o apoio da URS Ubá, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, “que tanto contribuíram no Plano de Contingência e também na capacitação de nossos servidores”, disse.

 
]]>
Banco de notícias Tue, 26 Oct 2021 14:21:02 +0000
Municípios da Regional de Montes Claros alcançam mais de 143 mil animais vacinados contra raiva https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15808-municipios-da-regional-de-montes-claros-alcancam-mais-de-143-mil-animais-vacinados-contra-raiva https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15808-municipios-da-regional-de-montes-claros-alcancam-mais-de-143-mil-animais-vacinados-contra-raiva

Desde 1º de setembro até a segunda-feira 25/10, os 54 municípios que integram a área de atuação da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Montes Claros já vacinaram 143.716 cães e gatos contra a raiva. Ao todo, a Campanha de Vacinação Antirrábica já alcançou 129.039 cães e 14.716 gatos. A previsão é de que a campanha prossiga até o dia 31, deste mês, nas zonas urbanas e rurais.

Crédito: SES-MG 

Ildeni Meireles, referência técnica da Campanha Antirrábica na SRS de Montes Claros explica que, neste ano, a previsão é de que 233.922 animais sejam vacinados contra a raiva. Para isso, foram entregues aos municípios 246.780 doses de vacinas. Assim como nos anos anteriores, o quantitativo teve acréscimo de 5% em relação a 2020.

Os municípios que receberam a maior quantidade de imunizantes foram: Montes Claros (60 mil doses); Bocaiúva (12 mil 100); Janaúba (11.375); Francisco Sá (11 mil); Rio Pardo de Minas (10.300); Porteirinha (8.375); Jaíba (8.150); Taiobeiras (7.425); Salinas (6.400); Espinosa (7.300) e Coração de Jesus (6.675).

Até o momento, os municípios que apresentam mais de 90% de cobertura vacinal são: Berizal, Botumirim, Capitão Enéas, Catuti, Claro dos Poções, Engenheiro Navarro, Espinosa, Francisco Dumont, Fruta de Leite, Gameleiras, Glaucilândia, Indaiabira, Juramento, Lagoa dos Patos, Mato Verde, Monte Azul, Nova Porteirinha, Novorizonte, Olhos D´Água, Padre Carvalho, Pai Pedro, Porteirinha, Rubelita, Salinas, Santa Cruz de Salinas, Santo Antônio do Retiro, São João da Lagoa, Serranópolis de Minas e Vargem Grande do Rio Pardo.

Em Montes Claros, a Secretaria Municipal de Saúde informou que da estimativa inicial de  50.238 cães vacinados, já foram imunizados 17.682 animais. Por outro lado, dos 5.565 felinos a serem vacinados, a Campanha Antirrábica já alcançou 2.028 gatos.

Transmissão

A raiva é uma doença infecciosa viral aguda que acomete mamíferos, inclusive o homem. Se caracteriza como uma encefalite progressiva com letalidade de aproximadamente 100%. Trata-se de uma doença passível de eliminação no seu ciclo urbano pela vacinação de cães e gatos, além da existência de medidas eficientes de prevenção, como a imunização humana; a disponibilização de soro antirrábico humano e a realização de bloqueios de foco.

A doença é transmitida ao homem pela saliva de animais infectados, principalmente por meio da mordedura. A doença também pode ser transmitida pela arranhadura ou lambedura desses animais.

O período de incubação é variável entre as espécies, desde dias até anos, com uma média de 45 dias no ser humano, podendo ser mais curto em crianças. Nos cães e gatos a eliminação de vírus pela saliva ocorre de dois a cinco dias antes do aparecimento dos sinais clínicos e persiste durante toda a evolução da doença (período de transmissibilidade). A morte do animal acontece, em média, entre cinco e sete dias após a apresentação dos sintomas.

Sintomas

Após o período de incubação, surgem os sinais e sintomas clínicos inespecíficos da raiva, que duram em média de dois a dez dias. Nesse tempo, o paciente apresenta mal-estar geral; pequeno aumento de temperatura; anorexia; cefaleia; náuseas; dor de garganta; entorpecimento; irritabilidade; inquietude e sensação de angústia.

Podem ocorrer inchaço, aumento da sensibilidade ao tato ou à dor, frio, calor, formigamento, agulhadas, adormecimento ou pressão no trajeto de nervos periféricos, próximos ao local da mordedura e alterações de comportamento.

A infecção da raiva progride, surgindo manifestações mais graves e complicadas, como: ansiedade e hiperexcitabilidade crescentes; febre; delírios; espasmos musculares involuntários, generalizados ou convulsões.

