Notícias http://www.saude.mg.gov.br Sun, 30 Apr 2017 16:47:03 +0000 Joomla! - Open Source Content Management pt-br SES-MG promove saúde indígena em Minas http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9294-ses-mg-promove-saude-indigena-em-minas http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9294-ses-mg-promove-saude-indigena-em-minas

Com o propósito de garantir aos povos indígenas o acesso à atenção integral à saúde, de acordo com os princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) procura conhecer a realidade e as necessidades das oito etnias aldeadas em Minas: Pataxó, Pankararú, Xucurú Kariri, Maxakali, Mokuriñ, Kaxixó, Krenak e Xacriabá.

No primeiro semestre de 2016, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) finalizou um conjunto de visitas técnicas aos municípios com jurisdição indígena do Estado: Martinho Campos, Caldas, Itapecerica, Guanhães, Teófilo Otoni, Itacarambi, São João das Missões, Coronel Murta, Araçuaí, Bertópolis, Santa Helena de Minas, Campanário, Ladainha, Carmésia, Açucena e Resplendor.

Crédito: Ramon Jader.

As visitas foram realizadas com a participação das lideranças indígenas, do técnico de referência em Saúde Indígena da Regional a qual o município se integra e das secretarias municipais de saúde. Além das visitas , foi realizado também um levantamento da situação da estrutura das unidades básicas de saúde indígena das aldeias, de seu perfil epidemiológico e de suas condições sanitárias.

De acordo com a coordenadora Estadual de Saúde Indígena, Myrtô Sucupira, um dos resultados das visitas foi a criação de uma nova Política Estadual de Saúde Indígena que ampliou as linhas de atenção à saúde dos aldeados e a inserção de novas diretrizes e ações no SUS.

“Esta gestão prioriza o diálogo com as comunidades indígenas e demais gestores governamentais. Busca ouvir as demandas, conciliar necessidades e articular ações. O nosso diálogo com as aldeias foi muito construtivo. Apontou, por exemplo, dificuldades de inserção dos aldeados na rede de atenção à saúde fora das aldeias. Especialmente nos atendimentos de média e alta complexidade. Portanto, na elaboração da nova Política Estadual de Saúde Indígena procuramos alinhar o fluxo de atendimento aos aldeados quando necessitam inserir na rede. Também buscamos melhora a oferta de medicamentos e de consultas e exames especializados”, explicou Myrtô.

A Política Estadual de Saúde Indígena tem como foco o atendimento às etnias Pataxó, Pankararú, Xucurú Kariri, Maxakali, Mokuriñ, Kaxixó, Krenak e Xacriabá. E busca assegurar o acompanhamento e a atenção à saúde da população indígena aldeada no estado, para garantir o acesso ao serviço de saúde com qualidade e, ao mesmo tempo, valorizar suas tradições e costumes.

Novas ações

“Para 2017, novas propostas de atuação estão sendo elaboradas. A Coordenação Estadual de Saúde Indígena está trabalhando de forma integrada com outras políticas de atenção. Assim, serão desenvolvidas ações voltadas para a tuberculose, à saúde mental e a saúde da mulher, a princípio. Temas que no momento demandam maior atenção do estado”, conta Myrtô Sucupira, Coordenadora Estadual de Saúde Indígena.

Para garantir o cumprimento das ações de saúde, a SES-MG investe em 2017 o montante de R$ 3,41 milhões para a execução da Política. Os recursos são garantidos por uma resolução do Governo de Minas Gerais que oficializou em 2015 a concessão de incentivos financeiros anuais no contexto da Política Estadual de Saúde Indígena.

A resolução nº 4.997 trata das regras para os municípios poderem receber recursos para as ações de saúde voltadas à população indígena e a resolução nº 4.996, por sua vez, trata dos critérios para que sejam concedidos incentivos financeiros para apoio à manutenção do Programa de Registro e Resgate da Medicina Tradicional Indígena e Uso de Plantas Medicinais na Aldeia. 

 

]]>
Banco de notícias Wed, 19 Apr 2017 14:36:06 +0000
SES-MG realiza coletiva de imprensa sobre a Campanha de Vacinação contra a Gripe http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9291-ses-mg-realiza-coletiva-de-imprensa-sobre-a-campanha-de-vacinacao-contra-a-gripe http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9291-ses-mg-realiza-coletiva-de-imprensa-sobre-a-campanha-de-vacinacao-contra-a-gripe

Nesta terça-feira (18/04), o Subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Rodrigo Said, juntamente com o assessor da Secretaria Municipal de Belo Horizonte, Marcelo Azalin, participaram de coletiva de imprensa sobre a Campanha de Vacinação contra a Gripe 2017

O Subsecretário Rodrigo Said, destacou que na campanha deste ano os professores estão incluídos no público alvo, de acordo com orientação do Ministério da Saúde (MS). O objetivo dessa inclusão é, justamente, aumentar a oferta da vacina a esses profissionais que, por trabalharem em locais fechados, também são considerados vulneráveis à doença. Clique aqui e confira a nossa galeria de imagens. 

Crédito: Marcus Ferreira / SES-MG.

De acordo com Rodrigo Said, a meta este ano é vacinar 90% do público prioritário em Minas Gerais, que corresponde a cerca de 5.560.505 milhões de pessoas. Já em relação à capital mineira, segundo o assessor da Secretaria Municipal de Belo Horizonte, Marcelo Azalin, espera-se vacinar cerca de 800 mil pessoas. 

No Centro de Saúde Nossa Senhora Aparecida, em Belo Horizonte, Rosana Veloso Caetano, de 47 anos, portadora de doença crônica, garante que desde que passou a tomar a vacina contra a gripe, as crises de asma amenizaram. “Eu venho todos os anos e minhas crises de asma diminuíram bastante. A vacina não dói nada e é sempre melhor prevenir”. 

Veja também:
- Confira no "Blog da Saúde MG" dicas para se prevenir contra a gripe e o resfriado

Fazem parte do público prioritário desta campanha, além de indivíduos com 60 anos ou mais, as crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), as gestantes, as puérperas (até 45 dias após o parto), os trabalhadores da saúde, os povos indígenas, os grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. 

Prevenção 

De acordo com Rodrigo Said, além da vacinação voltada para o público alvo, é importante que toda a população esteja atenta às medidas de prevenção à gripe. “Lavar bem as mãos com água e sabão, utilizar o antebraço ou o lenço de papel quando for tossir ou espirrar (evitando assim cobrir a boca com as mãos), evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies, não compartilhar objetos de uso pessoal e manter os ambientes bem ventilados são algumas das medidas que podem ser tomadas por todos”, explicou o subsecretário.

Crédito: Marcus Ferreira / SES-MG.

Em 2017, até o momento, foram confirmados 32 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave causados pelo vírus da Influenza. Dos casos associados à Influenza, 5 foram provocados pelo tipo B, 1 pelo tipo A/H1, 23 pelo tipo A/H3N2 e 3 pelo tipo A não subtipado ou sem informação.

19ª Campanha Nacional de Vacinação contra Gripe

A Campanha teve início no dia 17 de abril e seguirá até 26 de maio, sendo dia 13 de maio, um sábado, o Dia D de Vacinação. Para mobilizar a população mineira, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais já começou a veicular sua campanha na TV, internet e rádios da capital e do interior do estado.

Na internet, o site www.saude.mg.gov.br/gripe foi criado especialmente para o cidadão consultar informações sobre a vacinação, a doença e as principais formas de prevenção. A campanha também será feita nas redes sociais da SES-MG (Facebook, Twitter e Instagram).

