Pensar saúde é pensar qualidade de vida. Uma relação que é construída através da harmonia entre os indivíduos, os ambientes e os modos de viver. Esta é a proposta do site #VidaSaudável, um espaço criado para que o cidadão possa ter acesso às informações relacionadas à promoção da saúde.

Dentro do Sistema Único de Saúde (SUS), a promoção da saúde tem como finalidade contribuir para a melhoria da qualidade de vida, através de políticas públicas que visem o empoderamento das pessoas de forma a produzir a sua saúde. Isso se dá por meio de estratégias de articulações transversais tanto individuais quanto coletivas e ambientais, atuando sobre os fatores que interferem no modo de vida da população.

Em 2006, o Ministério da Saúde publicou a Política Nacional de Promoção da Saúde – PNPS (PORTARIA Nº 2.446, DE 11 DE NOVEMBRO DE 2014). No Estado de Minas Gerais, em 2016, a Secretaria de Estado de Saúde construiu a Política Estadual de Promoção da Saúde – POEPS (DELIBERAÇÃO CIB-SUS/MG Nº 2.341, DE 19 DE ABRIL DE 2016), agregando a PNPS as necessidades e prioridades do Estado.

» Nota Técnica Nº 09/2016 - SES/SUBPAS/SAPS/DPS
Assunto: Alterações no indicador 2 da Resolução SES/MG nº 5250, de 19 de Abril de 2016

» Nota Técnica Conjunta nº 001/2017 - SES/SUBPAS/SAPS/SAF
Assunto: Fluxo de distribuição, armazenamento, administração e registro do sachê de micronutrientes em pó (NutriSUS).

» Clique aqui e confira dicas para ter uma alimentação saudável aliada à prática de atividade física.

» Que tal propor mais qualidade de vida para você? Clique aqui e troque o cigarro por uma vida mais saudável!

 

Neste mês de Outubro, o #VidaSaudável vai falar sobre alimentação saudável e sustentável e a prevenção da obesidade, em função do Dia Nacional de Prevenção da Obesidade (11/10) e Dia Mundial da Alimentação (16/10). A abordagem vai ao encontro do tema proposto pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) para comemorar a Semana Mundial da Alimentação. No Estado, o tema trabalhado este ano é: “O clima está mudando. A alimentação e a agricultura também”.

A proposta da FAO – abraçada pelo Governo de Minas Gerais, é conscientizar a população a respeito de como as mudanças climáticas interferem na produção da agricultura e como isso pode interferir nos alimentos que chegam à nossa mesa. Além disso, a campanha quer mostrar que é possível mudar hábitos de consumo para assegurar uma alimentação saudável e contribuir para o combate à fome.

Ainda, segundo a FAO, são desperdiçados em todo o mundo 1,3 bilhões de toneladas de alimentos anualmente, quantidade suficiente para alimentar 2 bilhões de pessoas. Se considerarmos o consumo por pessoa, equivaleria dizer que cerca de 280 quilos de alimentos é desperdiçado por cada um de nós todos os anos, enquanto 10% da população mundial ainda é afetada pela fome.

Além da conscientização, o conhecimento sobre como aproveitar melhor os alimentos é primordial para redução de desperdícios e também para o incremento do consumo alimentar. Hábitos saudáveis levam à redução do desperdício e também auxiliam na diminuição de possíveis carências nutricionais da população.

Nesse sentido, a valorização dos alimentos regionais, o consumo de alimentos sazonais, o aproveitamento integral dos alimentos – reduzindo os resíduos, contribuem para a preservação ambiental de forma ampla e integralizada, tendo efeitos não só sob o ponto de vista ambiental, como também social, econômico e político.

» Clique aqui e leia mais sobre os impactos do desperdício alimentar.

TÍTULOS-04

O aproveitamento integral consiste em pequenas mudanças no cotidiano que repercutem positivamente no indivíduo, no meio ambiente e na sociedade como um todo, através do consumo sustentável.