Tratamento

A raiva é uma doença quase sempre fatal, para a qual a melhor medida de prevenção é a vacinação pré ou pós exposição ao vírus. Quando a profilaxia antirrábica não ocorre e a doença se instala, pode-se utilizar um protocolo de tratamento da raiva humana, baseado na indução de coma profundo, uso de antivirais e outros medicamentos específicos. Entretanto, é importante salientar que nem todos os pacientes de raiva, mesmo submetidos ao protocolo sobrevivem.

 
]]>
Banco de notícias Tue, 26 Oct 2021 13:15:06 +0000
SES-MG promove seminário para discutir desafios e novas políticas de assistência à saúde bucal https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15807-ses-mg-promove-seminario-para-discutir-desafios-e-novas-politicas-de-assistencia-a-saude-bucal https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15807-ses-mg-promove-seminario-para-discutir-desafios-e-novas-politicas-de-assistencia-a-saude-bucal

A Coordenadoria Estadual de Saúde Bucal da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) promoveu na última segunda-feira, 25/10, o “WebSeminário Estadual de Saúde Bucal no SUS-MG: avançando no rumo da integralidade e equidade”. O evento, realizado em parceria com o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS-MG), marcou o Dia Nacional da Saúde Bucal.

Na abertura do webseminário, o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, salientou a importância de integralizar o acesso aos cuidados da saúde bucal como garantia da cidadania da população mineira. “É uma política importante da linha de cuidado que vai desde a atenção primária, passando pela atenção especializada e chegando até a atenção hospitalar. A saúde bucal é fundamental na redução de pneumonia aspirativa dentro dos CTIs, por exemplo, uma doença que seria evitável no ambiente hospitalar”, destacou.

Uma novidade trazida ao público foi a Política Estadual de Saúde Bucal de Minas Gerais (Sorria Minas), aprovadana semana passada durante reunião da Comissão Intergestores Bipartite do Estado de Minas Gerais. A coordenadora de Saúde Bucal da SES-MG, Jacqueline Silva Santos, destacou que “um dos objetivos do Sorria Minas, é aumentar a efetividade da rede de assistência à saúde bucal, qualificação dos profissionais, estabelecimento de indicadores de monitoramento da implantação dessa política e a mudança da lógica para a gestão da fila de espera que respeite as o grau de risco do paciente”. Até então a gestão dessa fila de espera era pela ordem de chegada.

Ainda segundo Jaqueline, “o Dia Nacional da Saúde Bucal precisa ser compreendido pela população como um dia simbólico para a reflexão do quanto a saúde bucal é importante na qualidade de vida das pessoas, que é indissociável do corpo, que ter acesso aos serviços e às ações de saúde bucal é um direito de cidadania e também para a reflexão da corresponsabilidade da população, dos profissionais e dos gestores de saúde para a melhoria das condições de saúde bucal da população”.

O webseminário também contou a presença da coordenadora Geral de Saúde Bucal do Ministério da Saúde, Caroline Martins, e do secretário executivo do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Jurandi Frutuoso. O Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais também esteve presente, assim como o COSEMS-MG e o Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais e outros gestores da SES-MG.

]]>
Banco de notícias Tue, 26 Oct 2021 12:28:08 +0000
Informe Epidemiológico Coronavírus - 26/10/2021 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15806-informe-epidemiologico-coronavirus-26-10-2021 https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15806-informe-epidemiologico-coronavirus-26-10-2021

Até o momento foram 2.179.609 casos confirmados*. Estão em acompanhamento** 22.423 casos e são 2.101.784 casos recuperados***. Estão confirmados 55.402 óbitos****.

*Total de casos confirmados: soma dos casos confirmados, que não evoluíram para óbito e dos óbitos confirmados por covid-19.

**Casos em acompanhamento: casos confirmados de covid-19, que não evoluíram para óbito, cuja condição clínica permanece sendo acompanhada ou aguarda atualização pelos municípios.

***Casos recuperados: casos confirmados de covid-19 que receberam alta hospitalar e/ou cumpriram isolamento domiciliar de 14 dias sem intercorrências.

****Óbitos confirmados: óbitos confirmados para covid-19.

Dados parciais, sujeitos a alterações. Atualizado em 26/10/2021. Fonte: COES MINAS/COVID-19/SES-MG.

Considerando que o Ministério da Saúde classificou todo o país como transmissão comunitária, além da necessidade de qualificar as informações sobre a circulação do coronavírus em Minas Gerais, desde 23/3/2020, o Boletim Informativo Diário Covid-19 publica o detalhamento apenas dos casos confirmados.


Clique aqui e acesse o Boletim Epidemiológico.