» Abaixo, confira o vídeo da coletiva sobre a campanha de vacinação contra a Gripe 2017:

 

» Abaixo, confira o áudio da coletiva sobre a campanha de vacinação contra a Gripe 2017:

 

]]>
Banco de notícias Tue, 18 Apr 2017 16:10:37 +0000
SES-MG convoca a população para a 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe 2017 http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9286-ses-mg-convoca-a-populacao-para-a-19-campanha-nacional-de-vacinacao-contra-a-gripe-2017 http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9286-ses-mg-convoca-a-populacao-para-a-19-campanha-nacional-de-vacinacao-contra-a-gripe-2017

Nesta segunda-feira (17/04), começa em todo o país a 19ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). A campanha segue até o dia 26 de maio e o dia “D” de mobilização nacional está programado para o dia 13 de maio, um sábado. O objetivo é reduzir as complicações, as internações e a mortalidade decorrentes das infecções causadas pelo vírus da influenza.

Para mobilizar a população, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) já começou a veicular sua campanha na TV, internet e rádios da capital e do interior do estado. Na internet, o site www.saude.mg.gov.br/gripe foi criado especialmente para o cidadão consultar informações sobre a vacinação, a doença e as principais formas de prevenção. A campanha também será feita nas redes sociais da SES-MG (Facebook, Twitter e Instagram).

A meta é vacinar 90% do público prioritário, cerca de 5.560.505 milhões de pessoas em Minas Gerais. O grupo é composto por indivíduos com 60 anos ou mais de idade, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), Gestantes, Puérperas (até 45 dias após o parto), Trabalhadores da saúde, Povos indígenas aldeados, População privada de liberdade e grupos especiais (portadores de doenças crônicas não transmissíveis). Também estão incluídos, os professores das escolas públicas e privadas (esse público representará aproximadamente 253 mil pessoas em Minas).

Amanhã, terça-feira (18/04), (SES-MG), promoverá uma coletiva à imprensa sobre o assunto. A coletiva acontecerá no Centro de Saúde Nossa Senhora Aparecida, localizado na Rua Paulino Marques Gontijo, número 109, no bairro Novo São Lucas, em Belo Horizonte e vai contar com a participação do Subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Rodrigo Said e referências técnicas da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte e da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais.

De acordo com a Diretora de Vigilância Epidemiológica da SES-MG, Janaína Fonseca Almeida, a vacinação tráz grandes benefícios para a população, principalmente para o público que possui um risco maior de desenvolver complicações da doença. “Como os vírus que causam a gripe se modificam a cada ano, é importante que as pessoas compareçam as Unidades de Saúde para serem imunizadas anualmente. As pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, independente da idade (conforme indicação do Ministério da Saúde em conjunto com sociedades científicas), mantém-se a necessidade de prescrição médica especificando o motivo da indicação da vacina”, reforçou.

Ainda segundo Janaína Fonseca, a gripe pode ser causada pelos vírus Influenza A, B e C. “Os vírus A e B apresentam maior importância clínica. Estima-se que, em média, as cepas A causem 75% das infecções, mas em algumas temporadas, ocorre predomínio das cepas B. Os tipos A e B sofrem frequentes mutações e são responsáveis pelas epidemias sazonais, também por doenças respiratórias com duração de quatro a seis semanas e que, frequentemente, são associadas com o aumento das taxas de hospitalização e morte por pneumonia. Já o tipo C causa problemas respiratórios leves e infecta humanos, cachorros e porcos”, explicou.

Cobertura vacinal

Em 2016, foi registrado um total de 3,9 milhões de doses aplicadas, representando 95,3% do público alvo da campanha. Em relação aos outros grupos, foram registrados mais de 1 milhão de doses em pessoas com comorbidades. Deste total, 50,3% foi em portadores de doenças respiratórias crônicas, 17,3% em portadores de diabetes e 14,8% em pessoas com doenças cardíacas crônicas. 

Quanto ao grupo privados de liberdade, estimado em 51.173 pessoas, incluindo os funcionários do sistema prisional, foram aplicadas 71.120 doses da vacina influenza.

Gripe em Minas

De janeiro de 2017 até o momento, 17/04, foram registrados 32 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave por Influenza, sendo que 5 foram pelo tipo B, 1 pelo tipo A/H1, 23 pelo tipo A/H3N2 e 3 pelo tipo A não subtipado ou sem informação. Destes, quatro evoluíram para óbito.

A faixa etária mais acometida é de pessoas acima de 50 anos, totalizando 57% dos casos confirmados. Em 2016 foram registrados 1.059 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave por Influenza, sendo que 623 pelo tipo A/H1N1. 291 óbitos foram confirmados por causa da doença.

Doença

A gripe é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos, que após contato com superfícies recém‐contaminadas por secreções respiratórias pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz. A transmissão é muito elevada em ambiente domiciliar, creches, escolas e em ambientes fechados ou semi fechados.

Além da vacinação, a diretora reforça alguns cuidados para evitar a doença. “A vacinação é uma das medidas mais efetivas para a prevenção da forma grave da influenza e de suas complicações e deve ser associada com outros cuidados, também fundamentais, para proteger contra a gripe, como beber bastante água, manter as vias respiratórias bem hidratadas, evitar locais com muitas pessoas e com pouca circulação de ar, manter as janelas de ônibus sempre abertas, sempre jogar os lenços de papeis no lixo, nunca usar as mãos para espirrar ou tossir, ao tossir ou espirrar usar a etiqueta da tosse, evite compartilhar alimentos, copos, talheres, toalhas e outros objetos de uso pessoal. Diante de qualquer sintoma de gripe, procure uma Unidade de Saúde mais próxima”, orientou.

A síndrome gripal, que se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga é a manifestação mais comum. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização. Nesta situação, denominada Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), é obrigatória a notificação às autoridades de saúde.

Outras informações estão disponíveis em: www.saude.mg.gov.br/gripe 

 

]]>
Banco de notícias Mon, 17 Apr 2017 14:38:24 +0000
Governo de Minas entrega mais de mil equipamentos de saúde para 47 municípios http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9281-governo-de-minas-entrega-mais-de-mil-equipamentos-de-saude-para-47-municipios http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9281-governo-de-minas-entrega-mais-de-mil-equipamentos-de-saude-para-47-municipios

O governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, juntamente com o secretário de Estado de Saúde, Sávio Souza Cruz, entregaram nesta quarta-feira (12/04), no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, 1.062 equipamentos para Unidades Básicas de Saúde (UBS) de 47 municípios mineiros. O investimento é de R$ 2,1 milhões e contemplará 50 UBS's. 

O objetivo é garantir que as unidades de saúde tenham os equipamentos mínimos para instalação e funcionamento das equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF) e, com isso, possam permitir a ampliação do acesso e da qualidade do atendimento ao usuário do Sistema Único de Saúde (SUS). Clique aqui e confira a nossa galeria de imagens.

Crédito: Verônica Manevy / Imprensa MG.

O secretário Sávio Souza Cruz destacou o empenho do governo em conseguir proporcionar os melhores serviços à população mineira. “Esses 47 municípios estão tendo essas unidades básicas equipadas de forma a permitir que a estratégia de saúde da família possa ser implementada com maior conforto e de forma mais eficiente. Nós estamos consolidando uma estratégia que foi traçada em 2015 e que estabeleceu critérios e a documentação necessária para os municípios cujas UBS's precisavam ser equipadas se credenciassem para receber esses equipamentos”, explicou.

O empenho do governo em “multiplicar os poucos recursos para atender os municípios do Estado foi também enfatizado pelo governador Fernando Pimentel. “Com a experiência de ter sido prefeito de Belo Horizonte, secretário municipal, vice-prefeito, ministro, e agora governador, digo que um posto de saúde bem equipado faz toda a diferença para quem precisa. Fazer uma doação de ambulância, como já fizemos mais de mil do ano passado para cá, de um equipamento para colocar no posto de saúde ou um convênio que você faz com o município, parece coisa pequena quando você olha de longe, mas é importante porque, muitas vezes, o município não tem recursos para cuidar daquela necessidade mais imediata do cidadão. É isso que chamo de pequenas entregas, que fazem muita diferença para a vida dos mineiros”, afirmou.