Ter uma alimentação saudável e equilibrada é um aspecto imprescindível para a promoção da saúde. Você sabia que algumas medidas simples podem tornar a nossa alimentação mais nutritiva? Utilizar alimentos mais naturais e aproveitar tudo o que eles podem oferecer proporcionam maior riqueza e diversidade de cardápios, com custo reduzido e um preparo mais rápido.

» FAO declara 2016 como Ano Internacional das Leguminosas

» Leguminosas são opção para um cardápio mais saudável

Uma alimentação sadia e rica em nutrientes pode ser alcançada com partes dos alimentos que normalmente são desprezadas, como sementes, folhas e talos, e sua utilização no preparo das refeições diárias podem proporcionar maior riqueza e diversidade de cardápios.

Alguns exemplos de alimentos que podem ser aproveitados integralmente são:

  • Folhas de: cenoura, beterraba, batata doce, nabo, couve-flor, abóbora, mostarda, hortelã e rabanete;
  • Talos de: couve-flor, brócolis, beterraba;
  • Sementes de: abóbora, melão, jaca;
  • Nata.

TÍTULOS-01

O Guia Alimentos Regionais Brasileiros do Ministério da Saúde destaca o papel da utilização dos alimentos sazonais e regionais para a promoção da saúde. Com a chegada da primavera, conhecida como “estação das flores”, temos também a oferta de um grande espectro de frutas, verduras e legumes produzidos especificamente nesta época do ano e em determinadas regiões. Produzidos localmente e no momento certo, estes alimentos são mais saborosos e saudáveis, além de apresentarem preços finais mais acessíveis. Embora a maioria dos ingredientes frescos esteja disponível o ano todo, o preço e a qualidade são melhores quando esses produtos estão na temporada e são cultivados na própria região.

Apresentamos abaixo os alimentos próprios da região Sudeste que estão em plena safra nos meses de setembro e outubro:

  • Jabuticaba;
  • Abobrinha;
  • Vagem;
  • Espinafre;
  • Mostarda;
  • Repolho;
  • Rúcula.

TÍTULOS-03

A alimentação é mais que ingestão de nutrientes. Ela também diz respeito a como os alimentos são combinados entre si e preparados, bem como às características do modo de comer e às dimensões culturais e sociais das práticas alimentares.

A alimentação com oferta de nutrientes de forma desequilibrada e com ingestão excessiva de calorias está associada a doenças crônicas como obesidade, hipertensão, diabetes e certos tipos de câncer.

Dados do VIGITEL (Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por Inquérito Telefônico) revelam que a frequência da obesidade e de outras doenças crônicas relacionadas à alimentação vêm aumentando:

  • 48,5% da população de Belo Horizonte têm excesso de peso (Vigitel 2014);
  • 16,5% são obesos (Vigitel 2014);
  • 24% são hipertensos; (Vigitel 2014);
  • 7,4% são diabéticos; (Vigitel 2014);

Com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da prevenção da obesidade, foi instituído, segundo a Lei nº 11.721 de junho de 2008, o dia 11 de outubro para celebrar o Dia Nacional de Prevenção da Obesidade.

A obesidade é uma doença crônica, caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, associada a diversos riscos para a saúde, trazendo consequências como: doenças cardiovasculares, diabetes, osteoartrite, alguns cânceres (colorretal, renal, esofágico endometrial, mamário, ovariano e prostático), dificuldades respiratórias como hipoventilação crônica (síndrome de Pickwick) e apneia do sono, infertilidade masculina, colelitíase, esteatose, refluxo gastroesofágico, transtornos psicossociais e hipertensão arterial sistêmica.

Para além dos fatores genéticos e doenças endócrinas, a causa fundamental de obesidade e sobrepeso é o sedentarismo e maus hábitos alimentares, ou seja, o desequilíbrio entre o consumo de calorias e o gasto calórico.

Existem vários métodos para avaliar o peso excessivo de uma pessoa. Um dos métodos mais utilizado é o Índice de Massa Corpórea (IMC), um método não invasivo, de baixo custo e de fácil mensuração. O IMC é calculado dividindo-se o peso do paciente pela sua altura elevada ao quadrado.