]]>
Banco de notícias Tue, 26 Oct 2021 09:40:20 +0000
I Encontro Mineiro dos Centros de Convivência de Saúde Mental https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15805-i-encontro-mineiro-dos-centros-de-convivencia-de-saude-mental https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15805-i-encontro-mineiro-dos-centros-de-convivencia-de-saude-mental

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), em parceria com o Fórum Mineiro de Saúde Mental e a Associação de Usuários e Familiares da Saúde Mental de Minas Gerais, realiza nos dias 09, 10 e 11 de novembro de 2021, o I Encontro Mineiro de Centros de Convivência de Saúde Mental: "Para a Estação da Liberdade, o trem da loucura pede passagem".

O evento será realizado de forma remota por meio das plataformas de videoconferências da ESP-MG. A programação terá início às 14h horas do dia 09/10 com a conferência de abertura e, ao longo dos 03 dias de encontro, estão previstas apresentações culturais, apresentações de experiências, pesquisas e atividades em grupos de trabalho temáticos.

O objetivo do encontro é estreitar relações e aumentar o diálogo e trocas entre centros, usuários, familiares, trabalhadores, gestores e outros atores sociais, bem como a produção de um documento que fortaleça a atuação dos Centros de Convivência do Estado.

As inscrições para o encontro têm início nesta segunda, 25/10, e serão encerradas no próximo dia 05/11/2021.

A participação no evento é totalmente gratuita e os links de acesso e participação na programação serão enviados para o e-mail dos inscritos.

Acesse aqui o formulário de Inscrição.

Boas-vindas da Equipe Organizadora.

Programação Completa.

Chamada para apresentação de Relatos de Experiência.

Arte da Identidade Visual do Encontro.

Resumo da Ementa do Encontro. 

]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 18:38:52 +0000
Seminário de enfrentamento à hanseníase comemora participação virtual https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15804-seminario-de-enfrentamento-a-hanseniase-comemora-participacao-virtual https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15804-seminario-de-enfrentamento-a-hanseniase-comemora-participacao-virtual

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) promoveu nos dias 20, 21 e 22 de outubro o “Seminário Estadual de Hanseníase: novos cenários e desafios na promoção de direitos”. Em sua primeira edição em formato virtual, o encontro discutiu a subnotificação de casos da doença e reforçou a integração dos órgãos de vigilância.

Crédito: Divulgação

A coordenadora estadual de Hanseníase da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais, Marina Caldeira, comemorou a participação expressiva do público. Houve cerca de 3 mil visualizações e 243 se inscreveram para participação no chat do evento.

“Alcançamos o objetivo geral de retomar a temática de enfrentamento da hanseníase no estado e respeitar as recomendações sanitárias de enfrentamento da pandemia por covid-19”, explicou a coordenadora. Ainda segundo ela, o alcance extrapolou a expectativa e a condição que os eventos presenciais anteriores podiam assegurar, em termos de estrutura física, com interessados vindos também de fora do estado.

Durante o evento foi discutida a situação epidemiológica da hanseníase em Minas Gerais e no Brasil. A mesa contou com a participação da coordenadora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da SES-MG, Eva Lídia Arcoverde. Já a diretora de Vigilância de Agravos Transmissíveis da SES-MG, Marcela Ferraz, discutiu a gestão participativa de enfrentamento à doença no painel de encerramento, com representantes do Conselho Estadual de Saúde, do Ministério da Saúde e do Comitê Estadual de Enfrentamento da Hanseníase.

 

]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 17:46:16 +0000
Regional de Saúde de Juiz de Fora inspeciona instituições de saúde mental em Matias Barbosa https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15803-regional-de-saude-de-juiz-de-fora-inspeciona-instituicoes-de-saude-mental-em-matias-barbosa https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15803-regional-de-saude-de-juiz-de-fora-inspeciona-instituicoes-de-saude-mental-em-matias-barbosa

Na última terça-feira 19/10, a Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Juiz de Fora, por meio do Núcleo de Vigilância Sanitária (Nuvisa), visitou o município de Matias Barbosa com objetivo de inspecionar instituições de saúde mental e tratamento de dependência química, chamadas comunidades terapêuticas.

Divulgação

A ação foi uma parceria da SRS, representada pela coordenadora do Nuvisa, Sâmia La-Côrte, e o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), representado pelo promotor Dr. Rodrigo Barros. A inspeção também contou com a participação de Flávia Cristina Silva Lopes Oliveira, Visa do município; Clara Faria da Silva, assistente social do CRAS/M.B; Amanda Cristina Nogueira, psicóloga do CRAS/M.B; e os policiais Militares, Thiago Valério Coimbra e Artur Corrêa de Almeida.

Segundo Sâmia, “a inspeção teve como finalidade verificar as condições sanitárias para funcionamento; as instalações físicas dos ambientes externos e internos, se em boas condições de conservação, segurança, organização, conforto e limpeza. Durante a ação, foi conferida a documentação do estabelecimento, observando sua finalidade, atividades administrativas, técnicas e assistenciais. Lembrando que cada residente da instituição deve possuir ficha individual em que se registre periodicamente o atendimento dispensado, bem como eventuais intercorrências clínicas observadas e Plano Terapêutico Individual”, conclui.