O governador também ressaltou a importância da união entre os Três Poderes para um melhor desempenho da administração do Estado. “Em Minas, não que não tenha crise, não que não tenha problema, mas estamos enfrentando as crises e as adversidades trabalhando 24 horas por dia para vencer as dificuldades. É isso que vai fazer a situação mudar, o Brasil andar para frente. Minas está construindo e já tem dois anos que nós estamos trabalhando nessa direção, um ambiente de harmonia entre o Poder Legislativo, o Executivo e o Judiciário”, completou.

Representando os chefes de Executivo dos municípios beneficiados, a prefeita de Oliveira, Cristiane Lasmar de Moura Rezende, salientou a importância dos equipamentos de saúde. “Agradeço em nome dos prefeitos ao governador e ao secretário de Saúde que, mesmo frente às dificuldades financeiras, têm se preocupado com a atenção à saúde dos municípios. Esses equipamentos são muito importantes, pois a atenção básica é de extrema necessidade para cuidar da população”, disse. Também participaram do evento secretários de Estado, deputados estaduais, prefeitos, vereadores e lideranças municipais.

Entregas

Foram entregues 50 oftalmoscópios, 50 aspiradores de secreção, 50 carros para uso hospitalar (carro de emergência), 52 detectores fetais, 50 desfibriladores (DEA), 50 câmaras de conservação 100-150 litros, 50 câmaras de conservação 300-350 litros, 123 carros maca, 52 mesas ginecológicas, 50 cadeiras de roda para obeso, 50 eletrocardiógrafos, 210 mesas clínica e 225 impressoras.

 

]]>
Banco de notícias Wed, 12 Apr 2017 15:05:44 +0000
Regional de Varginha promove capacitação sobre Influenza http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9339-regional-de-varginha-promove-capacitacao-sobre-influenza http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9339-regional-de-varginha-promove-capacitacao-sobre-influenza

WhatsApp Image 2017-04-27 at 15.54.34

Com o intuito de atualizar os novos profissionais da área de vigilância e assistência hospitalar nas ações de enfrentamento ao período de sazonalidade da Influenza, a Superintendência Regional de Saúde de Varginha promoveu, nesta quinta-feira (27/04), capacitação sobre Vigilância de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) com ênfase em Influenza.

O evento, que foi conduzido por Monique Borsato, Autoridade Sanitária do Núcleo de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador (NUVEAST/SRS Varginha), contou com a participação de Coordenadores de Vigilância em Saúde, Epidemiologia, Atenção Básica e referências da área hospitalar dos 50 municípios jurisdicionados à regional de Varginha.
Monique Borsato abordou a situação epidemiológica da Influenza no ano de 2017, nos cenários mundial, nacional e estadual, apresentando a cobertura vacinal até o momento nos municípios jurisdicionados pela regional. Outros pontos apresentados ao longo da reunião foram: o período de ocorrência, circulação viral, morbidade, transmissão, quadro clínico, complicações e os modos de prevenção da, a Vigilância de Síndrome Respiratória Aguda Grave, o diagnóstico laboratorial, exames complementares para vigilância e o seu, bem como a coleta de espécime respiratório para diagnóstico etiológico da Influenza.

Para Monique Borsato, a presença destes profissionais neste encontro é de extrema importância para o reforço das informações acerca da Influenza, bem como apresentação das alterações da campanha vacinal, que agora possui meta de 90% de cobertura. “É necessário que estejamos sempre retomando as particularidades da vigilância e assistência a este agravo. O trabalho em equipe, junto aos municípios, é fundamental para um maior alcance vacinal, bem como, medidas protetivas e tratamento oportuno”, destacou Monique Borsato.

]]>
Banco de notícias Fri, 28 Apr 2017 17:03:31 +0000
Regional de Saúde de Uberlândia descentraliza testes rápidos para Aids e IST´s http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9338-regional-de-saude-de-uberlandia-descentraliza-testes-rapidos-para-aids-e-ist-s http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9338-regional-de-saude-de-uberlandia-descentraliza-testes-rapidos-para-aids-e-ist-s

A partir de abril, os 18 municípios da Regional de Saúde de Uberlândia poderão fazer os pedidos via sistema interno dos testes rápidos de HIV, Hepatites B e C e Sífilis. Em 2016, foram confirmados, positivamente para Aids, 654 casos na região e, este ano, até o momento, 60 casos. A Atenção Primária será a porta de entrada para a realização dos testes no próprio município.

O treinamento para alinhar as equipes foi realizado nesta quarta e quinta-feira (26 e 27/04) e participaram coordenadores de Vigilância Epidemiológica e Atenção Primária, além de enfermeiros técnicos responsáveis pelas Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST´s) dos municípios.

1493385878c22340376c50c34955b785c1c86aedc6

Segundo a referência técnica em IST’s/Aids do Núcleo de Redes de Atenção à Saúde da Regional de Saúde de Uberlândia, Flávia Machado, anteriormente, os testes rápidos eram feitos nos serviços especializados em Patrocínio, Uberlândia e Araguari, “com a descentralização, as unidades de saúde não precisam mais encaminhar os pacientes para estas três cidades.

A vantagem é que eles podem fazer em seu município de residência e em até quinze minutos já têm o resultado para as IST´s. Caso dê positivo, por medidas de segurança, o paciente é encaminhado para fazer o exame sorológico – que é mais demorado” descreveu.

A referência complementou que este modelo é mais barato porque se der negativo, a suspeita já é descartada e não precisa fazer o exame sorológico. “Com a facilidade de acesso ao teste, o diagnóstico é precoce e o tratamento também”, ressaltou.

Mayara Cristina de Almeida, referência técnica da Coordenação de IST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), reforçou também o preenchimento correto das fichas de notificação, pois é a partir dos dados que o Estado realiza uma análise conclusiva, concreta e completa. “São estas informações que o Ministério da Saúde utiliza para a compra de medicamentos e outros insumos e o Estado planeja suas ações”, disse.

A descentralização dos testes e todo fluxo é muito importante para os municípios, defendeu a Coordenadora da Vigilância em Saúde de Monte Carmelo, Naessa Dias Lemes. “É essencial para Monte Carmelo a realização no próprio município dos testes rápidos, será muito mais fácil realizar o diagnóstico, pois o paciente não irá precisar se deslocar para outras cidades. Muitas vezes as pessoas não sabem que têm a doença porque não realizam o teste”. A coordenadora ainda disse que com o diagnóstico correto, as notificações ficam mais próximas da realidade, o que melhora a qualidade do tratamento e a investigação por novos casos.

Todas as equipes das secretarias já foram capacitadas para a descentralização. A partir do treinamento, irão receber as senhas para entrarem no sistema e realizarem diretamente seus próprios pedidos dos testes, que são fornecidos pela Secretaria de Estado de Saúde e Minas Gerais (SES-MG) e Ministério da Saúde.

» Clique aqui e baixe as apresentações do evento

» Clique aqui e veja a cobertura de fotos

]]>
Banco de notícias Fri, 28 Apr 2017 10:10:36 +0000
Aumento no número de casos de Chikungunya reforça a importância da prevenção http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9333-aumento-no-numero-de-casos-de-chikungunya-reforca-a-importancia-da-prevencao http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9333-aumento-no-numero-de-casos-de-chikungunya-reforca-a-importancia-da-prevencao

Em 2017, a Chikungunya teve um aumento de mais de 3.251%, se comparado aos primeiros quatro meses de 2016. Em 2016 foram 298 casos nos primeiros quatro meses do ano, já em 2017 foram 9.986 casos, no mesmo período. Causada pelo vírus Aedes aegypti, a Chikungunya é uma doença viral, que na fase aguda apresenta sintomas como febre alta, dor muscular, exantema (erupção na pele), conjuntivite e dor nas articulações (poliartrite). Em Minas Gerais, a circulação autóctone (dentro do próprio território) desse vírus acontece desde 2015.

Por isso, as ações de enfrentamento, controle e prevenção são muito importantes para evitar qualquer uma das doenças causadas pelo Aedes. Para o subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Rodrigo Said, esse aumento no número de casos pode ser explicado por diversos fatores, sendo que um deles é que a transmissão da doença, que  está relacionada à transmissão pelo vetor, que é o mosquito Aedes aegypti.