IMC = peso(kg)
         altura(m)²

Classificação de diferentes graus de obesidade em adultos (20 a 60 anos):

CLASSIFICAÇÃO IMC (kg/m²)
BAIXO PESO

<18,5 kg/m2

NORMAL ≥18,5 e <25 kg/m2
SOBREPESO ≥25 e <30 kg/m2
OBESIDADE GRAU I ≥30 e <35 kg/m2
OBESIDADE GRAU II ≥35 e <40 kg/m2
OBESIDADE GRAU III ≥40 kg/m2

A prevenção contra a obesidade passa pela conscientização da importância da prática de atividade física e alimentação adequada. Participe das atividades ofertadas pela sua equipe de saúde!

Os cuidados com a alimentação adequada também é um ato de amor. A atenção relacionada à saúde deve se iniciar desde os primeiros dias de vida da criança e ser constante ao longo da vida, pois a obesidade não é uma doença que acomete somente a população adulta. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), obesidade em crianças associa-se a maior chance de morte prematura, incapacidade funcional e obesidade na fase adulta. Além desses riscos futuros, crianças obesas podem apresentar maior risco de fraturas, dificuldades respiratórias, efeitos psicológicos, e indicadores precoces de doença cardiovascular e resistência à insulina.

Cenário Alimentar e Nutricional de Crianças e Adolescentes Brasileiros

  • 33,5% das crianças apresentam excesso de peso
  • 14,3% são crianças obesas
  • 17,1% dos adolescentes apresentam sobrepeso
  • 8,4% são adolescentes obesos
  • 60,8% das crianças < 2 anos de idade comem biscoitos ou bolo
  • 41,3% dos escolares consomem guloseimas em cinco ou mais dias da semana.

Dados: IBGE, 2008-2009; ANS 2013; ERICA 2016.

Construindo hábitos saudáveis

  • Incentive o consumo de alimentos naturais, tais como frutas, verduras, legumes, arroz, feijão, ovos, carnes e peixes; e evite o consumo de alimentos ultra processados, como biscoitos recheados, refrigerantes, “salgadinhos de pacote”, “macarrão instantâneo”, embutidos e produtos congelados e prontos para aquecimento.
  • Utilize óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos.
  • Incentive a prática de atividades físicas, superando o sedentarismo. As crianças têm passado muito tempo em frente à TV ou a equipamentos eletrônicos. Resgate brincadeiras em grupo, em família e ao ar livre.
  • Seja feliz! A ansiedade pode estimular as pessoas a comerem mais, principalmente os jovens em semana de provas e vestibular. Relaxe, medite, respire, organize-se e curta as boas oportunidades.
  • Esteja atento a sua saúde. Fatores hormonais, como excesso de insulina, deficiência do hormônio de crescimento, excesso de hidrocortisona, estrógenos; podem levar ao aumento de peso.

Repense seu estilo de vida

As recomendações gerais para a abordagem do sobrepeso e obesidade incluem mudanças no estilo de vida como: educação alimentar e prática de atividade física. A participação familiar nesse novo processo é essencial para o alcance de resultados positivos.

TÍTULOS-02

» Clique aqui e baixe o folder do Guia Prático Vida Saudável

» Clique aqui e baixe o Anúncio Saúde é Atitude

» Clique aqui e conheça o Guia Alimentar para a População Brasileira

» Clique aqui e conheça o Material de apoio para profissionais de saúde - Desmistificando dúvidas sobre alimentação e nutrição

Datas comemorativas ligadas à Vida Saudável:

31.03 - Dia da Saúde e da Nutrição
06.04 - Dia Mundial da Atividade Física;
07.04 - Dia Mundial da Saúde
01.05 - Dia Internacional do Trabalhador
19.05 - Dia Internacional de Doação do Leite Humano
31.05 - Dia Mundial sem Tabaco
29.08 - Dia Nacional de Combate ao Fumo
11.10 - Dia Nacional de Prevenção da Obesidade
16.10 - Dia Mundial da Alimentação
25.10 - Dia Nacional da Saúde Bucal
14.11 - Dia Mundial do Diabetes
03.12 - Dia Mundial de Combate ao Uso do Agrotóxico
10.12 - Dia dos Direitos Humanos