A coordenadora do Nuvisa completa: “No caso das Comunidades Terapêuticas, o serviço é de caráter residencial transitório destinado a oferecer cuidados contínuos de saúde, de caráter residencial, para adultos com transtornos decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas.  Essas instituições, conforme previsto na legislação, só podem acolher pessoas adultas com necessidades decorrentes do uso prejudicial de álcool e outras drogas para abrigamento, de forma voluntária e encaminhada por serviço da rede pública de saúde, após avaliação clínica, psiquiátrica e odontológica que as considere aptas para o acolhimento”, finaliza.

 
 
]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 17:03:30 +0000
Municípios da GRS-Januária participam do dia “D” da Campanha Nacional de Multivacinação https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15802-municipios-da-grs-januaria-participam-do-dia-d-da-campanha-nacional-de-multivacinacao https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15802-municipios-da-grs-januaria-participam-do-dia-d-da-campanha-nacional-de-multivacinacao

Os municípios de jurisdição da Gerência Regional de Saúde (GRS) de Januária realizaram mobilização no sábado 16, marcando assim, o dia “D” da Campanha Nacional de Multivacinação, iniciada em 1º de outubro com vigência prevista até o dia 29 de outubro.

A mobilização teve como objetivo oferecer o acesso às vacinas do Plano Nacional de Imunização (PNI), atualizar a situação vacinal, melhorar coberturas vacinais e homogeneidade, contribuir na redução da incidência das doenças imunopreveníveis e manter controladas, eliminadas ou erradicadas várias doenças que acometem a população na faixa etária que compreende infância e adolescência bem como, marcar a importância da Campanha de Multivacinação no Brasil.

Divulgação

A atualização vacinal aumenta a proteção contra as doenças imunopreveníveis, sendo o Dia D de mobilização uma importante estratégia para garantir o acesso da população à atualização das cadernetas. Esta estratégia garante imunização, evitando assim, a ocorrência de surtos e hospitalizações, sequelas, tratamentos de reabilitação e óbitos.

Entre as vacinas que fazem parte da campanha e compõem o Calendário Nacional de Vacinação da criança e do adolescente do Brasil, estão as de BCG, Hepatite A e B, Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 Valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite), VRH (Vacina Rotavirus Humano), Meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite), Febre Amarela, Tríplice Viral (sarampo, rubéola, caxumba), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavirus Humano).  Poderão ser atualizadas nas cadernetas as vacinas HPV (dupla adulto), febre amarela, Tríplice Viral, hepatite B, dTpa e Meningocócica ACWY (conjugada).

A referência técnica de Imunização da GRS-Januária, Iolanda Santos Vieira, defendeu a parceria e comprometimento dos municípios, alegando ainda que, a Campanha Nacional de Vacinação implica em importante estratégia para evitar o adoecimento por doenças imunopreveníveis nas crianças e adolescentes.

Em razão da pandemia do novo coronavírus, o Ministério da Saúde (MS) enviou aos estados e municípios orientações para garantir protocolos de saúde, como uso de máscaras, espaços ventilados e higienização das mãos.

 
]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 16:12:07 +0000
Santa Casa de Caridade de Diamantina recebe certificado “Angels” de excelência no atendimento do AVC https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15801-santa-casa-de-caridade-de-diamantina-recebe-certificado-angels-de-excelencia-no-atendimento-do-avc https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15801-santa-casa-de-caridade-de-diamantina-recebe-certificado-angels-de-excelencia-no-atendimento-do-avc

Na última quinta-feira 21/10, representantes da Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Diamantina estiveram presentes na solenidade de certificação da Santa Casa de Caridade de Diamantina como “Hospital Angels”. Surgido na Alemanha, o programa Angels tem como objetivo agilizar e otimizar o atendimento a pacientes vítimas de Acidentes Vascular Cerebral (AVC), capacitando profissionais e criando centros de excelência em hospitais de todo o mundo.

Crédito: Divulgação

Para conquistar a certificação, concedida à instituição pelo grupo internacional Boehringer Ingelheim, a Santa Casa passou por diversas etapas, como a construção do plano de trabalho, treinamentos multidisciplinares e administrativos, além de simulações e acompanhamento de indicadores, processo iniciado em 2019.

“A Santa Casa de Caridade de Diamantina está recebendo hoje uma certificação internacional de excelência em atendimento a vítimas do AVC. Isso quer dizer que os mesmos protocolos de atendimento utilizados em um hospital de excelência dos Estados Unidos, da Europa, ou de qualquer lugar do mundo, também serão seguidos pela equipe de profissionais da Santa Casa de Caridade de Diamantina. Parabenizamos a instituição e os seus profissionais pela conquista, porque sabemos que não foi fácil chegar até aqui”, destacou Kamila Fachola, consultora científica da Angels.