Crédito: Divulgação

“Hoje, no nosso estado temos todas as condições ambientais, econômicas, sociais e culturais para apresentar alto padrão de circulação e alta densidade. Outro fato é que estamos falando de um vírus que foi recentemente introduzido no nosso Estado, com a sua circulação autóctone identificada no ano de 2015 e dessa maneira ele nunca circulou anteriormente. Assim, não temos proteção em nosso organismo, ou seja, proteção imunológica”, argumenta.

Histórico

Em Minas Gerais, no ano de 2017, foram notificados até o dia 26 de abril, 9.986 casos prováveis da doença. No Estado, em 2016, foram registrados durante todo o ano 503 casos, sendo que em 2015, 31 casos.  A primeira epidemia documentada dessa doença aconteceu no leste da África, entre 1952 e 1953. Uma curiosidade sobre a doença é Chikungunya significa "aqueles que se dobram" em swahili, um dos idiomas da Tanzânia, que se refere à aparência curvada dos pacientes que foram atendidos nessa primeira epidemia. 

“Ao avaliar os dados históricos das doenças do Aedes em Minas – principalmente da Dengue que tem um padrão de circulação há mais tempo em nosso estado, temos transmissão em todos os meses do ano. Ela tem um padrão de circulação endêmica e esse cenário pode se repetir para e Zika e Chikungunya”, explica Said. 

O Subsecretário destaca, ainda, que os ovos dos mosquitos podem sobreviver em um ambiente por mais de 360 dias sem contato com a água. “Assim, o mosquito encontra um criadouro, deposita seus ovos para quando chegar no período chuvoso, normalmente final do ano, ele tem a eclosão e completa esse ciclo, a partir do contato com a água. Por isso essa ação dentro das residências tem que ser permanente independente da variação climática”.

Atitude Gera Saúde

Todo cuidado é pouco quando se trata de Zika, Chikungunya e Dengue. Por isso, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) reforça que apesar do fim do período chuvoso – tão característico do verão, a prevenção, o controle e o enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti deve fazer parte da rotina doméstica, uma vez que 90% dos focos são intradomicialiares, ou seja, dentro das casas das pessoas. 

“É essencial ressaltar que, mesmo que não estejamos mais no período chuvoso, é importante que as pessoas realizem ações simples, cotidianas e com frequência de uma vez por semana, que podem contribuir significativamente para a redução dos criadouros do mosquito dessas doenças”, ressalta o subsecretário de Vigilância e Proteção à Saúde, Rodrigo Said.

O subsecretário reforça que essa rotina por parte da população, em conjunto com as visitas de agentes de endemias, que são realizadas de 4 a 6 vezes por ano nas casas, é um passo importante para se reduzir o número de casos das doenças.

Desde o final do ano passado, a SES-MG está com a campanha “Atitude Gera Saúde: Você vai deixar o Aedes marcar a sua vida?" Com esta pergunta, a SES-MG quer sensibilizar a população sobre os riscos à saúde causados pelas doenças provocadas pela picada do Aedes, bem como mostrar que a prevenção – por meio da eliminação de água parada, é o melhor caminho para evitar estes agravos. Para outras informações, acesse ao site: www.saude.mg.gov.br/aedes

 

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 17:45:13 +0000
EdPopSUS produz Mostras de Experiências nos Territórios do Vale do Rio Doce http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9337-edpopsus-produz-mostras-de-experiencias-nos-territorios-do-vale-do-rio-doce http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9337-edpopsus-produz-mostras-de-experiencias-nos-territorios-do-vale-do-rio-doce

Nesta quarta-feira (26), uma das cidades-polo do Curso de Aperfeiçoamento em Educação Popular em Saúde (EdPopSUS), Coronel Fabriciano (Vale do Rio Doce) recebeu a Mostra de Experiências EdPopSUS, produzida pelos educandos e educadores participantes.

A primeira mostra aconteceu na última terça-feira (25), em Governador Valadares, também no Território Vale do Rio Doce. Em Ponte Nova e Mariana (Território Caparaó) as apresentações estão marcadas para os dias 04 e 05 de maio, respectivamente.

A diretora-geral da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), Cida Veloso, presente na atividade, reconheceu o trabalho de organização do curso em Minas Gerais, coordenado pela Escola, que começou em 2015. “Parabenizo os educandos pela escolha de ir até o fim. Aos educadores e à coordenação que não mediram esforços para proporcionar essa oportunidade. As apresentações de hoje me emocionaram.", disse.

Ainda em sua fala, Cida citou o escritor Leonardo Boff para falar da importância do profissional do cuidado. “Todos nós somos seres de cuidado. Mas, enquanto profissionais de saúde, precisamos estar preparados para cuidar do outro em momentos de fragilidades. A essência da ESP-MG é estar envolvida em processos transformadores como o EdPopSUS”, afirmou

Avaliações e Sentidos

Renata Pekelman, apoiadora nacional do EdPopSUS esteve presente e realizou um panorama da ação. “Considerando que o EdPopSUS traz uma outra forma de pensar educação popular em saúde, o resultado é extremamente satisfatório. Uma forma que envolve as pessoas a partir das suas próprias realidades, que promove um diálogo mais intenso e isso nos ajuda a pensar refletir sobre saúde, não só de uma maneira individual, mas também coletiva. ”

William Lima de Freitas, Agente de Combate a Endemias do município de Manhuaçu, participou como educando e fala de seu lugar de atuação, a Atenção Básica do Sistema Único de Saúde (SUS). “Essa foi uma oportunidade de qualificação abordando várias temáticas atuais e relevantes. Uma capacitação que sem dúvidas me transformou positivamente”. 

A educadora dos municípios de Coronel Fabriciano, Timoteo e Ipatinga, Maria Eliete Santos concorda. “Estamos realizando um trabalho de resgate cultural dos municípios sobre cuidado, políticas públicas, ao mesmo que podemos fornecer acesso a população desse conhecimento. Respeitando a singularidade de cada município e o compromisso de publicar todos esses trabalhos produzidos. Isso transformou tanto educandos, quanto educadores”, comemora.

Trajetória

Em sua fase final, o EdPopSUS completou 17 encontros das regiões participantes. Hosana Passos, integrante do Comitê Estadual do EdpopSUS, comentou sobre os frutos da capacitação. “O saldo que temos é de possibilidades dos agentes de saúde e demais educandos protagonizarem processos de educação popular em seus municípios. Também reivindicarem de suas gestões a implementação da Política Nacional de Educação Popular, se aproximarem das práticas integrativas, além da formação política. Aprimorar a capacidade de análise sobre as opressões sofridas tanto por eles quanto pela população. Assim é possível provocar mudanças”, diz.

O curso

O EdPopSUS é uma oferta da Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa (SGEP) do Ministério da Saúde, organizada e planejada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV), com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e tem o objetivo de fortalecer a práxis dos trabalhadores do SUS, com o referencial político-metodológico da Educação Popular em Saúde, potencializando o cuidado, a participação e a mobilização popular nos territórios.

Essa segunda edição do EdPopSUS em Minas Gerais é coordenada pela ESP-MG e também acontece nos estados da Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, São Paulo e Sergipe

Confira o álbum de fotos da Mostra de Experiências em EdPopSUS:

Em Governador Valadares:  https://goo.gl/HNyAb7

Em Coronel Fabriciano: https://goo.gl/yEzPCS

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 17:41:01 +0000
Regional de Saúde de Alfenas realiza reunião técnica sobre segurança do paciente http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9336-regional-de-saude-de-alfenas-realiza-reuniao-tecnica-sobre-seguranca-do-paciente http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9336-regional-de-saude-de-alfenas-realiza-reuniao-tecnica-sobre-seguranca-do-paciente

Foi realizada nesta quinta-feira (27/04), na sede da Regional de Saúde de Alfenas, reunião técnica sobre o Programa de Segurança do Paciente. O objetivo do encontro foi apresentar aos profissionais presentes orientações sobre o programa, ampliando as discussões sobre o cuidado em saúde e os eventos adversos com danos ao paciente.

Participaram da reunião enfermeiros dos hospitais dos municípios pertencentes à Regional de Saúde de Alfenas, além de profissionais do nível central da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e também da Vigilância Sanitária da Regional de Alfenas.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Sanitária da Regional de Alfenas, Waldete Brandão de Carvalho, a meta é que o programa seja implementado efetivamente. “Por isso a necessidade de levar a discussão aos profissionais envolvidos”, explica.

Segurança do Paciente

A Segurança do Paciente é um dos seis atributos da qualidade do cuidado, tendo adquirido grande importância para os pacientes, famílias, gestores e profissionais de saúde. O objetivo é oferecer uma assistência mais segura aos pacientes.

A Organização Mundial de Saúde (OMS), demonstrando preocupação com a situação, criou a Aliança Mundial pela Segurança do Paciente, que tem como finalidade organizar os conceitos e as definições sobre segurança. A Aliança também propõe medidas para reduzir os riscos e diminuir os eventos adversos.

 

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 17:35:51 +0000
Regional de Saúde de Uberlândia descentraliza testes rápidos para Aids e IST´s http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9335-regional-de-saude-de-uberlandia-descentraliza-testes-rapidos-para-aids-e-ist-s http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9335-regional-de-saude-de-uberlandia-descentraliza-testes-rapidos-para-aids-e-ist-s

A partir de abril, os 18 municípios da Superintendência Regional de Saúde de Uberlândia (SRS Uberlândia) poderão fazer os pedidos via sistema interno dos testes rápidos de HIV, Hepatites B e C e Sífilis. Em 2016, foram confirmados positivamente para AIDS 654 casos na região e, este ano, até o momento, 60 casos. A Atenção Primária será a porta de entrada para a realização dos testes no próprio município. O treinamento para alinhar as equipes foi realizado nesta quarta e quinta-feira (26 e 27/04) e participaram coordenadores de Vigilância Epidemiológica e Atenção Primária, além de enfermeiros técnicos responsáveis pelas Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST´s) dos municípios.

Crédito: Priscilla Fujiwara

Segundo a referência técnica em IST’s/Aids do Núcleo de  Redes de Atenção à Saúde da SRS Uberlândia, Flávia Machado, anteriormente, os testes rápidos eram feitos nos serviços especializados em Patrocínio, Uberlândia e Araguari, “com a descentralização, as unidades de saúde não precisam mais encaminhar os pacientes para estas três cidades. A vantagem é que eles podem fazer em seu município de residência e em até quinze minutos já têm o resultado para as IST´s. Caso dê positivo, por medidas de segurança, o paciente é encaminhado para fazer o exame sorológico – que é mais demorado” descreveu.

A referência complementou que este modelo é mais barato porque se der negativo, a suspeita já é descartada e não precisa fazer o exame sorológico.  “Com a facilidade de acesso ao teste, o diagnóstico é precoce e o tratamento também”, ressaltou.  

Mayara Cristina de Almeida, referência técnica da Coordenação de IST, Aids e Hepatites Virais da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), reforçou também o preenchimento correto das fichas de notificação, pois é a partir dos dados que o Estado realiza uma análise conclusiva, concreta e completa. “São estas informações que o Ministério da Saúde utiliza para a compra de medicamentos e outros insumos e o Estado planeja suas ações”, disse.

A descentralização dos testes e todo fluxo é muito importante para os municípios, defendeu a Coordenadora da Vigilância em Saúde de Monte Carmelo, Naessa Dias Lemes. “É essencial para Monte Carmelo a realização no próprio município dos testes rápidos, será muito mais fácil realizar o diagnóstico, pois o paciente não irá precisar se deslocar para outras cidades.  Muitas vezes as pessoas não sabem que têm a doença porque não realizam o teste”.  A coordenadora ainda disse que com o diagnóstico correto, as notificações ficam mais próximas da realidade, o que melhora a qualidade do tratamento e a investigação por novos casos.

Todas as equipes das secretarias já foram capacitadas para a descentralização. A partir do treinamento, irão receber as senhas para entrarem no sistema e realizarem diretamente seus próprios pedidos dos testes, que são fornecidos pela Secretaria de Estado de Saúde e Minas Gerais (SES – MG) e Ministério da Saúde.

Baixe a Apresentações do evento

Veja a cobertura de fotos aqui

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 17:12:33 +0000
Regional de Saúde de Juiz de Fora promove treinamento para 37 municípios de sua jurisdição http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9334-regional-de-saude-de-juiz-de-fora-promove-treinamento-para-37-municipios-de-sua-jurisdicao http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9334-regional-de-saude-de-juiz-de-fora-promove-treinamento-para-37-municipios-de-sua-jurisdicao

A Regional de Saúde de Juiz de Fora, por meio do Núcleo de Atenção Primária promoveu nesta quinta-feira (27/04), treinamento com os 37 municípios de sua jurisdição. Na ocasião, foram abordados três temas relevantes. São eles: Política Estadual de Promoção da Saúde (PEPS), Práticas Integrativas e Complementares (PIC) e Programa de Controle do Tabagismo (PNCT).

No período da manhã, a Referência Técnica Letícia Carvalho foi a responsável pelo treinamento sobre Promoção da Saúde, definido como uma estratégia de articulação transversal que tem como objetivo estabelecer mecanismos para a redução da vulnerabilidade e das desigualdades e que vise o empoderamento social como forma de fomentar indivíduos/comunidades ativos sobre a produção de sua saúde.

Crédito: Adriana Mendes

Na parte da tarde, a Referência Técnica Sueli Martins abordou o tema Práticas Integrativas e Complementares que contemplam sistemas médicos complexos e recursos terapêuticos reconhecidos pela Organização  Mundial da Saúde (OMS) como medicina tradicional e complementar/alternativa. O objetivo destas práticas é estimular mecanismos naturais de prevenção e recuperação da saúde por meio de tecnologias naturais, simples, eficazes e seguras.

Em seguida foi a vez de Letícia Carvalho falar sobre o  Programa de Tratamento do Tabagismo no Estado de Minas Gerais com o objetivo de desenvolver ações de promoção da cessação do tabagismo, motivar fumantes a deixarem de fumar e aumentar o acesso dos mesmos aos métodos eficazes para tratamento da dependência da nicotina, visto que em Minas Gerais a prevalência de pessoas, com 18 anos ou mais de idade, fumantes atuais de tabaco, corresponde a 17,8%, estando acima da média nacional de 14,7%.

Para Sueli Martins, “os municípios necessitam ser incentivados a implantar /implementar  estas práticas que são muito acolhedoras e desenvolvem um maior vínculo terapêutico, integrando o ser humano com o meio ambiente e a sociedade”.

 

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 17:08:27 +0000
Regional de Saúde de Juiz de Fora promove videoconferência sobre PECQMamo http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9332-regional-de-saude-de-juiz-de-fora-promove-videoconferencia-sobre-pecqmamo http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9332-regional-de-saude-de-juiz-de-fora-promove-videoconferencia-sobre-pecqmamo

Nesta quinta-feira, (27/04), aconteceu na Regional de Saúde de Juiz de Fora uma videoconferência promovida pela Subsecretaria de Vigilância e Proteção à Saúde, Superintendência de Vigilância Sanitária e Diretoria de Vigilância em Serviços de Saúde para os representantes dos 15 estabelecimentos que prestam serviços de mamografia aos municípios da jurisdição da Regional.

Com o tema Controle de Qualidade em Mamografia, os técnicos da SVS/MG Leandro de Abreu Vieira e Flávia Adriana dos Reis Silva, esclareceram as dúvidas acerca do fluxo do processo de monitoramento do Programa Estadual de Controle e Qualidade em Mamografia (PECQMamo), além de questões relacionadas à a avaliação periódica da qualidade da imagem produzida nos serviços de mamografia que iniciará em junho de 2017 na região.