Deliane Betania Lopes, especialista em políticas e gestão da Saúde da Regional, que representou a superintendente da SRS-Diamantina na ocasião, comentou a importância da certificação conquistada pela instituição. “Parabéns à Santa Casa de Caridade pela conquista. Esta certificação é a prova de que a instituição e seus profissionais estão preparados para o atendimento de urgência a pacientes de AVC", ressaltou. 

Parceria SRS-Diamantina

De acordo com Deliane, ao final da solenidade de certificação, o representante do programa Angels, Joaquim Nunes, manifestou interesse e possibilidade da Boehringer formar parceria com a SRS-Diamantina para capacitar os municípios da macrorregião de Saúde Jequitinhona. “Caso seja concretizada, a parceria permitirá preparar os profissionais para a assistência inicial ao paciente com Acidente Vascular Cerebral (AVC), de modo que o encaminhamento do usuário à instituição de referência para o AVC seja feito de maneira adequada. A Superintendência Regional de Saúde tem trabalhado para fortalecer a Linha de Cuidado de AVC na macrorregião, estando em consonância com as diretrizes do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG)”, concluiu.

 
]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 16:08:33 +0000
Municípios da Regional de Saúde de Ubá celebram “Outubro Rosa” https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15800-municipios-da-regional-de-saude-de-uba-celebram-outubro-rosa https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15800-municipios-da-regional-de-saude-de-uba-celebram-outubro-rosa

A praça de Miradouro (MG) ganhou iluminação especial para despertar conscientização durante o Outubro Rosa

Movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama, o Outubro Rosa é celebrado anualmente com objetivo de disseminar informações sobre proteção e detecção precoce do câncer de mama; proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade. Os 31 municípios da Gerência Regional de Saúde (GRS) de Ubá aderiram ao movimento e realizaram ações como caminhadas e exercícios físicos orientados, encontros e campanha para realização de mamografias e exames de colo de útero, além de decorar pontos marcantes da cidade com iluminação rosa.

Acesso

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferta serviços que vão desde a prevenção dos cânceres que acometem as mulheres, diagnóstico até o tratamento dos agravos identificados. A porta de entrada é a Unidade Básica de Saúde mais próxima, que faz o acolhimento e encaminhamento para as necessidades apresentadas.

Em Ubá (MG), caminhada guiada com o título “De mãos dadas pela Vida”, durante a campanha do Outubro Rosa

A realização da mamografia permite identificar alterações características de câncer. Quanto mais cedo essa identificação for diagnosticada, maiores as possibilidades de evolução positiva para cura. “O Ministério da Saúde preconiza a realização de exame clínico mamário, por profissional da saúde, para mulheres de 40 a 49 anos, e a realização de mamografia somente se existir indicação da equipe de saúde. Já para mulheres de 50 a 69 anos, é preconizado a realização de mamografia a cada dois anos e do exame clínico das mamas anual para as mulheres de 50 a 69 anos”, informou Marcela Azevedo, referência técnica em Saúde da Mulher da GRS-Ubá.

A avaliação clínica e o exame citopatológico (Papanicolau) do colo do útero estão disponíveis no SUS para mulheres de 25 a 64 anos e que já tiveram relação sexual. “A direção é a mesma, procurar a Unidade de Saúde mais próxima de sua residência. As equipes estão preparadas para acolher as mulheres e orientá-las no tratamento necessário”, completou Marcela.

Além do diagnóstico, o SUS oferece tratamento tanto para o câncer de mama quanto para o de colo do útero. Mastectomias, cirurgias conservadoras e de reconstrução mamária, além de radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e terapia com anticorpos estão previstos para o tratamento do câncer da mama. No caso do câncer de colo de útero, entre os tratamentos disponíveis no SUS estão a cirurgia, a quimioterapia e a radioterapia. A escolha pelo tipo de tratamento dependerá de avaliação individual.

Em São Francisco do Glória (MG), grande encontro com palestras e descontração

 
]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 16:03:21 +0000
SRS Passos realiza oficina Vigilância do Óbito por Tuberculose https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15799-srs-passos-realiza-oficina-vigilancia-do-obito-por-tuberculose https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15799-srs-passos-realiza-oficina-vigilancia-do-obito-por-tuberculose

Com o objetivo de implantar a vigilância do óbito por tuberculose nos municípios da sua jurisdição, a Superintendência Regional de Saúde (SRS) de Passos realizou uma oficina com os coordenadores municipais de Epidemiologia, Atenção Básica à Saúde e referências técnicas de Vigilância de Óbitos e Tuberculose. O evento de capacitação teve apresentações de referências técnicas da Regional de Saúde de Passos e da médica infectologista Priscila Freitas das Neves Gonçalves, do programa de Tuberculose do município de Passos.