27.04.17 - Adriana

Outro ponto abordado foi sobre a participação no PNQM – Programa Nacional de Qualidade em Mamografia que tem por objetivo avaliar o desempenho da prestação dos serviços de diagnóstico por imagem que realizam mamografia, com base em critérios e parâmetros referentes à qualidade da estrutura, do processo, dos resultados, da imagem clínica e do laudo. Na oportunidade, foram informados sobre como se inscreverem no programa através do site do INCA.

Para a coordenadora de Vigilância em Saúde Eliana Fioravante “é de grande relevância a participação dos serviços de mamografia nos programas de qualidade em mamografia, visto que possuímos dois excelentes programas, o PNQM que é nacional coordenado pelo INCA e PECQ Mamo programa do estado de Minas Gerais”, ressalta ela.

Câncer de mama

A prevenção do câncer de mama é uma prioridade em saúde pública visto que esta patologia e responsável ainda por inúmeros óbitos.

A mamografia é um dos principais métodos de prevenção, visto que realizada rotineiramente permite detectar precocemente as lesões iniciais com alta percentagem de cura sem mutilações. Para Eliana “é essencial proporcionar não somente o acesso ao exame, mas a qualidade do exame realizado com resolução para detectar a patologia precocemente.”

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 16:22:25 +0000
Rede FHEMIG avalia novo contrato do Hospital Dr. João Penido http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9331-rede-fhemig-avalia-novo-contrato-do-hospital-dr-joao-penido http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9331-rede-fhemig-avalia-novo-contrato-do-hospital-dr-joao-penido

Aconteceu na tarde desta quarta-feira (26.04), no gabinete do Diretor do Hospital João Penido da FHEMIG, a reunião com os membros da Comissão de Contratualização do Município e Estado para avaliação do novo contrato de prestação de serviços entre ambos.

Crédito: Adriana Mendes

Estiveram presentes o Diretor do Hospital, Daniel Ortiz, a Assessora de Contratualização Estadual da rede FHEMIG Cynthia Fonseca, o Presidente do Conselho Municipal de Saúde, Jorge Ramos, o representante da Secretaria Municipal de Saúde, Sidney Costa dos Reis e representando a Regional Juiz de Fora, Chamel Akl.

Na ocasião, foi discutido a elaboração do Documento Descritivo que fará parte da Contratualização 2017/2018, com avanços em diversos pontos de estrangulamento do município e região adjacente de Juiz de Fora como: internações em Psiquiatria, Colonoscopia, Ultrassonografias, procedimentos cirúrgicos, CPRE, impactando de maneira positiva na prestação de serviços em prol dos pacientes assistidos pelo SUS.

O objetivo deste contrato é a melhoria de ofertas de serviços para os usuários do SUS na macro-região sudeste.

Será criada uma nova dinâmica de trabalho que será implantada com pagamentos de leitos atrelados à UTI, visando a modernização das ações com um pagamento mais justo ao Hospital que em amplitude, qualidade e quantitativo é o terceiro da Rede FHEMIG no Estado de Minas Gerais.

Segundo o representante da Regional de Saúde de Juiz de Fora, Chamel Akl, “estamos avançando em termos de Saúde Pública e em contratos mais próximos das realidades dos prestadores, gerando, por conseguinte, uma atenção à saúde mais eficaz. O Diretor do Hospital Dr. Daniel e sua Assessora Cynthia mostraram uma organização e uma imensa boa vontade, no sentido de se ofertar mais serviços para a população de nossa Macrorregião Sudeste”, afirmou.

O Diretor do Hospital, Daniel Ortiz esclareceu que “em 60 dias tudo estará equacionado, cabendo à Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora, a Regional de Juiz de Fora e o Conselho Municipal de Saúde as assinaturas da nova Contratualização entre o município e o Hospital Dr. João Penido”, finalizou.

 

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 14:13:03 +0000
Audiência Pública discute rumos do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Barbacena http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9330-audiencia-publica-discute-rumos-do-centro-hospitalar-psiquiatrico-de-barbacena http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9330-audiencia-publica-discute-rumos-do-centro-hospitalar-psiquiatrico-de-barbacena

Nessa quarta-feira (26) foi realizada Audiência Pública para discussão dos rumos do Centro Hospitalar Psiquiátrico de Barbacena (CHPB), pertencente à Fundação Hospitalar do EsTado de Minas Gerais (FHEMIG), na Câmara Municipal de Vereadores de Barbacena. 

02 1

A audiência contou com a presença do Presidente da FHEMIG, Jorge Nahas, do Coordenador Estadual de Saúde Mental da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Humberto Verona, do Superintendente Regional de Saúde de Barbacena, Robson Vidigal, bem como outras autoridades, funcionários do CHPB e sociedade civil.

Na ocasião foram discutidas as propostas de novos rumos para o CHPB, uma vez que o Centro Hospitalar encontra-se na fase final da política desospitalização dos pacientes psiquiátricos remanescentes. O objetivo é a promover a reintegração dos pacientes à vida em sociedade e buscar uma nova proposta de enfoque de trabalho para o hospital e seus funcionários. Tal política foi estabelecida pela Portaria nº 2.840, de 29/12/2014, do Ministério da Saúde que criou o Programa de Desinstitucionalização da Rede de Atenção Psicossocial no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

Em sua fala, o Diretor do CHPB, Wander Lopes, informou que a estrutura da FHEMIG em Barbacena engloba o Hospital Regional, o Museu da Loucura e o CHPB. Esse abrange uma unidade de internação de agudos, uma unidade de intercorrência clínica, o ambulatório de saúde mental, um centro educacional, serviços de oficinas terapêuticas e outras atividades administrativas. Atualmente são 101 moradores (além 44 que já estão em processo de mudança para residências terapêuticas), 343 servidores efetivos, 72 funcionários contratados, 12 médicos residentes e 101 funcionários terceirizados. “Nossa equipe clama por continuar prestando serviços em Saúde Mental de acordo com as necessidades de Barbacena e região. E pela possibilidade de reinventar o hospital, de transformá-lo com a abertura de novos serviços em saúde pública para atendimento a carências da macrorregião Centro-Sul”, afirmou o diretor Wander Lopes.

Segundo o Presidente Jorge Nahas, já estão sendo estudas as possibilidades para os novos rumos do Centro Hospitalar de acordo com as necessidades da região, e de sugestões da equipe da instituição. “Uma vez alcançada a meta de desinstitucionalização dos pacientes, está posta a questão do futuro do CHPB. Discutiremos as novas possibilidades com todos os atores envolvidos. Temos que pensar em sua reinvenção, no destino desse grande equipamento no Sistema Único de Saúde, juntamente com a Superintendência Regional de Saúde, do município de Barbacena e municípios da região. Já temos alguns rumos; já funciona ali o Hospital Regional, e temos várias possibilidades levantadas pelos trabalhadores do CHPB e da Regional de Saúde”, ponderou Jorge Nahas.

Em sua participação, o Coordenador Estadual de Saúde Mental, Humbero Verona, destacou a atenção aos pacientes no processo de desinstitucionalização e reforma psiquiátrica no estado, que é realizada de acordo com um novo modelo que trabalha a Rede de Atenção Psicossocial no Sistema Único de Saúde. Essa, por sua vez, busca superar o modelo asilar e fortalecer a rede de modo a garantir que esses pacientes tenham a atenção humanizada, respeitosa que devem ter e os serviços necessários.

O Superintendente Regional de Saúde, Robson Vidigal, explicou o funcionamento das políticas públicas de saúde e sua aplicação no processo de destinação dos novos serviços do hospital e as propostas de novos serviços para o CHPB. Robson informou que será composta uma equipe para avaliação e acompanhamento do processo de desinstitucionalização dos pacientes, de modo que cada caso possa ser individualmente analisado e seja realizada a melhor, mais responsável e adequada destinação e trato a cada paciente. “Nós instituímos um grupo de trabalho para preparar um estudo sobre o nosso Plano de Ação Regional no território da macro Centro-Sul. Quero deixar claro que temos que ter responsabilidade na desospitalização, nos preocuparmos com a vida das pessoas que lá estão. Mas também não vamos deixar de nos preocupar com a vida daqueles que até então, cuidaram desses pacientes. Então quero tranquilizar os funcionários do CHPB”, afirmou Robson Vidigal.

Após a audiência foram verificadas as propostas e realizados os encaminhamentos para o andamento da questão da destinação dos novos rumos do CHPB que melhor atenda à demanda da cidade e região.

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 11:22:24 +0000
Caminhão da Ciência participa, pela primeira vez, do Programa Fóruns Regionais http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9329-caminhao-da-ciencia-participa-pela-primeira-vez-do-programa-foruns-regionais http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9329-caminhao-da-ciencia-participa-pela-primeira-vez-do-programa-foruns-regionais

O caminhão da Ciência, do Programa Ciência em Movimento (PCM) da Fundação Ezequiel Dias (Funed), participará, pela primeira vez, dos Fóruns Regionais. A nova fase dos Fóruns começará na cidade de Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, e pretende reforçar a política de regionalização implantada pelo governador Fernando Pimentel. O caminhão estará na cidade, durante o evento, nos dias 2 a 5 de maio.

O Programa Ciência em Movimento foi criado em 2012 pela Funed, com o objetivo de difundir e popularizar a ciência por todo o estado. O caminhão leva conhecimento científico e tecnológico, através de linguagem lúdica e popular, estabelecendo uma relação de diálogo entre os pesquisadores e a sociedade e entre ciência, saúde e cultura.

Durante a visita à cidade, o PCM promoverá oficinas abordando a temática “Ciência Alimentando o Brasil”, pauta da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) do ano passado, animais peçonhentos, dengue e alimentos.  Haverá também um tótem interativo, com acesso a um aplicativo sobre alimentos, disponibilizado aos visitantes.

No dia 3/5, os servidores da Fundação farão uma coleta de animais peçonhentos – aranhas e escorpiões – em conjunto com as zoonoses da cidade. No dia 4/5, o caminhão participará do evento Fóruns Regionais, onde apresentará e disponibilizará serviços aos gestores públicos e à população, além de mostrar suas ações e resultados. Já no dia 5/5, haverá novamente coleta de aranhas e escorpiões.

Serviço:

Exposição Programa Ciência em Movimento

Datas e horários:

  • 3/5 – 8h às 17h
  • 4/5 – 8h às 12h e 13h às 17h
  • 5/5 – 8h às 11h.

Local: Campus da UEMG - Rua Vereador Moisés da Silva, s/n.

ACS Funed: comunicacao@funed.mg.gov.br / 31 3314-4577

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 11:14:51 +0000
Regional de Saúde de Januária promove encontro do Colegiado Regional de Saúde Mental http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9328-regional-de-saude-de-januaria-promove-encontro-do-colegiado-regional-de-saude-mental http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9328-regional-de-saude-de-januaria-promove-encontro-do-colegiado-regional-de-saude-mental

A Regional de Saúde de Januária realizou, nesta quarta-feira (26/04), a segunda reunião do Colegiado Regional de Saúde Mental. Participaram do encontro representantes da Atenção Primária, hospitais e serviços de Saúde Mental dos 26 municípios sob jurisdição desta Unidade Regional. Estiveram presentes ainda técnicos da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) dos Núcleos de Vigilância em Saúde, Núcleo de Atenção Primária à Saúde, referências técnicas em Saúde Mental da Regional de Januária e do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais regional (COSEMS-MG).

Estiveram pautados nesta reunião a Política Nacional e Estadual de Atenção Básica e as atribuições dos profissionais na saúde mental; a Política Estadual de Saúde Mental, bem como reflexões sobre a Saúde Mental dos profissionais da saúde. Nesse sentido, destaca-se a aprovação do Regimento Interno pelos membros do Colegiado Gestor Regional de Saúde Mental da Regional de Saúde de Januária.

Presente no encontro, a referência técnica em Saúde Mental da Regional de Saúde de Januária, Nayra Duarte, destacou a importância da mobilização em prol da construção da Rede de Atenção Psicossocial na região. “Através do compartilhamento de experiências sobre as dificuldades e facilidades dos serviços poderemos refletir sobre a realidade para modificá-la”, apontou Nayra.

Nesse sentido, os profissionais presentes aproveitaram o momento de interação e usaram da palavra para mostrar particularidades em cada município, e apresentar vivências dentro da realidade de cada um. “O encontro foi de muita relevância, conhecimento e informações, proporcionando a todos um aprendizado diferenciado”, destacou Jordana Faria, assistente social da Fundação Hospitalar de Amparo ao Homem do Campo do município de Manga.

Avylla Soares Souza, psicóloga do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) de Japonvar evidenciou que o Colegiado de Saúde Mental tem se apresentado como um espaço muito produtivo para o incremento de uma rede efetiva de saúde mental. “O Colegiado instrumentaliza os municípios a lidarem com os desafios da prática cotidiana, fortalece o modelo psicossocial, e aproxima a Política e a participação na construção de um lugar para a pessoa com sofrimento mental na Atenção Primária e na sociedade como um todo”, destacou Avylla.

“Participar desse processo contribui também para a saúde mental dos trabalhadores de saúde que encontramos nas discussões, para a troca de experiências e dificuldades e para um sentimento de pertencimento; apesar da realidade particular de cada município compartilhamos angústias e necessidades semelhantes e juntos construímos possibilidades diante dos impasses”, completou ela.

 

]]>
Banco de notícias Thu, 27 Apr 2017 08:38:31 +0000
Web Seminário aborda informações sobre a melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica no SUS http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9327-web-seminario-aborda-informacoes-sobre-a-melhoria-do-acesso-e-da-qualidade-da-atencao-basica-no-sus http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9327-web-seminario-aborda-informacoes-sobre-a-melhoria-do-acesso-e-da-qualidade-da-atencao-basica-no-sus

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), em parceria com a Faculdade de Medicina da UFMG, promoveu mais uma vez o “Web Seminário: Diretrizes Para o Eixo Estratégico Transversal de Desenvolvimento: 3° Ciclo do PMAQ”.

Transmitido via web, o seminário sobre o Programa Nacional de Melhoria do Acesso da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) no Sistema Único de Saúde (SUS) tem como objetivo incentivar os gestores e as equipes a melhorar a qualidade dos serviços de saúde oferecidos na saúde pública. Para isso, propõe um conjunto de estratégias de qualificação, acompanhamento e avaliação do trabalho das equipes de saúde.

Pmaq

Durante o web seminário, realizado na tarde de hoje, 26 de abril, a apoiadora do Ministério da Saúde do Departamento de atenção básica, Márcia Leal, explicou sobre as diversas áreas dos processos de trabalho e de autoavaliação.

“Os processos autoavaliativos da Atenção Básica devem ser contínuos e permanentes. Isso permite a identificação e o reconhecimento das dimensões positivas e dos problemas do trabalho da gestão e das equipes de atenção à saúde”, afirmou.

De acordo com a Diretora de Políticas de Atenção Primária à Saúde da SES-MG, Mayla Magalhães, o objetivo do web seminário é sensibilizar e estimular profissionais e gestores da saúde na ampliação do acesso e melhoria da qualidade da Atenção Básica. “Trabalhar o conceito e os objetivos do programa além de fortalecer o apoio institucional também fazem parte dos objetivos do PMAQ”, disse. Abaixo, assista o web seminário na íntegra:

 

 

]]>
Banco de notícias Wed, 26 Apr 2017 17:42:59 +0000
Regional de Saúde de Uberlândia realiza oficina sobre tuberculose para profissionais da Administração Prisional http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9326-regional-de-saude-de-uberlandia-realiza-oficina-sobre-tuberculose-para-profissionais-da-administracao-prisional http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9326-regional-de-saude-de-uberlandia-realiza-oficina-sobre-tuberculose-para-profissionais-da-administracao-prisional

A Vigilância Epidemiológica e Atenção Primária da Regional de Saúde de Uberlândia realizaram nesta terça-feira (25/04), a "Oficina Tuberculose na Administração Prisional". O objetivo do evento foi orientar quanto a identificação de sintomas de tuberculose em pessoas privadas de liberdade, a forma correta de coleta de material para exames e a importância do tratamento adequado. Participaram do evento as unidades penitenciárias, prisionais e socioeducativas e as secretarias de saúde dos sete municípios da Regional que possuem sede destas unidades. Clique aqui e confira outras fotos do evento. 