Divulgação

A coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológica (Nuvepi) da SRS Passos, Márcia Aparecida Silva Viana, abriu a capacitação, denominada como “Oficina para Implantação da Vigilância do Óbito com Menção de Tuberculose nas Causas de Morte”, reforçando a necessidade das equipes de Epidemiologia e a Atenção Básica à Saúde ficarem atentas quanto à tuberculose. “Nós precisamos conhecer o tamanho desse problema e precisamos identificar onde ele está”, frisou.

A referência técnica de tuberculose da SRS Passos, Maria Ambrosina Cardoso Maia, apresentou ao público o contexto atual da doença no Brasil, Minas Gerais e nos municípios da região. “O enfrentamento da tuberculose (TB) é ainda um desafio para os serviços de saúde”, disse.

Os números apresentados por Maria Ambrosina mostram a dimensão do problema e a importância do comprometimento das equipes de Atenção Básica à Saúde para a identificação dos casos.

Em 2020, a tuberculose teve 66.819 casos notificados no Brasil, com 4.500 mortes, representando 8,4% das doenças infecciosas e parasitárias. Em 2015, 44% dos óbitos registrados no país ocorreram na região Sudeste. Na área da SRS Passos, em 2020, houve 69 casos da doença e em 2021, até setembro, já foram diagnosticados outros 62 pacientes, com quatro óbitos.

 “A capacitação ofertada para os representantes dos municípios sobre a vigilância do óbito com menção de tuberculose nas causas de morte demonstra o comprometimento da SRS Passos com o programa de Controle da Tuberculose. O óbito por TB é considerado um óbito que pode ser evitado, sendo indicativo de fragilidades na assistência ao paciente pela rede de atenção à saúde”, disse Maria Ambrosina. “Ao identificar as fragilidades (essa rede) poderá propor medidas para subsidiar ações de controle”, acrescentou.

Segundo acentua a infectologista Priscila Gonçalves, a tuberculose é uma doença crônica e de notificação compulsória do serviço de saúde, mas o que tem ocorrido é uma subnotificação de casos, não permitindo o tratamento do paciente enquanto haveria tempo e abrindo caminho para a transmissão do parasita (bacilo de Koch) para outras pessoas. “A busca ativa é realizada a todo momento e não é só pelo médico. A busca ativa é da equipe de estratégia da saúde. Fazendo um diagnóstico precoce, vamos quebrar a cadeia de transmissão e melhorar a sobrevida do paciente”, disse.

A oficina de implantação da Vigilância do Óbito por Tuberculose teve também as participações das referências técnicas Cibele Batista Ribeiro (vigilância de óbitos da SRS Passos) e Tamara Rodrigues Costa Melo (Sistema de Informação de Mortalidade - SIM). Cibele Ribeiro fez abordagem sobre as “Equipes envolvidas na Vigilância do Óbito com menção de tuberculose e instrumentos utilizados”, enquanto Tamara Melo realizou a oficina “Acompanhamentos de óbitos com menção de tuberculose no SIM”.

 
]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 15:58:37 +0000
Regional de Januária se mobiliza pelo Outubro Rosa https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15798-regional-de-januaria-se-mobiliza-pelo-outubro-rosa https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15798-regional-de-januaria-se-mobiliza-pelo-outubro-rosa

A Gerência Regional de Saúde (GRS) de Januária, por intermédio de sua diretora, Ioná de Carvalho Lisboa, reuniu os servidores, na sexta-feira 22/10, com intuito de promover a conscientização sobre a campanha Outubro Rosa, de controle do câncer de mama.

O Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure, sendo celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações sobre o câncer de mama; proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

Divulgação

O câncer de mama não possui causa única, portanto é muito importante a atenção aos aos fatores que desencadeiam a doença, como: idade (após os 50 anos; primeira menstruação ocorrer antes dos 12 anos de idade;  menopausa após 55 anos; primeira gravidez após os 30 anos ou não ter tido filhos; fumo; consumo de álcool; sobrepeso ou obesidade; exposição frequente a raios-X; histórico familiar de câncer de mama e/ou ovário em parentes de primeiro grau (mãe, irmã ou filha) que tenham tido a doença antes dos 50 anos; uso de terapia de reposição hormonal pós-menopausa, principalmente se por tempo prolongado; e terapia hormonal em mulheres transexuais e travestis.

Sendo assim, para reduzir os riscos de um possível câncer de mama, é aconselhável que as mulheres adotem hábitos mais saudáveis, sendo imprescindível, manter alimentação adequada e equilibrada, priorizando alimentos in natura e minimamente processados, evitando alimentos ultraprocessados, e ainda, a realização de qualquer atividade física para auxiliar no controle do peso corporal. O diagnóstico precoce ainda é a ferramenta mais eficaz, pois ele irá aumentar as chances de sucesso do tratamento.

Quanto à avaliação das mamas, está preconizado que mulheres de 40 a 49 anos devem realizar o exame clínico das mamas por profissional da saúde, e, caso exista indicação da equipe de saúde, deve-se realizar a mamografia.  Para as mulheres de 50 a 69 anos deve ser realizado exame clínico das mamas por profissional da saúde e realização de mamografia de 2 em 2 anos, ou em intervalos menores, dependendo do resultado da mamografia anterior. Já as mulheres com elevado risco para câncer de mama (histórico familiar e/ou histórico pessoal de câncer de mama) é necessário avaliação e acompanhamento individualizado. É essencial que ao perceber alguma alteração na mama, a pessoa procure a equipe de saúde mais próxima de sua casa.

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) segue buscando chamar atenção para uma visão integral sobre a saúde da mulher, estimulando o autocuidado e recomendando a mudança de hábitos para um estilo de vida mais saudável. A diretora da GRS Januária ressaltou a importância em divulgar as informações e reflexões sobre o câncer de mama e também sobre a prevenção do câncer de colo do útero. “É necessário que todas as pessoas estejam orientadas sobre o autocuidado, o diagnóstico e tratamento precoce, para que dessa forma reduza a mortalidade por essas causas”, finalizou Ioná Lisboa.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de mama também acomete homens, porém é raro, representando apenas 1% do total de casos da doença. O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento para o câncer de mama em Unidades Hospitalares especializadas.

 
]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 11:56:29 +0000
GRS-Leopoldina discute projeto Saúde em Rede com gestões municipais https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15797-grs-leopoldina-discute-projeto-saude-em-rede-com-gestoes-municipais https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15797-grs-leopoldina-discute-projeto-saude-em-rede-com-gestoes-municipais

A Gerência Regional de Saúde (GRS) de Leopoldina promoveu, na sexta-feira 21, reunião com as gestões municipais de saúde dos municípios jurisdicionados à GRS para apresentar o andamento do projeto Saúde em Rede. Durante o encontro, o gerente regional, Renan Guimarães, analistas da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), apoiadoras da Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG) e secretários municipais de Saúde também articularam e alinharam questões inerentes à execução do projeto nos municípios.

Divulgação

O Saúde em Rede iniciou na microrregião de Saúde Além Paraíba e Leopoldina/Cataguases em maio deste ano, com participação dos 15 municípios adscritos à GRS-Leopoldina. Dos oito ciclos de formação, o projeto chegou ao 4º, atingindo a metade do processo. Até o momento, já foram discutidos temas diversos, como: trabalho em equipe, integração entre Atenção Primária à Saúde (APS) e Atenção Ambulatorial Especializada (AAE), territorialização, cadastramento familiar, agendamento, classificação de risco.

A analista regional, Aline Costa Rezende, considera o resultado da reunião positivo, “acreditamos que conseguimos sensibilizar os gestores sobre a importância do apoio ao projeto, a partir da demonstração dos benefícios que a organização da Atenção Primária à Saúde trará para os municípios e a região. É muito satisfatório ver o avanço dos municípios e do Centro Estadual de Atenção Especializada (CEAE) nessa trajetória que, certamente, trará bons resultados assistenciais, bem como, a melhoria de indicadores da Rede Materno-infantil”.

Júlio Sevidanes, secretário municipal de Saúde de Pirapetinga e tutor do Saúde em Rede no seu município, reforçou a importância do projeto. “Com o Saúde em Rede, muitas coisas vêm sendo esclarecidas, até mesmo sobre trâmites que nós podemos ter acesso à saúde especializada, mais aprofundada da atenção primária com a atenção especializada. Encerramos o 4º ciclo e já posso vislumbrar o quão importante é essa capacitação para reestruturar a rede de saúde dos nossos municípios”, disse. Ainda segundo Sevidanes, o projeto é um ganho muito grande para todos os profissionais, para as Estratégias de Saúde, e principalmente, para os cidadãos e pacientes.

 
]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 11:51:45 +0000
Hospital Alberto Cavalcanti realiza seminário de cuidados paliativos https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15796-hospital-alberto-cavalcanti-realiza-seminario-de-cuidados-paliativos https://www.saude.mg.gov.br/cidadao/conheca-o-sus/stories/15796-hospital-alberto-cavalcanti-realiza-seminario-de-cuidados-paliativos

Será realizado amanhã (26/10), às 10h, o evento de encerramento do “II Seminário do Serviço de Cuidados Paliativos do Hospital Alberto Cavalcanti (HAC)”, que tem como tema principal, nesta edição, “Vínculo Terapêutico: repercussões”. O evento, voltado principalmente aos profissionais de saúde, foi realizado ao longo do mês de outubro e celebra o Dia Internacional dos Cuidados Paliativos, comemorado sempre no segundo sábado deste mês.