As dez instituições da região atendem 7.852 pessoas e contam com serviços de saúde estruturados, constituídos por equipes de atenção básica prisional. A população privada de liberdade representa aproximadamente 0,2% da população brasileira e contribui com 7,2% dos casos novos de tuberculose notificados no país. “Nesta população, a transmissão e o adoecimento é 29 vezes maior que a da população em geral”, explicou a Referência Técnica em Tuberculose da Regional de Saúde de Uberlândia, Waldênia Rodrigues Gomes. “A vulnerabilidade e as condições do encarceramento somadas às características individuais dos privados de liberdade favorecem a transmissão”, justificou a referência.

Um dos principais desafios em um presídio, segundo o diretor geral do presídio de Prata, Luciano de Souza Braga é realizar o isolamento quando o caso de tuberculose é diagnosticado, devido às medidas de segurança e a ausência de estrutura física adaptada. Em 126 pessoas encarceradas, conforme relato do diretor, há somente um caso e ele está em tratamento.

“Cumprimos todos os procedimentos necessários e realizamos uma varredura em toda a população interna e não foi encontrado mais ninguém com os sintomas. Os funcionários e os familiares dos encarcerados tinham muitas dúvidas, por isso levamos profissionais da área de saúde da Prefeitura para uma palestra interna para conscientizá-los. Foi um trabalho de muito esforço e integrado entre a área psicossocial, assistência, saúde e segurança”, afirmou Luciano de Souza Braga.

O mais importante para o diretor é trabalhar “com a prevenção em vez de remediação”. Quando a pessoa entra na instituição, é realizado um acompanhamento para imediatamente realizar os exames caso tenham os sintomas e evitar novos contágios, “acreditamos que será difícil haver um novo caso e se houver estamos preparados para lidar”, concluiu.

Os participantes da oficina produziram um cronograma de busca ativa nas unidades de segurança (presídios, penitenciárias e socioeducativas) por pessoas que tenham sintomas de tuberculose. A ação será realiza pelas equipes de atenção básica prisional em parceria com a vigilância epidemiológica e atenção primária das secretarias municipais de saúde.

» Saiba mais sobre os sintomas, formas de contágio e o tratamento para Tuberculose em: www.saude.mg.gov.br/tuberculose

» Baixe aqui a Nota Informativa conjunta da SES-MG e SEAP-MG.

 

]]>
Banco de notícias Wed, 26 Apr 2017 17:33:45 +0000
ESP-MG recebe representantes da Fhemig, Funed e Hemominas para Seminário sobre Direito Sanitário http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9325-esp-mg-recebe-representantes-da-fhemig-funed-e-hemominas-para-seminario-sobre-direito-sanitario http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9325-esp-mg-recebe-representantes-da-fhemig-funed-e-hemominas-para-seminario-sobre-direito-sanitario

A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) recebeu, nesta última quarta-feira (26/04), a presidente da Fundação Hemoninas, Júnia Cioffi, e os chefes de gabinete, Jane Pinto Gomes, da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig) e Rodrigo Leite, da Fundação Ezequiel Dias (Funed), para um Seminário sobre Direito Sanitário.

A atividade do curso de especialização em Direito Sanitário da ESP-MG, foi espaço para que cada convidado falasse sobre o papel das instituições do Sistema Único de Saúde (SUS) em Minas Gerais, respondendo as dúvidas dos alunos do curso.

DSC08078

De acordo com Júnia, o momento é importante pois gera uma compreensão maior do SUS para pessoas que vão trabalhar na parte do direito de saúde. “Os alunos terão uma compreensão maior das dificuldades que as instituições têm e das possibilidades de melhoria que podem trazer com o direito sanitário. Além disso, a partir do momento em que eles atendem as pessoas e identificam as necessidades eles podem inclusive trabalhar melhor as necessidades individuais de cada um”, disse.

Rosangela de Oliveira Cotta, aluna do curso e trabalhadora da Secretária Estadual de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) reconhece a importância do seminário para os alunos da área jurídica. “Essa é uma oportunidade muito boa, principalmente para o pessoal do jurídico que desconhece um pouco como funciona o SUS. Eu percebo que o crescimento do conhecimento por parte deles é muito grande, o que é interessante. Para quem já trabalha na saúde também é ótimo porque existem informações que nós desconhecemos ainda”, comemora.

O curso

A especialização em Direito Sanitário da ESP-MG acontece desde 1998 e os alunos com o título de “Especialistas em Direito Sanitário” são trabalhadores de vários órgãos que fazem interface com saúde pública e o sistema judiciário de Minas Gerais.

Na disciplina Espaço de Interlocução de Práticas em Saúde, os alunos irão realizar visita técnica na Funed, o Instituto Raul Soares, o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII (HPS) e centros de saúde da capital mineira.

 

]]>
Banco de notícias Wed, 26 Apr 2017 17:29:27 +0000
Regional de Saúde de Pouso Alegre realiza reunião sobre o Núcleo de Segurança do Paciente http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9323-regional-de-saude-de-pouso-alegre-realiza-reuniao-sobre-o-nucleo-de-seguranca-do-paciente http://www.saude.mg.gov.br/component/gmg/stories/9323-regional-de-saude-de-pouso-alegre-realiza-reuniao-sobre-o-nucleo-de-seguranca-do-paciente
A Regional de Saúde de Pouso Alegre realizou nesta quarta (26/04), reunião para abordar oNúcleo de Segurança do Paciente. Durante o evento, foram apresentadas aos profissionais presentes as várias ferramentas disponíveis para facilitar o processo de avaliação de risco e eventos adversos, além de orientações sobre cadastro e preenchimento de notificações. O evento foi realizado no auditório da Regional e contou com a presença dos coordenadores do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar e técnicos referências do Núcleo de Segurança do Paciente dos hospitais das 53 cidades que pertencem à Regional de Pouso Alegre.
Crédito: Juliana Horta de Almeida
De acordo com a referência técnica em Serviços de Saúde da Regional de Pouso Alegre, Zilda Maria Domiciano, a reunião teve como objetivo a melhora da qualidade da assistência dos serviços de saúde. “Os profissionais que aqui estiveram inteiraram-se das questões de segurança do paciente, da formação do Núcleo de Segurança do Paciente e das notificações para controle de infecção. Consequentemente, esse aprendizado gerará uma melhora na qualidade da assistência à saúde”, disse.

Durante a reunião, foram abordadas estratégias para incentivar os serviços de saúde a cadastrarem o Núcleo de Segurança do Paciente. Dessa forma, as notificações de eventos adversos poderão ser realizadas no Sistema NOTIVISA, de notificações em Vigilância Sanitária, ligada ao Sistema Único de Saúde (SUS).

A reunião foi promovida pelo Núcleo de Vigilância Sanitária e organizada pelas referências técnicas em Serviços de Saúde, Zilda Maria Domiciano e Bárbara Karina Vieira. As discussões foram conduzidas pelas representantes da Coordenadoria de Investigação e Prevenção de Infecções e Eventos Adversos, Nádia Aparecida Campos Dutra e Rosilaine Aparecida Silva Madureira, ambas referências técnicas da Diretoria de Vigilância em Serviços de Saúde da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG).

]]>
Banco de notícias Wed, 26 Apr 2017 15:46:24 +0000