“O objetivo é sensibilizar os profissionais de saúde, acadêmicos, residentes e o público em geral em relação aos benefícios da humanização nos cuidados paliativos, e incentivar que essa abordagem seja iniciada logo após o diagnóstico do paciente, preparando ele e a sua família sobre as possíveis limitações e alterações das atividades diárias, como se alimentar, vestir e tomar banho, auxiliando, inclusive, em questões sociais e jurídicas. Afinal, a partir da observação do cotidiano do paciente e de seus familiares, elaboramos um plano de cuidado direcionado, respeitando os aspectos biológicos, psicossociais e espirituais de cada um”, explica a enfermeira responsável pelo Serviço de Cuidados Paliativos do HAC, que integra o Complexo de Especialidades administrado pela Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), Liliane Santos Silva.

Segundo ela, muitas vezes, esses pacientes têm suas funcionalidades afetadas, então o vínculo terapêutico criado entre a equipe de cuidados paliativos, paciente e família colabora para a elaboração do plano de cuidados, que inclui as ‘Diretivas Antecipadas de Vontade', ajudando na aceitação e adaptação da nova realidade, modificada pela doença. “Nosso objetivo é que a vontade do paciente seja respeitada e que ele passe por esse processo de forma planejada. Além disso, auxiliamos a família no luto, que geralmente começa antes mesmo do falecimento do ente querido. É um serviço completo”, ressalta a enfermeira.

Serviço

A equipe de cuidados paliativos conta com enfermeiros, nutricionistas, terapeutas ocupacionais e fonoaudiólogos. Além disso, o serviço ainda oferece treinamento sobre Hipodermóclise para estudantes de medicina e do curso técnico de enfermagem e para as equipes da Urgência e Emergência e de Internação da unidade. “É uma ação educativa em parceria com o Núcleo de Ensino e Pesquisa (NEP) do HAC, já que a unidade é campo de estágios. Tem sido uma troca muito bacana, pois os estudantes acabam colaborando na difusão dos benefícios da técnica”, afirma Liliane.

De acordo com a enfermeira dos cuidados paliativos, a técnica Hipodermóclise é um tipo de punção subcutânea para hidratação e administração de medicamentos que ajudam a minimizar a dor e o sofrimento, diminuindo também o risco de infecções.

Seminário

Os primeiros encontros ocorreram nos dias 5 e 19 de outubro, reunindo, no total, 62 participantes on-line e outros 62 no auditório do HAC, respeitando todas as normas de segurança para a prevenção da covid-19.

O primeiro dia abordou temas relacionados às práticas integrativas, humanização, terapia e planejamento. Já o segundo dia de seminário, teve sua temática voltada à saúde do trabalhador. “Lidamos, diariamente, com situações muito delicadas, acompanhando de perto o sofrimento de muitas pessoas. Para oferecermos um bom atendimento e trabalharmos em um ambiente adequado, também precisamos que a equipe, que também possui suas características humanas, seja cuidada e receba suporte psicológico”, explica Liliane.

Programação

Amanhã (26/10), último dia do seminário, será abordado o luto dos familiares, que, de acordo com a enfermeira responsável pelos cuidados paliativos do HAC, é chamado de recomeço do vínculo terapêutico. “É quando damos o suporte à família e fazemos o seu acolhimento”, diz Liliane.
O evento será realizado no auditório do Hospital Alberto Cavalcanti e terá transmissão ao vivo, pela internet, possibilitando participação e envio de perguntas, on-line e presencial. Ao final, todos os participantes receberão certificado.

Para assistir pela internet, basta acessar os links:
10h: https://meet.google.com/vde-acuz-uhh
11h: https://meet.google.com/avv-yfvb-kng

Confira a programação completa:
SESSÃO VÍNCULO TERAPÊUTICO CONSIDERAÇÕES
10h: Abertura
“Discurso Institucional

10h10: Subtemáticas e palestrantes
Apresentação da Equipe Médica
“Vínculo Terapêutico”.
Palestrante: Lílian Freitas, médica.

10h20: Apresentação da Equipe Multidisciplinar
“Vínculo Terapêutico: Finitude e Recomeço”.
Palestrantes: equipe multidisciplinar do Complexo de Especialidades.

12h: Encerramento

Organizador: Liliane Santos Silva
Serviço de Cuidados Paliativos – Complexo de Especialidades.
Órgão apoiador/Patrocinador/Colaborador: Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) / Serviço de Cuidados Paliativos, Oncologia e NEP – Complexo de Especialidades.

]]>
Banco de notícias Mon, 25 Oct 2021 10:47:00 +0000